Terça-feira, 20 de Novembro de 2018
Exportação

China pode autorizar importação de carnes de até 78 unidades do Brasil
BRASÍLIA , 20 de Novembro de 2018 - O secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, afirmou nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, que a China poderá habilitar até 78 plantas brasileiras produtoras de carnes bovina e de frango para que possam exportar ao país.

Quatro inspetores do serviço sanitário chinês estão no Brasil a partir desta segunda-feira e ficarão por 10 dias para auditorias por amostragem em 10 unidades frigoríficas - seis de carne bovina, três de aves e uma de equídeos. Essas plantas devem servir de referência para a autorização das demais.

Ao Valor, o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luís Rangel, explicou que não é possível saber ainda o número de estabelecimentos que serão aprovados pela China. Segundo ele, está prevista para o dia 2 de janeiro de 2019 a conclusão do relatório da inspeção chinesa e a habilitação das plantas a partir de 20 de janeiro. Rangel disse ainda que a expectativa é que o maior número possível dentre as 78 plantas que solicitam a habilitação sejam aprovadas.

Na entrevista, em tom de despedida do ministério, Eumar Novacki também fez um apelo para que a futura ministra da pasta, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), dê prosseguimento aos programas “Agro Mais” e “Agro Integridade”, que focam em redução de burocracia no ministério e em medidas de compliance exigidas das empresas, respectivamente.

De acordo com Novacki - que aceitou convite para assumir a Casa Civil do governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) - Tereza já demonstrou a intenção de manter os programas. Em dois anos de criação do Agro Mais, o programa já solucionou 1,1 mil problemas levantados pelo segmento agropecuário, relacionados a exigências burocráticas

“Esperamos que haja uma economia de R$ 2,5 bilhões por ano após edição de normas para simplificar e desburocratizar processos. Esse programa não pode parar, mas não tem nada de extraordinário”, disse Novacki.

Ele citou como efeitos do programa, uma portaria assinada pelo Ministério que reduziu de 18°C negativos para 12°C negativos a temperatura de congelamento para a carne suína em linha com o padrão internacional, com economia anual prevista de R$ 200 milhões, disse.

Novacki também afirmou, na entrevista, que o atual governo vai deixar pronto um decreto presidencial prevendo a criação de um fundo mantido com recursos de empresas de alimentos para contratação de médicos veterinários do setor privado para funções auxiliares nas linhas de produção e credenciados pela pasta.

A decisão de assinar ou levar adiante o decreto, porém, ficará a cargo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e da futura ministra da Agricultura, deputada Tereza Cristina (DEM-MS).

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, já havia afirmado recentemente ao Valor que, a pedido dos ministérios do Planejamento e da Fazenda, desistiu de um projeto de lei para criação de taxas pagas por indústrias como frigoríficos e da regulamentação das horas-extras de fiscais do ministério, que são proibidas hoje por lei. Essas medidas faziam parte do pacote prometido por Maggi após a revelação da Operação Carne Fraca, deflagrada no ano passado.

“Nosso projeto era mais ousado, dependia de lei e fazia com que toda cadeia produtiva se encaixasse nesse modelo. Mas agora por meio de decreto poderemos regulamentar um fundo privado e colocar à disposição do próximo presidente [Jair Bolsonaro]”.

Novacki também negou que a contratação de veterinários do setor privado, sem concurso público, seja uma tentativa de terceirização do sistema de fiscalização agropecuária federal, como entendem alguns auditores fiscais federais. E explicou que a medida vai se restringir à função dos auxiliares de inspeção, que já existe na prática, mas por falta de respaldo legal é questionada atualmente por vários países importadores de produtos agropecuários do Brasil.
(Valor ) (Cristiano Zaia)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 20/11
China pode autorizar importação de carnes de até 78 unidades do Brasil (07:03)
Segunda-Feira, 19/11
Mapa e IICA lançam hotsite com estratégia internacional do agro (23:00)
Conab promove seminário sobre perdas de alimentos (22:55)
México habilita novas plantas para exportação de carne de aves Negociação externa (12:35)
Novas habilitações para o México devem incrementar exportações de frango do Brasil em 2019 (12:24)
Vetanco participa da 2nd Latin American Scientific Conference (08:15)
Milho: mercado aguarda novidades e fecha pregão desta 6ª com leves quedas na Bolsa de Chicago (08:08)
Soja: mantendo foco na disputa entre chineses e americanos, Chicago recua nesta 2ª feira (08:00)
Necta, com apoio do IOB, reúne alunos de graduação e pós gradução para falar sobre ovos (07:57)
Sexta-Feira, 16/11
FRANGO/CEPEA: carne se valoriza com aumento da procura (08:17)
OVOS/CEPEA: maior demanda eleva cotações; alta do vermelho supera 20% (08:16)
Retomada econômica poderá afetar o campo em 2019, diz analista (08:14)
SUÍNOS/CEPEA: bom ritmo de exportações e demanda interna elevam preço da carne (08:14)
BOI/CEPEA: aumento no abate mostra retomada de produtividade (08:13)
ABPA fomenta novos negócios para importações chinesas de aves e de suínos na CIIE (08:03)
Câmbio e clima nos EUA deixaram o milho na CBOT em total estabilidade (08:02)
Dólar mais alto e neve nos próximos dias nos EUA firmaram a soja em alta moderada em Chicago (08:00)
Quinta-Feira, 15/11
Quarta-Feira, 14/11
Putin ressuscita super-frango russo (20:08)
Brasil pede que Europa revise cotas após Brexit (20:01)
Paraná produzirá até 47% mais milho em 2019 (19:25)
Pilgrim’s, da JBS, concorre por ativos da BRF na Tailândia e Europa (19:22)
FAEP solicita continuidade do programa Tarifa Rural Noturna (19:21)
CNA debate normas técnicas da avicultura (19:19)
Pilgrim’s, da JBS, concorre por ativos da BRF na Tailândia e Europa (19:10)
Distribuidor da Vetanco promove Simpósio no NE (14:53)
Nova ministra terá que lidar com reflexos da Carne Fraca (11:28)
Programa técnico do Congresso de Ovos 2019 já tem principais temas definidos (09:33)
CNA protocola no STF pedido de suspensão de multas relativas a fretes (08:47)
JBS tem resultado operacional recorde, mas fica no vermelho (08:42)
Abate de bois cresceu no 3º tri, mas o de aves diminuiu (08:41)
Excesso de frango nos EUA desafia Tyson Foods (08:10)
Exportação ajuda, e produção de carnes se recupera no 3º trimestre (08:05)
Milho: perdas do trigo pesam e mercado recua mais de 1% nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago (08:03)
Alta do dólar tem efeito limitado e preços da soja no mercado brasileiro tem 3ª feira de estabilidade (08:00)