Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
Mercado Externo

EUA confirmam ajuda de até US$ 16 bi a produtores
São Paulo, SP, 24 de Maio de 2019 - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou ontem os detalhes do pacote preparado pelo governo para ajudar os produtores rurais do país a minimizar os reflexos negativos das disputas comerciais entre Washington e Pequim.

Segundo o USDA, o presidente Donald Trump autorizou a liberação de até US$ 16 bilhões para programas de apoio aos produtores, montante em linha com o impacto estimado das tarifas retaliatórias aplicadas pela China depois que os EUA sobretaxaram mais produtos do país asiático.

A jornalistas, Sonny Perdue, secretário de Agricultura dos EUA, afirmou que a China vem desrespeitando regras comerciais e referentes à propriedade intelectual há muito tempo e Trump está enviando uma mensagem clara de que os americanos não vão mais tolerar essa situação.

Nesse contexto, explicou Perdue, o Programa de Facilitação de Mercado (MFP, na sigla em inglês), administrado pela Farm Service Agency (FSA), foi melhorado e fornecerá US$ 14,5 bilhões em pagamentos diretos este ano.

O USDA também informou que produtores de itens como, cevada, milho, algodão, arroz, feijão, sorgo, soja e trigo, entre outros, receberão pagamentos compensatórios baseados em uma única taxa multiplicada pelo total de plantações em 2019.

Esses pagamentos não dependem de quais culturas foram ou estão sendo semeadas em 2019 —, portanto, segundo o USDA, não distorcerão as decisões de plantio. Além disso, pontuou o USDA, o total de plantações elegíveis para pagamento não poderá exceder o plantio total de 2018.

Os produtores de laticínios receberão pagamentos de acordo com o histórico de produção e os de suínos serão apoiados com base nos estoques. Em geral, os pagamentos serão feitos em até três parcelas, com a segunda e terceira parcelas avaliadas conforme condições de mercado e oportunidades comerciais ditadas.

A primeira parcela começará a ser paga entre o fim de julho e o início de agosto. Se as condições exigirem, a segunda e a terceira parcelas serão desembolsadas em novembro e no início de janeiro.

O USDA informou, ainda, que será implantado mais um Programa de Compra e Distribuição de Alimentos (FPDP), desta feita de US$ 1,4 bilhão,  para enxugar excedentes afetados por retaliações comerciais, como frutas, vegetais, alguns alimentos processados, carne bovina, carne suína, cordeiro, aves e leite e direcioná-los a bancos de alimentos e escolas, por exemplo.

A administração Trump não descarta novos pacotes de ajuda do gênero, a depender de como evoluírem as negociações comerciais com a China. No ano passado, Washington já havia oferecido US$ 12 bilhões aos produtores, também por causa da guerra.

No mercado de soja, carro-chefe do agronegócio no Brasil — maior exportador do mundo e que disputa com os EUA a liderança na produção global —, teme-se que o novo pacote resulte no aumento do plantio naquele país na safra 2019/20, apesar da taxa de 25% imposta pela China ao grão americano e dos baixos preços na bolsa de Chicago.

Isso porque a ajuda do governo deverá provocar um aumento do valor pago por bushel em relação ao patamar praticado em Chicago — ontem os contratos futuros de segunda posição de entrega fecharam a US$ 8,2825 por bushel. Mas o estímulo, avaliam analistas, deverá ser menor que o esperado pelo mercado, que o avaliava em US$ 2 por bushel. “Eu não acredito que os pagamentos chegarão a tal patamar. Os detalhes são desconhecidos neste momento”, disse analista Karl Setzer, da consultoria Agrivisor.

Em Chicago, a quebra de expectativa gerou um movimento generalizado de realização de lucros, levando os contratos de soja, com vencimento em agosto, caírem mais 0,87% — 7,25 centavos de dólar.

Segundo um executivo de uma grande trading, como muitos produtores estão com problemas para plantar milho por causa de adversidades climáticas e a janela de semeadura do cereal está se fechando, a soja poderá ser uma boa opção. Nesse caso, a tendência é de aumento da pressão sobre as cotações internacionais.

(Valor) (Kauana Navarro, Fernanda Pressinott, Fernando Lope)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 19/09
Suínos: produção se intensifica no segundo trimestre (10:11)
Boi: indicador sobe e atinge recorde nominal na série do CEPEA (10:10)
Novus reconhece empresas sustentáveis no Jantar do Galo em Minas Gerais (09:53)
Ministra pede reabilitação de frigoríficos de frango (08:45)
Entenda como a reforma tributária pode afetar o produtor rural (08:44)
Aurora divulga nota de esclarecimento sobre instalações industriais de Xaxim (SC) (08:43)
PIB do agronegócio cresce 0,53% no primeiro semestre (08:26)
Frango Vivo: cotações ficam estáveis nesta quarta-feira (08:24)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 4,29% (08:22)
Alta no preço do boi gordo em São Paulo (08:11)
Soja ainda mantém cautela em Chicago e nesta 5ª espera números de exportações dos EUA (08:07)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira em alta (08:00)
Quarta-Feira, 18/09
32ª Reunião CBNA: Inscrição de trabalhos científicos até 26 de setembro (12:51)
Milho: Mercado futuro opera com ligeiras perdas na manhã desta 4ª feira na CBOT (10:18)
Soja trabalha estável em Chicago nesta 4ª feira e espera notícias para definir direção (10:17)
Plantio de milho 2019/20 do Paraná atinge 24% da área, diz Deral; soja segue zerada (10:04)
ASGAV e SIPS entregam report de participação no SIAVS 2019 (09:56)
Venda de carne de frango tem queda em Santa Catarina (09:38)
Primeiro evento da Aviagen na Colômbia sinaliza expansão e sucesso na América Latina (08:47)
Trabalhos científicos serão recebidos pela APA para o Congresso de Ovos até o dia 13/12/2019 (08:29)
Arábia Saudita abre mercado para frutas e derivados de ovos do Brasil (08:24)
Frango Vivo: cotações registram estabilidade (08:17)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 3,56% (08:16)
Preço do boi gordo sobe no Norte de Minas Gerais (08:13)
Milho: Bolsa de Chicago cai até 1,60% nesta terça-feira (08:05)
Negócios com a soja travam no Brasil (08:00)
Terça-Feira, 17/09
Valor Bruto da Produção Agropecuária deve atingir R$ 601,9 bi em 2019, segundo maior em 30 anos (13:31)
Ovo: fonte de selênio (13:00)
Equipe econômica volta a debater Refis de R$ 11 bi no Funrural (09:30)
Aviagen destaca o compromisso com o mercado avícola latino-americano no SIAVS 2019 (08:58)
Rebanho suíno da China diminuiu 38% em agosto (08:38)
Biomin, Sanphar e Romer Labs participam, juntas, do XXVI Congresso Latino-Americano de Avicultura, em Lima (Peru) (08:16)
Frango Vivo: Santa Catarina tem alta de 5,96% nesta segunda (08:10)
Suíno Vivo: MG, SC e SP registram alta (08:09)
Coreia do Sul detecta primeiro surto de peste suína africana, diz ministério (08:08)
Mercado do boi inicia segunda quinzena com preços firmes (08:07)
Milho sobe 1,63% na Bolsa de Chicago (08:00)
Soja: Mercado fecha estável em Chicago, mas sobe mais de 1% no interior do Brasil (07:45)
Na Arábia Saudita, Tereza Cristina debate cooperação técnica e tem encontro com setor avícola (06:54)
Santa Catarina alcança faturamento de US$ 2 bilhões com exportação de carnes em 2019 (06:53)
Arábia Saudita busca forragem para ração do Brasil (06:52)
Segunda-Feira, 16/09
Abate de aves registra alta no RS (15:04)
Vetanco destaca importância de sua participação no Siavs (13:24)
Luciano Mecchi é o novo gerente da equipe Safeeds (13:22)
Milho: demanda eleva indicador, mas preços recuam no centro-oeste (13:10)
Soja: preço recua no Brasil, mas queda é limitada por alta externa (13:09)
Na Arábia Saudita, Tereza Cristina debate cooperação técnica e tem encontro com setor avícola (12:26)
A importância da nutrição precoce no desempenho e na saúde de frangos de corte e a relevância do plasma spray dried nesse contexto (10:11)
Como criar galinha virou negócio de R$ 1 milhão – só pra começar (07:04)
As dores de crescimento da escala necessária para alimentar o Planeta (07:02)
Safra do milho deve crescer pelo segundo ano consecutivo no RS (07:01)
China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua (07:00)
Avicultura de corte destaca-se no VBP agropecuário do Paraná (06:59)
Venda de carne para a China sobe a régua da balança comercial de Mato Grosso (06:58)
Suíno Vivo: São Paulo tem alta de 0,90% (06:25)
Os preços do boi gordo e da novilha subiram em São Paulo (06:23)
Sexta-feira acaba com estabilidade, mas milho sobe mais de 3% na semana em Chicago (06:18)
Soja: mercado brasileiro terminou a semana com queda de mais de 20% nos prêmios (06:00)
Sexta-Feira, 13/09
Milho: Chicago registra leves valorizações para as cotações nesta sexta-feira (13:52)
Exportações do agronegócio caíram 11% em agosto, para US$ 8,3 bi (09:04)
Frango: aumenta diferença entre preços interno e externo (08:28)
Suíno Vivo: três estados registraram alta nesta quinta-feira (08:18)
Mercado do boi gordo segue sustentado (08:10)
Milho: cotações sobem cerca de 2% em Chicago (08:07)
Soja sobe quase 30 pontos em Chicago nesta 5ª feira (08:00)