Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Matérias-Primas

Recorde na exportação de milho
São Paulo, 18 de Junho de 2019 -

Depois de sofrer com quebras de safra no ano passado, o produtor brasileiro de milho tem motivos para comemorar. Devido à antecipação do plantio, a produtividade do ciclo 2018/19 - que está saindo dos campos agora - será recorde. A consultoria Agroconsult projeta rendimento de 101 sacas de 60 quilos por hectare na safrinha. Com isso, a produção da segunda safra deverá somar 74,6 milhões de toneladas, o que significa um aumento de 38% em relação à temporada passada.

Considerando também a safra de verão, já colhida, a produção total de milho no Brasil deverá alcançar 101,2 milhões de toneladas nesta safra 2018/19, crescimento de 25%.

Mas o maior volume colhido, por si só, não seria tão animador. O que beneficia os produtores é a demanda externa, impulsionada pela quebra de safra americana. Além disso, a perspectiva de maior demanda por carnes da China, que sofre com um surto de peste suína africana, tende a aumentar a produção de ração - feita com milho, sobretudo - no país.

"Não fosse a virada com a futura quebra da safra americana, teríamos de fazer o Natal com pamonha", brincou ontem o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessôa, em evento em São Paulo. A consultoria elevou a perspectiva de exportações de 32 milhões para 38 milhões de toneladas, bem acima do recorde de cerca de 30 milhões de 2015 e de 2017. Em 2018, foram 23,5 milhões, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura.

"A dúvida hoje é se 38 milhões é o número mesmo ou se vai ter de revisar para cima", afirmou Pessôa. Segundo ele, o desenvolvimento da safra americana poderá ser pior que o previsto e abrir mais espaço para Brasil e Argentina. Para Cesário Ramalho da Silva, presidente da Aliança Internacional do Milho, dada a boa produtividade as exportações poderão atingir até 40 milhões de toneladas. "E os preços poderão subir com a quebra nos EUA", disse.

Mas esse o otimismo não é unânime. "Não acho que tem mercado para tudo isso. A gente trabalha com um número de até 32 milhões de toneladas", disse Lucas Eduardo de Brito, assistente executivo da A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec). Apesar do cenário mais pessimista traçado, Sérgio Mendes, diretor-executivo da entidade, não descarta reviravoltas. "A gente tem de lembrar que as exportações de milho vão em soluço".

No mercado interno, a demanda também vai ser recorde. A indústria de ração deverá demandar neste ano 51,7 milhões de toneladas, reflexo do aumento das exportações de suínos e frango. Considerando o milho destinado para a produção de etanol, a demanda interna deve chegar a 62,8 milhões de toneladas, conforme a Agroconsult. "Primeira vez na história o consumo vai superar 60 milhões de toneladas", disse Pêssoa. (Colaborou Fernando Lopes)



(Valor) (Kauanna Navarro)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 21/11
Milho se valoriza em Chicago suportado por vendas técnicas nesta 5ª feira (13:28)
Soja mantém estabilidade em Chicago nesta 5ª feira (13:26)
Custos de produção de suínos e de frangos de corte atingem o maior valor do ano em R$/kg vivo em outubro (11:26)
Suínos: poder de compra do suinocultor registra 3º mês consecutivo de alta (10:58)
Boi: na parcial do mês, alta do indicador chega a 19% (10:57)
Kemin debate estratégia de nutrição para dias quentes (09:49)
Ceva participa de curso internacional da Facta sobre matrizes (08:27)
Cenário é favorável para o campo, diz IPEA (08:17)
Ministra conversa com secretário americano sobre importação de carne brasileira (08:15)
Exportação de frango de SC teve o pior mês do ano em outubro (08:12)
Pecuária do MS crescerá 4,8% este ano com impulso da venda de carnes à China (08:09)
Valor Bruto da Produção Agropecuária de 2019 é atualizado para R$ 609,5 bilhões (08:06)
Frango: cotações para ave congelada e resfriada continuam subindo (08:05)
Suínos: cotações aquecidas por aumento de consumo, exportação e alta da carne bovina (08:04)
Milho: disputa comercial e pressão da colheita mantêm quedas em Chicago (08:03)
Soja fecha em baixa com pressão China x EUA (08:00)
Nem mesmo o feriado segura a alta do boi gordo; em São Paulo bate nos R$ 230/@ (07:50)
Quarta-Feira, 20/11
Terça-Feira, 19/11
Milho segue subindo em Chicago nesta terça-feira (13:44)
Soja segue em alta na Bolsa de Chicago nesta 3ª feira (13:30)
Governo prorroga por dois anos contratos temporários de médicos-veterinários do Mapa (11:43)
Anec vê um recorde maior para as exportações de milho do país (11:34)
Mineira Pif Paf compra Fricasa, empresa catarinense de carne suína (11:30)
Evonik investe em capacitação visando excelência na dosagem de aminoácidos (11:17)
O futuro dos antibióticos depende de todos nós (10:44)
Copagril renova certificação internacional de qualidade e segurança de alimentos (10:41)
Frango: alta de 2% no preço do quilo da ave no atacado em São Paulo (08:14)
Cotação do boi gordo está em patamares recordes (08:12)
Suíno: primeira quinzena com mercado valorizado e exportações aquecidas (08:06)
PIB-Agro: pecuária mantém em alta PIB do agronegócio em agosto (08:05)
Valor da produção pecuária do Brasil crescerá 7% com impulso da China, diz CNA (08:04)
Mercado Futuro do boi teve mais um dia de paralisação dos negócios por limite de alta (08:00)
Milho fecha a 2ªfeira em queda influenciada por clima bom no Brasil e incertezas comerciais (07:50)
Soja renova mínimas em Chicago e tem menor preço em 7 semanas nesta 2ª feira (07:45)
Segunda-Feira, 18/11
JBS lança selo de Bem-Estar Animal (16:10)
CNA prevê aumento de 7,2% no valor bruto da Produção Pecuária em 2019 (12:49)
Demanda interna e exportações dão sustentação ao preço do suíno (12:48)
Milho: semana começa com estabilidade para as cotações em Chicago (10:07)
Milho: demanda aquecida segue elevando preços no SPOT (10:06)
Soja: preço no porto fecha acima de R$ 90/sc (10:05)
Soja inicia semana com leves altas em Chicago (08:30)
Cursos FACTA sobre incubação e matrizes reúnem pesquisadores, profissionais do mercado e governo para discutir setor (08:15)
Soja: 6ª feira tem leves variações na Bolsa de Chicago (08:00)
C.Vale faz fusão e arrenda abatedouro da Averama (07:53)
Nunca a demanda por milho do Brasil cresceu tanto, diz SLC Agrícola (07:52)
_EUA poderão vender US$ 1 bilhão por ano à China (07:51)
Brasil vê pouco impacto em reabertura da China ao frango dos EUA (07:50)
Preço da arroba do boi se aproxima de R$200 e tem novo recorde, aponta indicador Esalq/B3 (07:49)
Sexta-Feira, 15/11