Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019
Mercado Externo

China condiciona compras agrícolas à redução de tarifas dos EUA

Veto chinês ao frango norte-americano pode cair por terra
São Paulo, 16 de Outubro de 2019 - Pequim quer que as tarifas em sua guerra comercial com os Estados Unidos sejam reduzidas antes de a China concordar em comprar até US$ 50 bilhões em produtos agrícolas norte-americanos que, segundo o presidente Donald Trump, fazem parte de um acordo inicial, disseram pessoas a par do assunto.

As autoridades chinesas estão dispostas a começar a comprar mais produtos agrícolas dos EUA como parte da “primeira fase” do acordo comercial. Mas essas compras não devem ficar na faixa entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões anunciados por Trump nas circunstâncias atuais, disseram as pessoas, que falaram sob a condição de anonimato.

A condição destaca a distância entre Washington e Pequim, mesmo depois do acordo de “aperto de mão” anunciado pelos EUA na semana passada. Washington havia dito que a China, que importou cerca de US$ 20 bilhões em produtos agrícolas dos EUA em 2017, concordou em fazer grandes compras agrícolas em troca de um alívio nas próximas tarifas. A posição de Pequim torna um acordo mais complexo do que o inicialmente descrito.

Sob os termos do acordo comercial parcial, os gastos chineses em produtos agrícolas dos EUA devem somar um valor anual entre US$ 40 bilhões e US$ 50 bilhões em dois anos, segundo informação anterior do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin.

Pequim já concedeu isenções para que suas empresas possam comprar produtos agrícolas dos EUA sem pagar tarifas. Isso poderia ser repetido para iniciar as compras, disseram as pessoas. No entanto, as isenções são consideradas impraticáveis para volumes de até US$ 50 bilhões por ano, disse uma das pessoas.

As empresas chinesas compraram produtos agrícolas dos EUA, incluindo 20 milhões de toneladas de soja e 700 mil toneladas de carne suína até agora este ano e vão acelerar as compras, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, a repórteres na terça-feira.

Questionado sobre o acordo comercial da “primeira fase”, ele afirmou que o governo americano foi “preciso” sobre o que disse, e que EUA e China têm o mesmo entendimento sobre a situação.

Os dois lados trabalham para que um acordo possa ser assinado na cúpula de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico no próximo mês, no Chile. A China quer novas reuniões até o final de outubro para acertar os detalhes, disseram outras pessoas a par do assunto anteriormente.

A China está considerando comprar uma ampla variedade de itens para aumentar as importações, o que inclui soja, cereais, algodão, etanol, fertilizantes, suco, café e carne, disseram as pessoas. Também pode eliminar barreiras aos grãos secos de destiladores e a proibição de importação de frango.

Máquinas, madeira e pesticidas também podem ser adicionados, disseram as fontes. Essas compras somariam mais de US$ 40 bilhões, mas, segundo as pessoas, a China não decidiu valores específicos para os itens.

O Ministério do Comércio da China não respondeu imediatamente a um fax solicitando comentários sobre possíveis compras agrícolas dos EUA.
(Exame ) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 15/11
Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)
Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)