Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
Matérias-Primas

Queda da oferta de milho pode superar expectativas
São Paulo, 22 de Novembro de 2017 -

"Amigo" da inflação em 2017, o milho poderá mudar de lado e pressionar o custo de vida no país no ano que vem, tendo em vista a tendência de queda da produção doméstica nesta temporada 2017/18. E, no que depender da primeira projeção do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) para a "safrinha" do Estado, a retração da oferta poderá superar as expectativas.

Segundo o órgão, ligado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), a segunda safra do cereal, que será semeada a partir do fim de dezembro em áreas agora ocupadas por soja, renderá 24,7 milhões de toneladas, 18,8% abaixo do recorde de 2016/17. No ciclo passado, os mato-grossenses responderam por mais de 40% da safrinha nacional. E, como um todo, a segunda safra representou quase 70% da colheita brasileira.

"Estamos prevendo uma alta média de 5% no preço do milho no mercado doméstico em 2018 em relação a este ano", disse Felipe Novaes, da Tendências Consultoria. Mas, de acordo com Novaes, o risco de que a oferta esperada para o segundo semestre do ano que vem seja ainda menor pode gerar valorizações maiores, embora os estoques finais da temporada 2016/17 sejam elevados. O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) estima os estoques em 9,3 milhões de toneladas.

A queda da produção do cereal prevista pelo Imea para a segunda safra de Mato Grosso decorre, em boa medida, da expectativa de retração de área plantada. E esse cenário reflete os preços menos atrativos do cereal na bolsa de Chicago e as chuvas mais tardias no Estado no ciclo atual, que atrasaram a semeadura da soja que será colhida no verão. A oleaginosa deixará os campos do Estado mais tarde que no ciclo passado, o que vai diminuir a janela ideal de plantio da safrinha de milho, que é plantada em seguida.

"Tem muita gente que está desistindo do plantio de milho neste ciclo", afirmou o gestor técnico do Imea, Ângelo Ozelame. Segundo ele, cerca de 30% do milho da safrinha 2017/18 será plantado fora da janela climática ideal, quando o volume de chuvas é adequado para a germinação. Essa janela vai de janeiro ao começo de março. No ciclo passado, 92% do plantio foi realizado dentro do período considerado ideal.

Ozelame lembrou que no ciclo 2015/16, quando houve grande quebra de safra em decorrência de adversidades climáticas provocadas pelo fenômeno El Niño, 35% da safrinha foi semeada fora da janela ideal. "Não quer dizer que haverá quebra, mas as lavouras ficam mais expostas ao risco". A projeção do instituto prevê redução da área destinada ao milho safrinha de 10,3% em Mato Grosso em 2017/18, para 4,249 milhões de hectares. E, considerando clima menos favorável às lavouras, a previsão é que a produtividade caia 9,4%, para 97 sacas por hectare.

Parte da área que não será semeada com milho terá algodão no ciclo 2017/18. Também de acordo com a primeira projeção do Imea, a área da pluma deverá aumentar 15,8% em relação ao ciclo anterior, para 725,6 mil hectares. O avanço é de cerca de 100 mil hectares sobre a safra 2016/17. Essa migração é consequência dos preços mais rentáveis do algodão em Nova York. O aumento da área deverá resultar em elevação de 9,5% do volume da pluma produzida no Estado, para 1,2 milhão de toneladas. Mas a produtividade poderá cair.

(Valor) (Kauanna Navarro)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 22/11
Cargill Nutrição Animal reúne avicultores para discutir minimização do impacto das micotoxinas (15:28)
Workshop Vaccinar Fábrica de Rações acontece em novembro com sete palestras impactantes (11:49)
Gastos com nutrição sobem e custos de produção de suínos e de frangos de corte têm nova alta em outubro (11:36)
Projeto aprovado na CAE disciplina repasse de recursos para defesa agropecuária (11:34)
V Workshop Sindiavipar: Setor avícola comemora expectativa de crescimento de 2% em exportações em 2017 (11:30)
Governo Trump pode entregar de bandeja 115 milhões de consumidores para o Brasil (09:02)
Indústria de frango tem cenário favorável para pôr "casa em ordem", diz Itaú BBA (08:51)
Apesar de embargos, Rússia depende de carnes do Brasil (08:48)
Queda da oferta de milho pode superar expectativas (08:46)
Terça-Feira, 21/11
MSD Saúde Animal entra no mercado de postura comercial com nova contratação (16:03)
BioCamp passa por momento especial com nova campanha de marketing (10:48)
Oferta agrícola gera tensão em países da UE (08:43)
Rússia confirma embargo a quatro frigoríficos de carne suína (08:42)
Segunda-Feira, 20/11
Sexta-Feira, 17/11
Valor da Produção Agropecuária de 2017 é de R$ 533,5 bilhões (09:55)
Quinta-Feira, 16/11
Matrizes de valor (16:09)
AB Vista destaca o NIR como ferramenta ideal para nutrição de precisão (11:14)
CHICK Program garante eficácia na vacinação em Incubatórios (10:19)
Rússia eleva tom de ameaças a carnes do Brasil (08:51)
Mudanças em MP dobram renúncia com Funrural (08:50)
Favorito de Abilio ganha força na BRF (08:42)