Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Matérias-Primas

Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos

Novas estimativas de Conab e IBGE mostram que a segunda safra do cereal será vital para um novo recorde.
São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, 14 de Novembro de 2019 - A produção brasileira de grãos deverá somar 246,4 milhões de toneladas nesta safra 2019/20, conforme levantamento divulgado ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume é 0,2% maior que o projetado pela estatal em outubro e, se confirmado, representará um aumento de 1,8% em relação ao registrado no ciclo 2018/19. Em geral houve poucos ajustes, e pequenos, em relação ao cenário traçado no mês passado.

A safra está em fase de plantio e deverão ser ocupados, no total, 64,1 milhões de hectares, principalmente com soja, milho, arroz, feijão, algodão e trigo. Trata-se de uma área 1,4% maior que da temporada passada. A produtividade média das lavouras está calculada pela Conab em 3.844 quilos por hectare, mesmo patamar de 2018/19. Para o cultivo de milho safrinha, que só começará em janeiro, depois de colhida a soja de verão, e de trigo, cuja semeadura terá início em maio, a Conab ainda repete os números da safra 2018/19.

Segundo os novos números da Conab, a colheita voltará a ser puxada pela soja. A estatal estima que o grão ocupará 36,7 milhões de hectares, 2,3% mais que em 2018/19, com produtividade média de 3.292 quilos por hectare, 2,7% maior. Assim - e apesar do atraso da semeadura em polos do Centro-Sul -, a colheita da oleaginosa passou a ser projetada em 120,9 milhões de toneladas, avanço de 5,1% ante o ciclo passado.

Com esse volume, o Brasil vai liderar a produção global de soja, à frente dos EUA. E também manterá a ponta nas exportações, como tem acontecido nas últimas safras. Segundo a Conab, os embarques do grão atingirão 72 milhões de toneladas, 2 milhões a mais que em 2018/19.

Destaque na safra 2018/19 no Brasil, quando bateu recorde, a produção de milho deverá registrar modesto recuo neste ciclo 2019/20, mesmo que mantido o bom desempenho da safrinha. O levantamento divulgado pela Conab mostra que a colheita do cereal deverá totalizar 98,4 milhões de toneladas, 1,7% menos que na temporada passada.

A projeção considera uma área de cultivo no verão de 4,1 milhões de hectares, 0,9% maior que na temporada anterior, mas ainda a mesma área plantada na segunda safra de 2018/19 (12,9 milhões de hectares). Assim, a colheita de verão está prevista em 26,3 milhões de toneladas, um incremento de 2,4%, e a da safrinha, por enquanto, permanece calculada em 70,9 milhões, mesmo volume recorde colhido este ano.

A estatal passou a identificar também uma terceira safra, semeada na região da Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia), no Amapá e em Roraima, com calendário agrícola semelhante ao do Hemisfério Norte e colheita projetada em 1,2 milhão de toneladas, 5% menos que a colhida neste ano.

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Eduardo Sampaio, prega “comedimento”, já que a maior parte do milho só será plantada a partir do início de 2020 e há riscos climáticos em Estados como Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo. Com a demanda aquecida e os preços elevados do cereal, a Pasta teme que alguns produtores plantem milho fora da janela ideal.

Como também prevê riscos para a safrinha, o IBGE estima a colheita total de milho em 92,7 milhões de toneladas no ano que vem, queda de 7,5% em relação ao volume deste ano. E, com isso, o primeiro prognóstico do instituto para a produção conjunta de grãos do país em 2020 indicou um volume de 238,5 milhões de toneladas, queda de 1%.

Também por enquanto, a Conab projeta as exportações brasileiras de milho em 34 milhões de toneladas em 2019/20, 5 milhões a menos que o recorde calculado para 2018/19. Mas, independentemente das incertezas que ainda cercam o tamanho da oferta, essa queda também considera um aumento da demanda doméstica para a produção de ração para aves e suínos e também para a fabricação de etanol.

Igualmente importante no campo e na balança comercial, o algodão teve seu volume de colheita ajustado pela Conab para 2,7 milhões de toneladas na safra 2019/20. Esse volume é 0,2% superior ao colhido em 2018/19. A Conab calcula que a semeadura tenha se espalhado por 1,6 milhão de hectares, 1,8% mais que no ciclo passado, e prevê uma produtividade média de 1.658 quilos por hectare, queda de 1,6%.

As exportações da pluma foram estimadas em 2 milhões de toneladas, 600 mil a mais que em 2018/19, o que poderá manter o Brasil na segunda posição entre os maiores exportadores, atrás dos EUA, como no caso do milho.

Para os básicos arroz e feijão, o quadro é de poucas mudanças, como tem sido a tônica nas últimas temporadas. A produção de arroz deverá atingir 10,5 milhões de toneladas, 0,2% mais que na temporada passada, e a de feijão tende a somar, no total (são três safras por ciclo), 3 milhões de toneladas, mesmo patamar de 2018/19.

Armazenagem

A capacidade de armazenagem agrícola no país alcançou 175,5 milhões de toneladas no primeiro semestre, 3,5% mais que no mesmo período de 2018, segundo o IBGE. O total de estabelecimentos ativos cresceu 2,4%, para 7.977 de unidades. O estoque de produtos agrícolas, por sua vez, somava 63,7 milhões de toneladas no fim de junho, um aumento de 9,4%. O maior volume estocado era de soja em grão (34,8 milhões de toneladas), seguido por milho (18,5 milhões), arroz (4,6 milhões), trigo (1,9 milhão) e café (1,1 milhão).
(São Paulo, Brasília e Rio) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 06/12
Clientes Ross beneficiam-se de evento compartilhando informações no Peru (09:03)
Soja sobe em Chicago nesta 6ª com notícia de nova liberação de cotas da China para os EUA (08:46)
China vai abrir mão de tarifas sobre alguns embarques de soja e carne suína dos EUA (08:44)
MAPA convoca 100 médicos veterinários aprovados em concurso (08:03)
Ministério assina contrato com o BID: US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária (08:01)
Frango: exportação para China bate recorde (06:34)
Frango: cotações mornas nesta quinta-feira (06:27)
Suínos: cotações seguem estáveis, mas valorização sobre carne bovina em novembro foi recorde (06:24)
Peste Suína/Ásia: FAO eleva para 7,659 milhões número de animais eliminados por doença (06:17)
Preços globais da carne bovina devem permanecer sustentados em 2020, reafirma o Rabobank (06:16)
Contratos futuros para o boi gordo encerram a 5ª feira próximo da estabilidade na B3 (06:14)
Boi Gordo: poucos negócios e preços caindo (06:13)
Milho encerra quinta-feira em baixa na Bolsa de Chicago (06:12)
Soja sobe em Chicago pela terceira sessão consecutiva (06:10)
Quinta-Feira, 05/12
Soja intensifica ganhos em Chicago e sobe nesta 5ª feira (15:46)
Embarques de carne suína aumentam 13,2% em novembro (15:11)
Suínos: competitividade da carne suína frente à de boi é a maior da série (11:39)
Boi: receita obtida com exportação é recorde (11:20)
Ricardo Santin será o novo presidente da ABPA (11:15)
Para CNA, não vai faltar produto e preços da carne vão se normalizar (09:44)
Goiás pode ampliar exportação de frango para o Chile (09:43)
Vendas de ovos disparam em Manaus (09:41)
Preços de alimentos no mundo sobem com impulso de carnes e óleos vegetais, diz FAO (09:33)
Líder, BRF tem capacidade ociosa para expandir produção no Brasil (09:28)
Produtor americano reduz ritmo de comercialização da soja a espera de melhores preços (08:56)
Soja segue trabalhando em alta em Chicago nesta 5ª feira (08:52)
CNA prevê aumento do valor da produção e do PIB do campo em 2020 (08:40)
Aviagen contrata novo Supervisor Regional de Vendas no Brasil (08:17)
Korin fornece frango caipira livres de transgênicos para o Carrefour no Estado de São Paulo e Brasília (08:12)
Frango: setores apresentaram leve queda ou estabilidade nesta 4ª feira (08:09)
Suínos: cotações mornas nesta 4ª feira (08:03)
JBS planeja investir R$ 8 bilhões no Brasil nos próximos 5 anos (08:00)
Boi Gordo: vendas da carne continuam sendo o entrave (07:49)
Boi Gordo: preços da arroba recuaram 2,1% em SP (07:48)
Milho tem leves baixas em Chicago nesta 4ª feira, mas preços se sustentam no Brasil (07:38)
Quarta-Feira, 04/12
Unidades da Aviagen no Brasil recebem certificação de compartimentação (14:07)
Presidente da ABPA fala sobre o mercado de suínos e aves a médio e longo prazo (12:49)
Boi: volume de negócios foi pequeno nos últimos dias no mercado físico em SP (11:23)
A expectativa é boa para as exportações de milho nessa reta final do ano (10:20)
Vetanco realiza treinamento para controle estratégico de Cascudinhos (08:51)
Agropecuária é o setor com maior alta do PIB no terceiro trimestre do ano (08:22)
Frango: após dois dias de cotações estáveis, mercado começa a reagir (08:20)
Suínos: mercado mostra melhora para os principais setores (08:15)
Após máximas, preço do boi recua 5% em dezembro com pressão de consumidores (08:14)
Exportação de carne bovina do Brasil deve manter ritmo de alta em 2020, diz Abrafrigo (08:13)
Vencimentos futuros para o boi gordo encerram 3ª feira abaixo dos R$ 200,00/@ na Bolsa Brasileira (08:08)
Tereza Cristina abre reunião da Câmara Setorial da Carne Bovina (08:06)
Milho: preços recuam na B3, mas sobem no interior do Brasil (08:05)
Soja recua até 2% no interior do Brasil com baixa do dólar e estabilidade em Chicago (08:00)
Grãos: cenário para preços se torna positivo para 2020 (07:56)
Terça-Feira, 03/12
Produção avícola sem uso de antibiótico ganha força no Nordeste (16:52)
Agroindústria contribui para estabilidade na população ocupada no agro (16:35)
Encontro de final de ano Programa Ovos RS apresenta novidades (14:51)
Milho abre a terça-feira com leves ganhos em Chicago mesmo após relatórios do USDA (14:31)
Soja: após 8 baixas consecutivas, mercado em Chicago sobe nesta 3ª feira (14:30)
Secex: exportação de carnes bovina, suína e de frango desacelera em novembro (09:38)
Venda de carne ao exterior cresce 28%, ajudada por epidemia na China (09:37)
Nas exportações em novembro, carne suína tem faturamento 46% maior em comparação a outubro (08:06)
Suínos: cotações estáveis marcam o começo de dezembro (08:03)
Frango: segunda-feira tem altas para frango vivo em algumas praças (08:03)
Milho registra pequenos ganhos em Chicago (08:01)
O mercado do boi gordo 'sossegou' (07:59)
Exportações brasileiras de milho fecham novembro com alta de 17,6% com relação ao ano passado (07:57)
Soja fecha em baixa na Bolsa de Chicago (07:55)
Segunda-Feira, 02/12
Entidades dos Setores de Aves, Suínos e Laticínios definem o 6º AVISULAT 2020 - NC (16:23)
Yes reposiciona marca com alinhamento do seu portfólio de produtos e novas embalagens (15:30)
Milho: em novembro, cotações sobem mais de 14% em algumas praças (14:54)
Soja: com procura maior que oferta, preço do óleo atinge recorde (14:52)
Preços da carne suína na China se recuperam com o aumento do consumo no frio (14:50)
De olho na colheita, milho tem leves altas em Chicago (14:48)
Ovos: preços têm alta atípica para o período (10:09)
Boi Gordo: dificuldade de compra é vigente (09:50)
Por que a carne continuará mais cara em 2020 (e pode piorar) (09:36)
Soja inicia dezembro com leves altas em Chicago (09:26)
Após fortes altas, calmaria nos preços da carne bovina no varejo (08:02)
Bolsonaro diz que governo não atuará para baixar o preço da carne (08:00)
Frango: mercado sem variações expressivas na sexta-feira (07:50)
Suínos: fim de mês com mercado aquecido para venda do animal vivo (07:48)
Milho sobe mais de 2% em Chicago na volta da Ação de Graças (07:34)
Soja fecha semana em queda em Chicago e pressiona Brasil (07:30)