Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
Matérias-Primas

Milho segue desvalorizado em Chicago na espera por números do USDA

B3 se valoriza nesta sexta-feira.
Campinas, SP, 08 de Novembro de 2019 - A Bolsa de Chicago (CBOT) opera com estabilidade para os preços internacionais do milho futuro nesta sexta-feira (08). As principais cotações registravam movimentações negativas entre 1,75 e 0,50 pontos por volta das 11h47 (horário de Brasília).

O vencimento dezembro/19 era cotado à US$ 3,74 com queda de 0,50 pontos, o março/20 valia US$ 3,82 com perda de 1 ponto, o maio/20 era negociado por US$ 3,89 com baixa de 1,50 pontos e o julho/20 tinha valor de US$ 3,96 com desvalorização de 1,75 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho caíram um pouco, mas permanecem travados em uma tendência de baixa.

A publicação aponta que o palpite médio dos analistas para os relatórios de hoje é que a produção caia 175 milhões de bushels em relação à estimativa de outubro do USDA, com uma queda de 130 milhões.

“Vejo um corte maior no tamanho da safra, em torno de 300 milhões de bushels, mas a queda é de apenas 115 milhões devido à demanda fraca. As exportações fazem parte do problema. Na semana passada, as vendas caíram para 19,2 milhões de bushels, uma vez que as compras vêm principalmente da América Latina e do Caribe”, diz o analista sênior de grãos Bryce Knorr.

Para Knorr, Os relatórios do USDA de hoje são a última chance em dois meses para uma injeção de notícias otimistas.

B3

Já a bolsa brasileira apresenta pequenos ganhos neste último dia da semana. As principais cotações registravam altas entre 0,11% e 0,37% por volta das 11h11 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/19 era cotado à R$ 42,89 com alta de 0,19%, o janeiro/20 valia R$ 44,86 com ganho de 0,25%, o março/20 era negociado por R$ 44,75 com elevação de 0,11% e o maio/20 tinha valor de R$ 42,90 com valorização de 0,37%.

De acordo com o reporte diário da Agrifatto Consultoria, os preços futuros voltaram a ganhar fôlego nesta semana, com os contratos já abrindo o pregão hoje em campo positivo.

“As altas acontecem na esteira de fortalecimento do dólar e de revisões positivas para o indicador do CEPEA. Na comparação semanal, o indicador da Esalq subiu 1,22%, com último levantamento em R$ 42,48/SC. No mesmo período, o dólar subiu 2%, passando de R$ 4,02 ao final de outubro, com último fechamento em R$ 4,10”, dizem os analistas.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 20/11
Terça-Feira, 19/11
Milho segue subindo em Chicago nesta terça-feira (13:44)
Soja segue em alta na Bolsa de Chicago nesta 3ª feira (13:30)
Governo prorroga por dois anos contratos temporários de médicos-veterinários do Mapa (11:43)
Anec vê um recorde maior para as exportações de milho do país (11:34)
Mineira Pif Paf compra Fricasa, empresa catarinense de carne suína (11:30)
Evonik investe em capacitação visando excelência na dosagem de aminoácidos (11:17)
O futuro dos antibióticos depende de todos nós (10:44)
Copagril renova certificação internacional de qualidade e segurança de alimentos (10:41)
Frango: alta de 2% no preço do quilo da ave no atacado em São Paulo (08:14)
Cotação do boi gordo está em patamares recordes (08:12)
Suíno: primeira quinzena com mercado valorizado e exportações aquecidas (08:06)
PIB-Agro: pecuária mantém em alta PIB do agronegócio em agosto (08:05)
Valor da produção pecuária do Brasil crescerá 7% com impulso da China, diz CNA (08:04)
Mercado Futuro do boi teve mais um dia de paralisação dos negócios por limite de alta (08:00)
Milho fecha a 2ªfeira em queda influenciada por clima bom no Brasil e incertezas comerciais (07:50)
Soja renova mínimas em Chicago e tem menor preço em 7 semanas nesta 2ª feira (07:45)
Segunda-Feira, 18/11
JBS lança selo de Bem-Estar Animal (16:10)
CNA prevê aumento de 7,2% no valor bruto da Produção Pecuária em 2019 (12:49)
Demanda interna e exportações dão sustentação ao preço do suíno (12:48)
Milho: semana começa com estabilidade para as cotações em Chicago (10:07)
Milho: demanda aquecida segue elevando preços no SPOT (10:06)
Soja: preço no porto fecha acima de R$ 90/sc (10:05)
Soja inicia semana com leves altas em Chicago (08:30)
Cursos FACTA sobre incubação e matrizes reúnem pesquisadores, profissionais do mercado e governo para discutir setor (08:15)
Soja: 6ª feira tem leves variações na Bolsa de Chicago (08:00)
C.Vale faz fusão e arrenda abatedouro da Averama (07:53)
Nunca a demanda por milho do Brasil cresceu tanto, diz SLC Agrícola (07:52)
_EUA poderão vender US$ 1 bilhão por ano à China (07:51)
Brasil vê pouco impacto em reabertura da China ao frango dos EUA (07:50)
Preço da arroba do boi se aproxima de R$200 e tem novo recorde, aponta indicador Esalq/B3 (07:49)
Sexta-Feira, 15/11
Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)