Domingo, 15 de Dezembro de 2019
Agronegócios

Levantamentos indicam que geada não comprometeu oferta de produtos

Paraná é o estado que mais sofre os efeitos do clima devido às culturas de inverno, como as de trigo e de milho.
São Paulo, SP, 16 de Julho de 2019 - Uma semana após a geada, o acompanhamento em campo mostra que o
fenômeno climático, embora tenha provocado estragos em diversas lavouras, não causou sérios prejuízos.

Uma boa notícia para o produtor é que não há perspectiva de novas geadas a
curto prazo. Marco Antonio dos Santos, meteorologista da Rural Clima,
afirma que a próxima onda de frio ocorrerá em meados de agosto, mas nada indica que esse frio venha a se transformar em geada.

O Paraná é o estado que mais sofre os efeitos da geada devido às culturas de inverno, como as de trigo e de milho safrinha. Além disso, o estado é importante produtor de café, uma lavoura também sensível a frio intenso.

O milho tem a maior área de cultivo no inverno no Paraná. As lavouras semeadas tardiamente, e em regiões mais suscetíveis, foram atingidas, segundo Edmar Gervásio, analista de mercado de milho do Deral (Departamento de Economia Rural) da Secretaria de Agricultura do estado.

O efeito sobre o volume de milho a ser produzido, porém, será pequeno. A
produtividade do cereal está melhor do que se previa, e a previsão de
produção foi elevada em 4% nesta safrinha, para 13,5 milhões de toneladas.

Uma eventual quebra de produção semelhante à do aumento de produtividade deixará a safra paranaense no mesmo patamar previsto inicialmente, em 13 milhões de toneladas, segundo o analista. A geada também afetou parte das lavouras de trigo no estado, e a quebra de produção será de 10% do previsto.

Carlos Hugo Winckler Godinho, analista de trigo do Deral, estima uma perda
de 300 mil toneladas nesta safra, provocada pela geada. A previsão inicial de produção era de 3,2 milhões de toneladas.

No caso do café, Cilésio Abel Demoner, coordenador do Projeto
Café da Emater, diz que uma geada como a atual teria afetado boa parte da
lavoura algumas décadas atrás. A cultura, porém, abandonou áreas sensíveis
e hoje está em locais menos suscetíveis.

Mesmo assim, a produção do próximo ano poderá recuar em até 30% nessas
áreas mais sensíveis e que sofreram o impacto do frio intenso.
Demoner afirma que o estado se preparou para a geada. Além da mudança
das lavouras para áreas mais seguras há algum tempo, o produtor adota um
manejo próprio para diminuir o efeito desse fenômeno climático.

O café recém-plantado é coberto com terra ou folhagens, enquanto nas
lavouras mais velhas se cobre o tronco da planta com terra para diminuir o
efeito do frio. Esse manejo, segundo ele, é possível porque a Emater atende a pequenos produtores.

Em São Paulo, a Ceagesp, o principal centro de abastecimento de hortifrútis do país, registrou queda no volume de produtos vindos do sul de Minas Gerais e de alguns municípios do sudoeste paulista.

Os preços, porém, voltam ao normal. A alface custava 29% menos na sexta
passada (12) em relação à sexta anterior (5). Nesse período, a rúcula caiu
16%, e o tomate, 1%.

VALOR BRUTO

A produção de grãos sobe, e o Valor Bruto de Produção somará R$ 603
bilhões no ano, com alta de 1%. O valor da pecuária cresce 4%, e o da lavoura fica estável, diz o Ministério da Agricultura.
(Folha de São Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 15/12
Sexta-Feira, 13/12
ICC Brazil apresenta resultados de pesquisa sobre a suplementação de parede celular de levedura no ATA 2019 (16:26)
Com o mercado enxuto, produtor está menos disposto em negociar o milho (12:51)
Boi Gordo: pressão de baixa da indústria foi grande durante esta semana (12:40)
Frango: proximidade das festas reduz demanda por carne de frango (10:50)
Milho abre a sexta-feira mantendo as valorizações em Chicago (10:40)
Acordo EUA-China reduz tarifas e tensão comercial (10:26)
Preços vão subir, e mais milho será importado (10:25)
Líder do MDB articula projeto para reduzir preço da carne (10:24)
STF decide que é crime deixar de recolher o ICMS declarado (10:22)
Alimentação Animal registra 3% de crescimento ao fim do terceiro trimestre (08:15)
Frango: mercado fraco nesta 5ª feira (08:07)
Exportações de suínos até novembro são recordes para o período (08:01)
Suínos: animal vivo segue valorizado (08:00)
Boi: reposição é a mais favorável ao recriador desde Fev/13 (07:52)
Preço da arroba do boi deve continuar elevado em 2020, vê CFO da Marfrig (07:51)
Pressão no mercado do boi gordo (07:50)
Soja em Chicago fecha com leve alta (07:42)
Milho se valoriza em Chicago (07:40)
Plusval abre inscrições para processo seletivo (07:33)
Quinta-Feira, 12/12
Coopavel: 32 perguntas e respostas sobre o 32º Show Rural (17:07)
Produção de ovos bateu novo recorde no 3º trimestre de 2019, aponta IBGE (11:16)
IBGE: abate de frangos cresceu 3,0% em relação ao trimestre anterior (11:15)
Avicultura: Verão 2020 com alimentação nutritiva e saudável (11:11)
‘Nova’ CPR promete injetar bilhões no campo (10:05)
Quarta-Feira, 11/12
Termina nesta semana, dia 13/12, prazo para entrega de trabalhos científicos para o Congresso de Ovos da Apa (14:30)
Boi Gordo: mercado físico mostra resistência em trabalhar em valores menores (13:08)
Milho segue caindo em Chicago, mas perspectiva é de retomada nos próximos dias (12:42)
Soja corrige preços nesta 4ª feira na Bolsa de Chicago (12:30)
ABPA lança site da campanha #BrLivredePSA (11:00)
China impulsiona embarques recorde de frigoríficos (09:37)
STF encerra disputa sobre cesta básica (09:35)
Kemin anuncia investimentos em Transformação Digital (08:49)
Protegendo a qualidade da carne de frango (08:44)
Avicultura 4.0 – Um novo horizonte no processo avícola (08:39)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (08:34)
Desafios do Brasil na defesa sanitária animal (08:32)
Frango: cotações estagnadas nesta terça-feira (08:20)
Suínos: mercado aquecido nesta terça-feira (08:10)
Reino Unido registra caso de gripe aviária pela 1ª vez desde 2017 (08:10)
Boi gordo caiu 6,7% em São Paulo em dezembro (08:09)
Para evitar o tombo, o mercado boi do busca equilíbrio (08:06)
Exportações de carne bovina devem fechar 2019 com resultado recorde (08:05)
Milho encera 3ªfeira em campo misto na Bolsa de Chicago (08:04)
Soja fecha com leve alta nesta 3ª feira em Chicago (08:00)
Safra de grãos de 2020 será recorde e deverá chegar a 240,9 milhões de toneladas (07:50)
Terça-Feira, 10/12
Ovos RS: Ano VII apresenta balanço das atividades e prestação de contas 2019 (11:25)
Boi Gordo impulsiona IPPA/CEPEA em novembro (10:41)
Boi: Mercado físico esteve praticamente vazio de negócios em SP (09:55)
Safra 2020 deve bater recorde de 240,9 milhões de toneladas (09:54)
Milho: Chicago inicia a terça-feira com estabilidade após leve avanço na colheita (09:32)
Frango: mercado misto, mas com expectativa de atividade até o fim da quinzena (08:22)
Suínos: segunda-feira registra mercado aquecido, principalmente SP (08:19)
Soja: mercado fecha com boas altas em Chicago nesta 2ª e favorece preços nos portos do BR (07:57)
Soja em Chicago segue em alta com notícias de compras chinesas nos EUA e recuo do dólar (07:56)
Exportação de milho do Brasil já supera 40 mi t no acumulado do ano (07:55)
Cotações do milho fecham a sessão desta 2ª feira com leves baixas em Chicago (07:50)
Contratações de crédito rural da Safra 2019/2020 somam R$ 93,5 bilhões (07:45)