Sábado, 21 de Setembro de 2019
Mercado Externo

Quem ganhará com a peste suína?
São Paulo, SP, 29 de Julho de 2019 - A ideia de que crises e oportunidades andam juntas é tão batida que já virou lenda e caiu no senso comum. E embora a dupla seja associada a um ideograma chinês, na crise da peste suína africana que abateu o gigante asiático há oportunidades de sobra apenas além das fronteiras.

Estudo do Itaú BBA denominado "Por trás do apocalipse" traça um panorama de quais empresas podem se beneficiar com os efeitos da peste suína africana, que se disseminou pela China em meio a um contexto macroeconômico complexo, marcado pela quebra da safra americana e pela guerra comercial entre Pequim e Washington.



Segundo Antônio Barreto, analista de agronegócio do Itaú BBA, a magnitude do "apocalipse" dependerá de quanto a China irá aumentar as importações de proteína animal. No cenário base traçado pelo banco, a mortalidade do plantel suíno do gigante asiático chegará a 25% em 2020. No melhor cenário para os frigoríficos, a 50%.

Neste ano, os chineses já ampliaram as compras. Em maio, as importações totais de carne suína pela China bateram recorde, somando 187 mil toneladas. A expectativa do Itaú BBA é que, no cenário base, as importações dos chineses tenham um incremento de 28% até 2020, para 240 mil toneladas mensais. Mas, se a situação piorar de vez para os chineses, o Brasil e outros fornecedores podem comemorar um aumento de até 87% nas compras do país, que ganham espaço para alcançar 350 mil toneladas mensais, segundo o banco.

No topo da preferência chinesa, a carne suína será a mais demandada em qualquer cenário, seguida pela carne de frango e a bovina. Assim, Barreto avalia que a BRF é a empresa brasileira que mais se beneficiará. "A empresa vinha de um ano muito ruim, mas é a que mais se beneficia porque tem um negócio verticalizado, com frangos e porcos próprios", disse ele. Tendo isso em vista, o Itaú BBA recomendou, pela primeira vez em quatro anos, a compra de ações da BRF.

Ainda assim, a JBS segue sendo a preferida do Itaú BBA no setor. "A JBS gerou caixa no ano passado e apresenta melhor relação entre risco e retorno, além de ter um portfólio mais diversificado nos Estados Unidos", afirmou.

Nos Estados Unidos, a empresa controla a Pilgrim's Pride, segunda maior produtora de carne de frango do país. Pelas projeções do Itaú BBA, no cenário em que a mortalidade do plantel suíno da China chegue a 25%, o fluxo de caixa livre da JBS deve ser robusto, ajudando a reduzir o endividamento da companhia em 50%, segundo as estimativas do banco.

No relatório, o Itaú também avaliou o impacto da peste suína - bem como da guerra comercial e da quebra de safra americana - para outras empresas do agronegócio listadas na bolsa. No caso da SLC Agrícola, uma das maiores produtoras de grãos e fibras do país, o panorama é menos promissor.

Segundo o analista do Itaú BBA, a empresa terá de lidar com os baixos preços da soja no curto prazo, que sofrem pressão dos estoques abundantes no mundo, e também com o cenário para o algodão, que não é menos "terrível". "Uma desaceleração na economia global pode provocar uma queda nos preços do petróleo e pressionar ainda mais o algodão, que concorre com as fibras sintéticas", acrescentou.

No médio prazo, no entanto, a SLC ainda pode tirar proveito da profissionalização da criação de porcos na China. Isso deve ocorrer quando o país superar o surto de peste suína. A doença, que se espalhou rapidamente por todas as províncias do país, foi facilitada, segundo analistas, pela produção de fundo de quintal. Em muitas regiões, o plantel é alimentado com restos de comida, o que contribuiu para a contaminação. No futuro, as granjas profissionais demandarão mais milho e soja para ração.

(Valor) (Marina Salles)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 21/09
Sexta-Feira, 20/09
Grupo Mantiqueira aposta em iniciativas para aproximar clientes (13:59)
Carne suína: EUA embarcam 5,9 mil t para a China na semana (10:04)
Campos dos Goytacazes (RJ) estimula a produção de ovos de galinhas caipiras (10:03)
China libera mais plantas argentinas para exportações de carne (10:02)
Uberaba (MG) estimula criadores a aderirem ao Selo de Frango Caipira (10:01)
Frango: com baixa procura, cotações da carne recuam (09:43)
Evonik marcou presença no ISEP 2019 (09:35)
BRF capta US$ 750 milhões em títulos no exterior (08:30)
Crédito rural a juros livres ganha cada vez mais competitividade (08:13)
Boi: mercado sobe em Mato Grosso do Sul (08:08)
Cotações do milho registraram poucas movimentações nesta quinta-feira em Chicago (08:02)
Soja: disponível sobe mais de 1% nos portos do BR nesta 5ª com altas do dólar e Chicago (08:00)
Quinta-Feira, 19/09
Ministra busca investimentos nos Emirados Árabes para melhorar logística para agro no Brasil (13:40)
Suínos: produção se intensifica no segundo trimestre (10:11)
Boi: indicador sobe e atinge recorde nominal na série do CEPEA (10:10)
Novus reconhece empresas sustentáveis no Jantar do Galo em Minas Gerais (09:53)
Ministra pede reabilitação de frigoríficos de frango (08:45)
Entenda como a reforma tributária pode afetar o produtor rural (08:44)
Aurora divulga nota de esclarecimento sobre instalações industriais de Xaxim (SC) (08:43)
PIB do agronegócio cresce 0,53% no primeiro semestre (08:26)
Frango Vivo: cotações ficam estáveis nesta quarta-feira (08:24)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 4,29% (08:22)
Alta no preço do boi gordo em São Paulo (08:11)
Soja ainda mantém cautela em Chicago e nesta 5ª espera números de exportações dos EUA (08:07)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira em alta (08:00)
Quarta-Feira, 18/09
32ª Reunião CBNA: Inscrição de trabalhos científicos até 26 de setembro (12:51)
Milho: Mercado futuro opera com ligeiras perdas na manhã desta 4ª feira na CBOT (10:18)
Soja trabalha estável em Chicago nesta 4ª feira e espera notícias para definir direção (10:17)
Plantio de milho 2019/20 do Paraná atinge 24% da área, diz Deral; soja segue zerada (10:04)
ASGAV e SIPS entregam report de participação no SIAVS 2019 (09:56)
Venda de carne de frango tem queda em Santa Catarina (09:38)
Primeiro evento da Aviagen na Colômbia sinaliza expansão e sucesso na América Latina (08:47)
Trabalhos científicos serão recebidos pela APA para o Congresso de Ovos até o dia 13/12/2019 (08:29)
Arábia Saudita abre mercado para frutas e derivados de ovos do Brasil (08:24)
Frango Vivo: cotações registram estabilidade (08:17)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 3,56% (08:16)
Preço do boi gordo sobe no Norte de Minas Gerais (08:13)
Milho: Bolsa de Chicago cai até 1,60% nesta terça-feira (08:05)
Negócios com a soja travam no Brasil (08:00)
Terça-Feira, 17/09
Valor Bruto da Produção Agropecuária deve atingir R$ 601,9 bi em 2019, segundo maior em 30 anos (13:31)
Ovo: fonte de selênio (13:00)
Equipe econômica volta a debater Refis de R$ 11 bi no Funrural (09:30)
Aviagen destaca o compromisso com o mercado avícola latino-americano no SIAVS 2019 (08:58)
Rebanho suíno da China diminuiu 38% em agosto (08:38)
Biomin, Sanphar e Romer Labs participam, juntas, do XXVI Congresso Latino-Americano de Avicultura, em Lima (Peru) (08:16)
Frango Vivo: Santa Catarina tem alta de 5,96% nesta segunda (08:10)
Suíno Vivo: MG, SC e SP registram alta (08:09)
Coreia do Sul detecta primeiro surto de peste suína africana, diz ministério (08:08)
Mercado do boi inicia segunda quinzena com preços firmes (08:07)
Milho sobe 1,63% na Bolsa de Chicago (08:00)
Soja: Mercado fecha estável em Chicago, mas sobe mais de 1% no interior do Brasil (07:45)
Na Arábia Saudita, Tereza Cristina debate cooperação técnica e tem encontro com setor avícola (06:54)
Santa Catarina alcança faturamento de US$ 2 bilhões com exportação de carnes em 2019 (06:53)
Arábia Saudita busca forragem para ração do Brasil (06:52)