Quarta-feira, 19 de Junho de 2019
Empresas

Venda de participação em ativos no Oriente Médio no foco da BRF
São Paulo, SP, 22 de Maio de 2019 - Em busca de um sócio estratégico para ingressar no mercado de carne de frango da Arábia Saudita, a BRF pode oferecer uma participação minoritária em alguns de seus ativos no Oriente Médio, conforme apurou o Valor.

De acordo com duas fontes consultadas pela reportagem, a companhia brasileira pode envolver os negócios de distribuição que possui na região e a fábrica de alimentos que detém em Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes Unidos. Procurada, a BRF não comentou.



Na prática, a operação ajudaria a companhia em duas frentes. Financeiramente, aceleraria o processo de redução do endividamento. Estrategicamente, a associação com um parceiro que esteja alinhado à política de substituição de importações da Arábia Saudita abriria caminho para a BRF se estabelecer no país como uma criadora e processadora de frango, e não apenas exportadora. Atualmente, o país é o segundo maior importador do frango produzido no Brasil. Nos mercados muçulmanos como um todo, as vendas da BRF renderam R$ 8 bilhões no ano passado.

Como forma de reduzir as importações e estimular a produção local de aves, o Estado saudita aplicou diversas restrições contra a carne de frango importada do Brasil nos últimos anos. Nesse cenário, a BRF já admitiu que precisa de um parceiro no país para produzir frango e evitar a perda de um de seus principais mercados. O objetivo da Arábia Saudita é produzir localmente 60% da demanda doméstica por frango até 2030.

Embora os valores de uma eventual associação no Oriente Médio ainda não estejam claros, a avaliação é que, caso decida vender uma participação entre 30% e 35% dos ativos de distribuição no Oriente Médio e da sua fábrica na região, a companhia poderia angariar até mais que os R$ 1,3 bilhão obtidos com a venda à americana Tyson Foods dos ativos na Tailândia e Europa. Essa foi a principal alienação do programa de desinvestimentos com o qual a BRF obteve cerca de R$ 4 bilhões.

De acordo com uma das fontes, a companhia brasileira inevitavelmente receberá dinheiro na associação, porque o investimento necessário para começar a produzir frango na Arábia Saudita não é dos mais altos, ao menos em um primeiro momento. Em contrapartida, a BRF ofereceria ao eventual sócio no Oriente Médio um conjunto de ativos no qual investiu centenas de milhões de dólares para reunir.

Na área de distribuição, a BRF é dominante nos Emirados Árabes Unidos, Omã, Kuwait e Catar. A posição da empresa nessa área foi construída entre 2012 e 2016, com as aquisições das empresas que distribuiam produtos da marca Sadia na região: Federal Foods, Al Khan Foods, Alyasra Food e QNIE.

Para adquirir esses ativos, a BRF gastou (incluindo a assunção de dívidas) cerca de US$ 430 milhões. Na fábrica de Abu Dhabi, inaugurada em 2014, a empresa investiu US$ 160 milhões. Posteriormente, a unidade teve sua capacidade ampliada em cerca de 40% (o valor do investimento não foi divulgado na ocasião).

Nesse processo de ampliação das atividades no Oriente Médio, portanto, a BRF investiu ao menos US$ 590 milhões - o equivalente a quase R$ 2,4 bilhões considerando a cotação de ontem - nos ativos que podem ser oferecidos a um sócio na região.

Esse cálculo desconsidera a produtora de carne de frango turca Banvit, adquirida por cerca de US$ 340 milhões no início de 2017. A empresa foi comprada pela BRF em sociedade com o fundo soberano do Catar (QIA). Nas tratativas para atrair um parceiro que abra as portas da Arábia Saudita, é difícil que a Banvit seja incluída. As relações diplomáticas entre os sauditas e os catarianos estão estremecidas e o abastecimento de carne de frango é assunto de Estado para os sauditas.

Diante desse processo, há outros candidatos possíveis e mais alinhados ao governo saudita. Um deles é a gestora Saudi Agriculture and Livestock Investment Company (Salic), que no passado recente demonstrou interesse pelas operações de frango halal (voltados ao mercado muçulmano) da BRF. A Salic pertence ao reino saudita e, no Brasil, é a maior acionista da Minerva Foods, produtora de carne bovina.

Em entrevista concedida ao Valor em março, Patricio Rohner, executivo que comanda as operações internacionais da BRF, disse que já havia escolhido as empresas com as quais deseja se associar para ingressar no mercado saudita. O executivo não revelou nomes, mas afirmou que um acordo poderia ocorrer no curto prazo - de seis meses e um ano.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 19/06
Terça-Feira, 18/06
Brasil exportará recorde de 38 mi t de milho no ano, com vendas até aos EUA, diz Agroconsult (11:02)
GTFoods comemora 27 anos (09:01)
Recorde na exportação de milho (08:59)
Plano Safra confirma crédito mais caro (08:56)
Maior produtora de carne dos EUA lança hambúrguer que usa ervilha (07:29)
Saem de Paranaguá, no litoral paranaense, 38% das exportações brasileiras da carne de frango (07:28)
Segunda-Feira, 17/06
2a Conbrasul Ovos destaca transformação global da produção de ovos e desafios do setor na manha desta segunda 17 (13:15)
Valor da Produção Agropecuária de 2019 é de R$ 600,93 bilhões (13:12)
Controle de cascudinhos é tema de palestra no Espírito Santo (11:39)
Preço firme do milho, apesar de safra recorde, testa setor de carnes do Brasil (11:07)
AVES participa de debate sobre a incorporação da Laticínios Veneza a Coopeavi (08:41)
MSD Saúde Animal apoia 2ª Edição do Conbrasul (08:39)
Jinc abre inscrições para a 13ª edição em Concórdia-SC (08:35)
Aviagen América Latina e Pluma Agroavícola Reforçam Compromisso para o Crescimento de Seus Negócios (08:30)
Acordo sanitário com a China deve ser revisado (08:28)
Ministério prevê retomada da venda de carne aos EUA (08:15)
Brasil acionará OMC para contestar barreira da Indonésia a carne de frango (08:13)
Cotações do milho registram maior patamar dos últimos 5 anos na Bolsa de Chicago (08:12)
Soja: Com boas e persistentes chuvas previstas nos EUA, mercado fecha 6ª em alta na CBOT (08:05)
Mais real e apenas com o 'boi China' melhor, mercado do boi renova esperança para esta semana (08:04)
Brasil recorre à OMC contra barreira da Indonésia ao frango brasileiro (07:47)
Sexta-Feira, 14/06
Redução do uso de Antibióticos é tema de palestra promovida pela Vetanco (12:53)
Prevenção contra a PSA (11:11)
É hora de reorganizar os negócios, diz CEO da BRF (06:35)
Frigoríficos já podem retomar exportação de carne bovina à China (06:33)
Consumo de carne suína em baixa na China (06:31)
Mercado do boi 'acordou' mais tarde, reagiu e já mostrou negócios pré crise da vaca louca (06:27)
Mercado do boi gordo está ganhando firmeza (06:25)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (06:21)
Governo gaúcho reativa Câmaras Setoriais e Temáticas (06:18)
Conselho do Agro debate reforma tributária (06:17)
Abatedouro de aves é inaugurado no Parque Agroindustrial de Gurupi (GO) (06:15)
Justiça alemã valida morte de milhões de pintos machos na indústria (06:14)
Autoridades brasileiras e argentinas pedem corredor do milho e internacionalização de aeroporto (06:13)
Consumir carne de frango ao invés da bovina já diminui impactos ambientais (06:12)
Em 2040, 60% da carne consumida no mundo não será de origem animal (06:09)
Saldo da balança do agronegócio foi de US$ 8,6 bilhões em maio (06:07)
Mercado do milho fecha a sessão desta 5ª com com forte avanço em Chicago (06:06)
Soja: produtor brasileiro tem momento de melhores patamares em Chicago e prêmios altos (06:03)
Quinta-Feira, 13/06
SP: Preços Agropecuários recuam 1,76% no fechamento do mês de maio (15:05)
Suínos: liquidez aquecida nos mercados interno e externo eleva preços (14:41)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (12:11)
Setor de equipamentos participa em peso do SIAVS 2019 (12:09)
IBGE: abate de frangos, no 1º trimestre, recua 2,0% em relação ao mesmo período de 2018 (11:27)
Ovos de galinha: produção cresce 6,0% e tem melhor 1º tri desde 1997, diz IBGE (11:26)
Korin investe em fábrica para ração de frangos (08:23)
Subprodutos fazem milho dos EUA mais competitivo (08:21)
Cooperativas de crédito ganham força (08:19)
Marfrig descarta ter que comprar ações da National Beef (08:15)
Mercado do boi ganha firmeza (08:10)
Previsão de mais chuvas e incerteza sobre produção deixa milho levemente mais valorizado nesta 4ª feira em Chicago (08:05)
Soja sobe quase 20 pts em Chicago nesta 4ª feira (08:00)