Notícias Comentadas

Notícias Comentadas no AviSite.


Opine

439 - Mensagens no fórum. | pg.24 de 44

 Em 10 anos, frango inspecionado quase dobra de volume
Responder

Nova Mensagem

FABIO NUNES (05/04/2011 13:44:52)

Bom dia, amigos do Avisite! Perdoem-me, mas a noticia acima, ao informar que a produção de carne inspecionada quase dobrou de tamanho em 10 anos, entre 2000 e 2010, atrela o tema ao mero aumento da produção de carnes no período, SEM, TODAVIA, DIZER O MAIS IMPORTANTE - QUANTO DA PRODUÇÃO NACIONAL DE CARNES ERA E NÃO ERA INSPECIONADA EM 2000 E QUANTO O É E QUANTO NÃO O É EM 2010. Esta pequena, mas relevante informação que falta na notícia, é o que, de fato, interessa ao consumidor - saber se a carne consumida hoje é mais ou menos segura, sob o ponto de vista sanitário, que a de antanho! Abraço, Fabio

 Incertezas sobre recessão no Japão e crise no Oriente Médio reduzem preços dos grãos
Responder

Nova Mensagem

JOãO DE BARROS VIEIRA (04/04/2011 12:04:23)

O estranho é que na hora dos especuladores agirem, tudo sobe. agora, com crise ( ? ) os commodities vão cair de preço, mas ninguém ira se alimentar?????

 BRF planeja investimento e vê custos mais altos
Responder

Nova Mensagem

CLAUDECIR PAVONI (30/03/2011 09:34:46)

Melhor uma empresa grande ser brasileira como a BRF dó que multinacional que vem so explorar. Exemplo: a DOUX Frangosul.

 No RS, IRGA estimula criação de marrecos na lavoura de arroz
Responder

Nova Mensagem

MáRIO SCHNEIDER (29/03/2011 09:11:43)

Gostaria de saber como eu posso comprar marecos de pequim.

 Big Frango homenageia integrados em evento
Responder

Nova Mensagem

MANUTENçãO BIG (28/03/2011 09:33:11)

gostaríamos de parabenizar a big e agradecer pelo grande reajuste de salários, que obtivemos no mês de março, obrigado Sr evaldo ulinsk pela consideração. att: manutenção mecanica

Big Frango homenageia integrados em evento
Responder

CARLOS MARTINS (12/04/2011 09:50:26)

pra que fazer a premiação tão longe?

 Grãos nos US
Responder

Nova Mensagem

LUZIA ROXO PIMENTEL (27/03/2011 19:01:04)

Os plantadores estao deitando e rolando no Delta e Meio-Sul dos US.A palavra mais falada é MAIS. Mais milho, mais soja, mais algodão.O preços mais altos estao expandindo as áreas de plantio nestas regiões. Será que vai acontecer o mesmo no Corn Belt este ano? Ou serrá que o clima vai ditar o que acontecerá no solo quando começar o plantio no Meio Oeste nas proximas semanas? Todos estao a postos para acompanhar de perto os relatórios dos fazendeiros, dos analistas e consultores de safras para saber o que vai acontecer depois que as plantadeiras começarem a levantas poeira para a safra de 2011.

 Alerta para cortes na inspeção sanitária
Responder

Nova Mensagem

MARCELO DE SOUZA LIMA (24/03/2011 14:40:35)

É com tristeza que leio uma notícia dessa natureza, uma vez que, para que possamos alcançar mercados exigentes e que pagam bem pelo produto, precisamos dar a esse produto uma blindagem de segurança alimentar. A princípio, essa seguridade alimentar se inicia ainda no campo, com o produtor, que tem sido implacável nessa tarefa, mas a Inspeção Federal, através de controles de processos, dá continuidade nessa blindagem dentro dos frigoríficos, nos portos, assegurando que essa qualidade da carne de frango brasileira chegue ao seu consumidor final sem riscos para a sua saúde e íntegra, bem como saudável. Um corte nesse setor, nos deixa reféns de concorrentes mercadológicos, que, como urubus, torcem para um deslize na nossa cadeia. Vamos torcer para que isso seja somente um alarme falso e que não venha a ferir essa atividade tão produtiva e eficiente.

 Embrapa Suínos e Aves apresenta aviário modelo na Expointer 2010
Responder

Nova Mensagem

ERNANI PEDRETTI (24/03/2011 10:09:43)

Prezados senhores, boa tarde. Estou pensando em montar uma granja de ovos no município de Ipameri-GO. Gostaria, se possivel, saber se a região é própria para esse empreendimento e também qual seria o ponto de equilíbrio(produção mínima para cobrir despesas. agradeço

Embrapa Suínos e Aves apresenta aviário modelo na Expointer 2010
Responder

FERNANDO THOMAS ARRUDA (28/03/2011 14:02:35)

Prezado Ernani: Estou vendo que ninguém parece disposto a ajudá-lo. Comigo tambem foi assim. De qualquer forma aí vai o caminho das pedras: Com relação à parte de manejo e criação a própria Embrapa pode ajudá-lo, pois dispõem de uma quantidade enorme de informação. Acesse o site Embrapa Suinos e Aves e pesquise. Quanto à parte de planejamento e e condução do negócio, acesse o site do Sebrae, que certamente achará o que precisa. Esperando ter ajudado um pouco, Atenciosamente, Fernando

 Greve no PR
Responder

Nova Mensagem

SORAIA DA FONSECA (22/03/2011 11:51:47)

ESTADO DE GREVE PELA TRANSFORMAÇÃO E TRANSPOSIÇÃO DOS SERVIDORES DO DEFIS PARA A ADAPAR Servidores do DEFIS/SEAB podem entrar em greve! A Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (AFISA-PR) está insatisfeita com os rumos tomados pelo processo de autarquização do setor por parte da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (SEAB). O governo estadual pretende encaminhar dois projetos de lei à Assembleia Legislativa: um criando a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Paraná (ADAPAR),em substituição do atual Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (DEFIS) na condução dos serviços nesse setor, e outro criando uma carreira de Fiscal de Defesa Agropecuária, hoje inexistente. O problema não está na criação da autarquia nem na criação da carreira de fiscal da defesa agropecuária, propostas que vêm sendo defendidas tanto pela AFISA-PR quanto pelo setor privado. Mas sim na pretensão do governo estadual de excluir os Engenheiros Agrônomos e Médicos Veterinários do DEFIS que executam, há mais de 40 anos, a defesa sanitária animal e vegetal, fiscalização e inspeção agropecuária do Estado do Paraná. Pelo projeto defendido pelo governo estadual, também os demais servidores do DEFIS, como os auxiliares administrativos, de laboratório e outros que atuam nas atividades de apoio à fiscalização, ficariam impedidos de migrar para as novas carreiras previstas para a futura autarquia. O governo estadual alega que a transformação e transposição dos cargos de Engenheiro Agrônomo e Médico Veterinário do DEFIS – concursados para execução das funções de fiscais agropecuários – para o cargo de fiscal agropecuário da ADAPAR seria inconstituciona l. Segundo a AFISA-PR, essa alegação é infundada, pois se trata de uma adequação da nomenclatura do cargo para aqueles profissionais concursados que já executam as funções afetas a este cargo. Além disso, já houve situações similares, nas esferas federal e estadual, nas quais não houve impedimento à criação por inconstituciona lidade. A transposição dos agrônomos e veterinários do DEFIS para o novo cargo de Fiscal de Defesa Agropecuária, a exemplo do que já foi feito no MAPA - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - e em diversos outros estados da Federação, é medida fundamental para que a nova autarquia produza os resultados esperados pela sociedade. “Como imaginar uma agência de defesa agropecuária sem os agentes que a executam. Agentes estes que construíram o status sanitário do Estado do Paraná, maior produtor e exportador de carnes e grãos do país” diz o Engº Agrônomo Rudmar Luiz Pereira, presidente da AFISA – PR. Contudo, os que levantam a tese da inconstitucionalidade esquecem que esses profissionais do DEFIS entraram no serviço público por meio de concurso, têm a formação exigida para o novo cargo (engenheiros agrônomos e médicos veterinários) e darão continuidade aos trabalhos que já executam. A AFISA-PR alerta as lideranças e entidades da agropecuária estadual para a ausência de vontade política por parte do atual secretário da SEAB em conduzir o processo de autarquização de forma a modernizar o setor agropecuário, contrapondo diretamente com os interesses daqueles que fazem a agropecuária no Paraná: seus produtores rurais, seus empresários rurais. A AFISA-PR chama a atenção para o inevitável colapso desse setor no Estado. Rudmar acrescenta que “a deficiência de profissionais, em quantidade, no DEFIS é dramática, justamente pela falta de uma carreira sólida própria, há muito reivindicada pelos seus servidores. Jamais na história do Estado do Paraná houve fechamento sistemático de barreiras zoofitossanitár ias nas regiões fronteiriças, tornando o trânsito de animais e vegetais em território paranaense livre da fiscalização oficial. Nós estamos tomando o cuidado de registrar em cartório todas as cartas que estamos protocolando na SEAB exigindo o máximo de cuidado no processo de autarquização. Queremos com isso deixar bem claro para o setor agropecuário deste Estado que alertamos, que avisamos, que cumprimos com a nossa obrigação". Não bastassem todos os problemas que assolam o setor de defesa sanitária animal e vegetal, fiscalização e inspeção agropecuária no Estado do Paraná a AFISA-PR acusa as atuais autoridades mandatárias da SEAB de criarem obstáculos sem fundamentamenta ção como é o caso da alegação da inconstituciona lidade na transformação e transposição de cargos e carreiras para a ADAPAR. "Recentemente vários estados fizeram normalmente e sem quaisquer contestações constitucionais a transformação e transposição de seus servidores quando criaram as suas autarquias de defesa agropecuária. O MAPA fez isso quando criou a carreira de fiscal federal agropecuário. A própria EMATER-PR fez isso no ano passado. “Por que o governo estadual cria dificuldades somente quando o assunto é o DEFIS, prejudicando por extensão os serviços que esse departamento executa, deixando com isso de atender os interesses da agropecuária paranaense?" acrescenta Rudmar. A credibilidade internacional na sanidade dos produtos agropecuários produzidos no Estado do Paraná depende da eficiência da sua defesa sanitária, sendo que a melhor alternativa encontrada, tanto pela AFISA-PR quanto pela iniciativa privada, foi a autarquização e consequente transposição dos servidores do DEFIS. Rudmar disse que “os fatos em curso: fechamento de barreiras zoofitossanitárias e impedimentos injustificáveis para a transformação dos cargos dos servidores do DEFIS para seus correspondentes da ADAPAR comprometem toda a agropecuária estadual. O próprio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) exige a adequação dessas barreiras e os meios administrativos necessários por parte do Estado do Paraná, que possam garantir quadros de servidores estáveis e permanentes para atender esse setor, pois sem a solução desses problemas limitantes não haverá nenhum avanço na questão da área livre de febre aftosa sem vacinação neste Estado”. A AFISA-PR está intensificando os contatos com as lideranças e entidades da agropecuária estadual solicitando auxílio do setor, intervindo no processo de autarquização dos serviços prestados pelo DEFIS conduzido pela SEAB, pois em não havendo nenhuma providência, a defesa agropecuária oficial deste Estado ficará invariavelmente comprometida. A revolta entre os profissionais do DEFIS, com a condução do processo de autarquização é crescente e está se tornando insuportável, não sendo descartada a paralisação dos servidores desse departamento por tempo indeterminado já nos próximos dias".

 Pesquisa escocesa sugere mutação natural no peru de pescoço pelado
Responder

Nova Mensagem

ALMIR DELFINO (21/03/2011 08:52:01)

Sugiro divulgar reportagens sobre Perus, como mercado e demais segmentos. o mercado está crescendo.


1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44 

Busca

Nossos Parceiros
MSDBoehringer Ingelheim
AgroceresPleyades
AdisseoDeHeus