Domingo, 19 de Maio de 2019
Exportação

Missão a Pequim terá dificuldade para habilitar frigoríficos
Genebra, 13 de Maio de 2019 -

O Valor apurou que a tarefa da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que começa na quarta-feira (15) em Pequim, será muito difícil se ela não chegar com todas as explicações e garantias fitossanitárias exigidas pelas autoridades chinesas para liberar gradualmente a entrada das carnes brasileiras.

A avaliação é que há uma expectativa irreal do Ministério da Agricultura e de frigoríficos brasileiros sobre o que pode ser obtido nessa viagem. Nada é impossível na China, mas parece remota a possibilidade de anúncio de habilitação de novos estabelecimentos brasileiros na semana que vem.

O mais realista, na visão de quem conhece o tema, é que a ministra da Agricultura e seu colega chinês se entendam sobre quais informações estão faltando, para Pequim tomar sua decisão final, e esperar algum anúncio por volta de julho ou agosto.

A missão da ministra Teresa Cristina é ainda mais importante porque a China lidera as importações de carnes brasileiras. Em 2018, o país  exportou US$ 2,593 bilhões em carnes para o mercado chinês, representando 17,6% do total das exportações do produto, conforme dados do Ministério da Agricultura.

Com o número de pedidos de habilitação aumentando, Pequim enviou em novembro do ano passado uma missão ao Brasil. Ocorre que o resultado foi ruim para os brasileiros. Os chineses dizem ter detectado problemas fitossanitários em 8 dos 11 estalecimentos para exportação investigados.

Além disso, as críticas não se limitaram aos frigoríficos. Pequim questionou aspectos do sistema de controle sanitário brasileiro como um todo.

A partir daí, a China enviou questionários para o Ministéiro da Agricultura responder. Algumas respostas tinham informações anteriores à visita da missão chinesa. Outros comentários não tinham relação com o que Pequim indagava.

O sentimento na China é que o Brasil considera que a habilitação dos frigoríficos para exportar é uma questão meramente política entre Pequim e Brasília, quando na verdade pressupõe o atendimento de exigências técnicas.

Aparentemente, muitos no Brasil acreditam que Pequim poderia ser flexível porque precisa importar carnes, ainda mais com o surto de peste suína africana que atinge o país.

Ocorre que, como todo grande país, a China não quer ficar dependente de poucos exportadores. Enquanto sustenta que o Ministério da Agricultura brasileiro responde só parcialmente seus questionamentos, Pequim sabe que acabará concluindo um acordo com os EUA e abrirá o mercado de novo para as carnes americanas.

Também a Rússia vem conseguindo habilitar um bom número de estabelecimentos exportadores de carne de frango para vender ao país asiático, e a França conseguiu reabrir o mercado chinês para seu produto.

O Brasil é competitivo. Mas, no caso específico do frango, durante cinco anos o Brasil não vai poder baixar o preço da carne, por um acordo firmado com Pequim para evitar uma sobretarifa elevada. Significa que a capacidade brasileira de concorrer em preço está excluída por um bom tempo.

(Valor) (Assis Moreira)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 19/05
Sexta-Feira, 17/05
Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril (16:21)
Concurso de Qualidade de Ovos tem data definida (16:14)
Evonik foca sua participação no Simpósio Goiano de Avicultura em seu portfólio de produtos para saúde intestinal (15:19)
Frango: alta no valor da carne suína eleva competitividade (15:10)
Exportadores de aves e suínos fecham US$ 148,7 milhões em negócios durante a SIAL China 2019 (15:06)
Palestra Sobre Sucessão Familiar na 5ª FAVESU (13:08)
Nelson Barbudo contra a carne de laboratório (09:35)
Com influências de plantio, dólar e até peste suína, negociações de commodities se complicam (08:27)
China frustra expectativas de frigoríficos (08:20)
Exportações brasileiras de carnes cresceram 41% em abril (08:16)
Mercado do boi: pressão de baixa perdendo força (08:12)
Soja e milho têm novo dia de altas em Chicago (08:00)
Paraná é referência nacional na implantação de Cadecs (07:09)
Quinta-Feira, 16/05
Boi Gordo: preço do bezerro sobe, mas arroba permanece estável e poder de compra cai (11:00)
Demanda externa provoca reabertura de frigoríficos (10:55)
Ceva promove eventos sobre laringotraqueite infecciosa pelo país (10:44)
Confira a programação completa da 5ª Favesu (09:37)
Limpadora de ovos fica sem receber adicional de insalubridade de granja (09:09)
Governo costura nova medida para elevar disputa no crédito (08:16)
Mercado do Boi Gordo interrompe a queda por um dia para depois retomar rumo de baixa (08:10)
Cotações perdem força, mas milho encerra a quarta-feira ainda em alta na Bolsa de Chicago (08:08)
Preços da soja sobem forte no Brasil nesta 4ª feira (08:05)
Ministério muda regras para ingresso de produtos de origem animal no país (08:03)
Exportações do agro somam US$ 30,42 bi no quadrimestre (07:58)
Consultoria jurídica da CNA beneficia produtores integrados de aves e suínos (07:36)
Agronegócio reúne 70 deputados na maior frente parlamentar da Alesp (07:34)
Criada há três anos, Lei da Integração trouxe equilíbrio entre produtores e agroindústria (07:32)
Quarta-Feira, 15/05
Ceva apresentará no Simpósio Goiano de Avicultura dados da vacina Cevac IBras (11:22)
Cobb-Vantress realiza Escola Técnica Cobb+Aurora e homenageia a empresa pelos 50 anos de história (11:18)
Veja os convidados confirmados do AveLive (09:40)
Conferência FACTA WPSA-Brasil: como a avicultura deve se preparar frente nova demanda? (09:18)
Com crédito, JBS reduz desembolso de imposto de renda (08:23)
Nos laboratórios, a carne do futuro está quase no ponto (08:05)
Oferta de boiadas melhora e pressão de baixa ganha força (08:01)
Cotações do milho disparam em Chicago nesta terça-feira (07:59)
Brasil negocia cerca de 2 mi de t de soja nesta 3ª feira com disparada dos preços em Chicago (07:57)
União Europeia volta a ser o principal destino das vendas externas paulistas (07:55)
Apesar do jejum, Ramadã faz crescer demanda por alimentos (07:10)
Terça-Feira, 14/05
1º trimestre: Abate de bovinos e suínos mantém crescimento; o de frangos recua (11:43)
China terá mais demanda por carnes por causa de peste suína africana, dizem executivos de banco (11:28)
No Simpósio Goiano de Avicultura, Aviagen foca sua participação na divulgação de sua ave Ross 308 AP (09:52)
Produção de ovos tem primeira queda em 22 anos (09:49)
Emater-DF apresenta novas tecnologias na AgroBrasília (09:47)
Desperdícios no processo produtivo de rações (09:08)
Avaliação e controle da qualidade de pintos de 1 dia (09:05)
Ex-ministro da Agricultura alerta para risco de contaminação do vírus no país (08:38)
Lucro da JBS dobra no 1º trimestre e supera R$ 1 bilhão (08:36)
Peste suína na China começa a inflar exportação do Brasil (08:29)
Soja: Chicago tem altas de dois dígitos nesta 3ª feira (08:24)
Boi segue em recuo e mais pressão virá da queda da carcaça casada e da desova (08:10)
Conferência FACTA debaterá a responsabilidade da avicultura em alimentar o mundo (08:07)
Atraso no plantio do milho nos EUA sustenta altas em Chicago (08:02)
Soja sobe até 3% no interior do Brasil (08:00)
1º Diálogo Técnico MAPA e Setor de Reciclagem Animal (07:33)
PIB do agronegócio mineiro cresce 3,55% em 2018 (07:20)
Veja como devem ficar as cotações do milho até o fim de 2019 (07:19)
BRF inicia produção de produtos comemorativos para o Natal (07:18)