Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020
Empresas

Yes reposiciona marca com alinhamento do seu portfólio de produtos e novas embalagens

Com mais de R$ 20 milhões em investimentos, empresa aposta em tecnologia acessível e de qualidade ao produtor
Campinas, SP, 02 de Dezembro de 2019 -

Para atender as novas demandas de um mercado cada dia mais exigente, a Yes reorganiza seu portfólio, investe em ampliação e equipe, e constrói um futuro inclinado para a sustentabilidade, bem-estar animal e segurança alimentar. Os índices de crescimento esperados para o ano indicam que o investimento, de mais de R$ 20 milhões em estrutura, organização da empresa, reposicionamento da linha de produtos e equipamentos garantirá o aumento da produção e o exponencial crescimento do faturamento para os anos de 2020 e 2021.

Em 2018 a empresa registrou uma alta de 35% e, para 2019 o esperado é um acréscimo de 40%, confirmando a quase duplicação do faturamento da empresa em um prazo de dois anos. Mas a empresa quer mais e pretende quadriplicar o faturamento em quatro anos. Para isso, a Yes implantou ações, como o reposicionamento da linha de produtos, aumento da equipe de vendas nacional e da América Latina, assim como a expansão das vendas para a Europa e Ásia.

“Em maio do ano que vem iremos triplicar nossa capacidade de produção na unidade de Borá (SP), onde investimos R$ 12 milhões em um secador de leveduras”, afirma o CEO da Yes, Luciano Roppa.

Além do equipamento, os investimentos foram perceptíveis em todas as áreas da empresa. A expansão do portfólio só foi concretizada devido ao aporte no departamento de P&D e na ampliação da capacidade produtiva, o aumento de trabalhos científicos e modernização dos laboratórios, que contam com tecnologias exclusivas no Brasil, como o YES-mycoNIR. “Hoje temos 12 projetos de novos produtos no nosso pipe line de inovação, e 10 já prontos, esperando pela aprovação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)”, salienta o executivo.

Fundada em 2008, a Yes acompanhou o mercado em um processo de crescimento acelerado e de números expressivos. Mas foi, em 2016, com a entrada do Fundo de Investimento Private Equity Aqua Capital que a empresa alcançou maior robustez, mudando o seu direcionamento, dinamizando os processos e almejando mercados internacionais.

“Saímos do Brasil e ganhamos o mundo. Hoje, exportamos para mais de 30 países. Estamos presentes em oito países da Ásia; na Europa iniciamos o registro de nossos produtos em Portugal, Espanha, Alemanha e França. Estamos presentes também no Irã, Bangladesh, Turquia, África do Sul e Egito”, aponta Roppa.

O foco na qualidade é reconhecido com certificações internacionais, como a FAMI-QS, o EcoVadis e o GMP+, um selo que garante a qualidade, a segurança de alimentos e assegura aos consumidores que os ingredientes são manipulados em toda a cadeia de fornecimento de maneira responsável. A Yes conta ainda com a Patente Verde, certificação concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) para novas tecnologias voltadas à preservação do meio ambiente. Na América Latina, a Yes foi a primeira empresa de nutrição animal a receber a chancela, em um tempo recorde de dois anos, já que no Brasil a obtenção da patente pode levar até 10 anos. 

Reposicionamento das linhas e novas embalagens

Os lançamentos, a expansão do portfólio e a ampliação da equipe de vendas foram fundamentais para manter o ritmo de crescimento constante. “A Yes é uma empresa que não para no tempo, e nossas linhas comprovam isso, pois atendem a todas às necessidades do consumidor moderno”, aponta Roppa.

A Yes trabalha focada no bem-estar animal com prebióticos que substituem os antibióticos promotores de crescimento e auxiliam no equilíbrio da microbiota intestinal. A empresa tem o portfólio mais completo de minerais do mercado: conta com nove opções de minerais de alta disponibilidade, além de adsorventes de micotoxinas.

O novo posicionamento das linhas de produtos obedecerá a seguinte nomenclatura:

Elements para a linha de mineirais quelatados;

Fix para a linha de adsorventes de micotoxinas;

GutBio para os moduladores de microbiota;

Golf para blends de moduladores de microbiota;

B360 uma linha exclusiva de blends de minerais específicos por espécie animal;

GlucanGold, um imunomulador composto por 60% de betaglucanos purificados.

Alinhada ao novo discurso de fortalecimento da marca e sua natureza biotecnológica, a Yes trouxe tecnologia também para as embalagens. Agora elas estão mais modernas, com cores e ilustrações que transmitem a ligação dos produtos com a proposta da empresa.

Ponto de destaque na embalagem é o sistema de segurança composto por três camadas de proteção plástica para evitar umidade e contaminação. O consumidor encontrará na embalagem um QR Code e um rastreador que indicarão esses benefícios.

Lançamentos para o primeiro trimestre de 2020

Comprovando seu espírito inovador, a YES começa o ano de 2020 trazendo três importantes novidades para os produtores:

GOS (galactooligossacarídeos): é um novo conceito nutricional para animais jovens, sendo oriundo da secagem do soro do leite por meio de processos biotecnológicos. Estimula o crescimento de bactérias benéficas e ajuda na formação de uma microbiota intestinal desejável. Por ser de origem láctea, possui melhor palatabilidade, possibilitando excelentes resultados quando ofertado a animais jovens, como leitões e bezerros.

FOS (Fructooligosacarideos): é um prebiótico fundamental na nutrição animal por sua ação moduladora da microbiota intestinal. Produzido pela primeira vez no Brasil, a Yes investe em um sistema produtivo que traz ao mercado nacional esse ingrediente único, reduzindo os custos e fazendo a operação ser mais rentável para os criadores brasileiros e da América Latina.

GLUCANGOLD: com 60% de betaglucanos possui função imunomoduladora, sendo aplicável para todas as espécies animais, em doses diferenciadas para alto e baixo desafio, ambiental e sanitário. Seu uso favorece melhor equilíbrio do sistema imunológico e contribui para uma proteção mais eficaz e duradoura.





Novas embalagens possuem um sistema de segurança composto por três camadas de proteção plástica para evitar umidade e contaminação.
(Yes) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 22/01
Mapa reconhece inspeção de produtos de origem animal da Serra Catarinense e de Itapetininga (SP) (08:19)
Milho cai em Chicago nesta 3ª feira à espera de compras chinesas (07:50)
Na Índia, ministra busca ampliar e diversificar comércio e cooperação com país asiático (07:45)
Soja: Chicago fecha 3ª feira com baixas na CBOT (07:45)
Terça-Feira, 21/01
PIB-AGRO/CEPEA: movimento de alta segue firme, com sustentação vinda da pecuária (15:41)
AB Vista vai apresentar o primeiro produto 'stimbiótico' no IPPE 2020 (14:47)
Soja: mercado recua em Chicago nesta 3ª feira (14:26)
Carnes: exportações aceleram em 2020 (12:44)
PIB do agro acumula alta de 1,15% até outubro de 2019 (12:35)
Obrigado ao Agronegócio por 2019 (11:19)
Fluxo de negócios no mercado físico do milho está ligeiramente maior (10:49)
Alemanha confirma caso de gripe aviária H5N8 em aves selvagens (10:37)
Ucrânia relata primeiro caso de gripe aviária H5 em três anos (10:22)
Alemanha e Polônia discutem nova ação para prevenir a peste suína (09:55)
Boi Gordo: ausência de negócios está reduzindo os estoques da indústria de SP (09:46)
Milho: Bolsa de Chicago volta do feriado com queda para as cotações (09:45)
Mapa negocia R$ 1,5 bilhão para apoiar contratação do seguro rural em 2021 (09:42)
Exportações brasileiras de milho em janeiro estão 35,6% menores do que mesmo mês de 2019 (09:00)
Frango: aumento para a ave viva em São Paulo chega a 12% (07:55)
Produção de suínos deve crescer 4% em 2020; exportações aumentarão 15% (07:50)
Boi: frigoríficos seguem fora das compras de animais e atentos as vendas no atacado (07:45)
Milho: mercado interno não registra movimentações nesta segunda-feira (07:40)
Soja: Mercado brasileiro inicia semana com preços estáveis (07:35)
Segunda-Feira, 20/01
CBNA divulga agenda de eventos para 2020 (14:31)
Especialistas da Cobb-Vantress debatem incubação de ovos e matrizes de frango (13:09)
Feriado nos EUA reduz liquidez no mercado do milho (10:57)
Milho: indicador CEPEA segue em alta e se aproxima do recorde nominal (10:52)
Gigantes da inovação estarão no Show Rural Digital 2020 da Coopavel (10:25)
Ovos: exportações são as menores desde julho de 2006 (09:53)
Soja: com preços elevados, produtor retoma negociação (09:51)
Boi gordo: indústria pressionou os preços de balcão na última semana (09:50)
Ministro da Agricultura da China incentiva autoridades a prevenir a recorrência da peste suína africana (09:49)
China importará um Brasil de carne suína em 2020, prevê Rabobank (09:44)
Granjas avícolas registradas no IMA mostram a força da avicultura mineira (09:14)
Preço do farelo de soja tem alta em janeiro (08:27)
Tecnologia que duplica grãos de milho é destaque na Dinetec (08:21)
Frango: regiões exportadoras têm preços melhores que áreas com forte consumo interno (08:05)
Suínos: preço do animal vivo continua caindo em algumas praças produtoras (08:00)
Cotação da arroba do boi registra queda na última semana (07:57)
Soja do Brasil pode competir por demanda da China apesar de acordo (07:56)
Soja: soja registra alta na sexta-feira (07:50)
Milho: sexta-feira recupera cotações em Chicago (07:45)
Sexta-Feira, 17/01
Negócios no mercado físico do milho estão menos travados (14:40)
Boi Gordo: semana foi marcada pela pressão de baixa da indústria (14:34)
Efeito de acordo EUA-China no Brasil para aves e suínos é limitado (14:32)
Perspectiva de crescimento para mercado de aves e suínos em 2020 (14:28)
Rabobank: perspectivas do Agronegócio no Brasil em 2020 (14:27)
Granja Pinheiros recebe equipe da Vetanco (13:00)
Pecuária e grãos impulsionam IPPA/Cepea no quarto trimestre de 2019 (12:28)
Milho sobe em Chicago após acordo EUA-México-Canadá (12:24)
Comércio Brasil-Irã não deve diminuir com crise com EUA, diz professor da FGV (12:18)
Demanda firme reduz impacto de acordo EUA-China para frango e suíno do Brasil (12:16)
Produção de carne suína da China registra queda em 2019 (10:15)
Carne bovina sem osso caiu 1,1% nesta semana no atacado (08:50)
Soja opera com leves baixas e estabilidade em Chicago nesta 6ª feira (08:48)
Energia elétrica: suspenso o recadastramento das propriedades rurais (08:08)
Frango: volume de exportação em dezembro é o maior de 2019 (07:25)
Imea aponta que milho vai continuar em alta durante 2020 (06:58)
Frango: mercado em busca de ajustes (06:50)
Suínos: demanda fraca mantém lentidão nas cotações (06:42)
Pressão continua no mercado do boi gordo (06:40)
Boi: frigoríficos seguem afastados das compras (06:39)
Exportações de carne surpreendem neste início de ano (06:31)
Milho despenca em Chicago com dúvidas sobre compras da China (06:30)
Soja: Chicago tem novo dia de baixas nesta 5ª feira (06:25)
Quinta-Feira, 16/01
Agropecuária do MS gera empregos acima da média nacional (12:30)
Milho está na lista de compras chinesas de produtos agropecuários norte-americanos (10:41)
Boi Gordo: escalas de abate estão nos menores níveis dos últimos meses (10:38)
No Brasil, impacto do acordo entre China e EUA deve ser limitado (10:29)
Estiagem provoca perdas na agricultura e morte de aves em aviários em Marau, RS (10:24)
Acordo EUA-China estabelece regras para cotas tarifárias de produtos agrícolas (10:23)
Incentivo acarreta crescimento expressivo da avicultura em Barão de Cotegipe (RS) (10:21)
Milho: quinta-feira começa com perdas em Chicago (09:26)
Suínos: demanda se enfraquece e preços do vivo e da carne recuam (07:28)
Boi: setor aumenta investimento e produtividade é a maior da história (07:27)
Frango: mercado sem muitas movimentações nesta quarta-feira (07:23)
Demanda ruim dita rumo do mercado do boi (07:21)
Suínos: mercado em busca de ajustes (07:20)
Milho encerra a quarta-feira com baixas em Chicago (07:19)
Soja: preços seguem estáveis no Brasil (07:17)
ABPA apresenta trabalho setorial para a sustentabilidade durante o GFFA 2020 (07:10)