Domingo, 19 de Maio de 2019
Matérias-Primas

Soja: prêmios sobem mais de 20% no Brasil

Produtores ainda seguram vendas.
Campinas, SP, 09 de Maio de 2019 - Se o mercado internacional da soja vinha buscando recuperar-se depois da turbulência do início da semana, voltou a perder força ontem, quarta-feira (8), e fechou o pregão na Bolsa de Chicago em campo negativo. Os contratos mais negociados terminaram o dia com perdas de pouco mais de 3 pontos e o contrato julho/19 voltando a atuar abaixo dos US$ 8,30 por bushel, ficando em US$ 8,27.

Se os preços recuaram na CBOT, no Brasil o destaque se deu para os prêmios, que subiram entre 20 e 25% nesta quarta-feira, com as principais posições de entrega variando entre 35 e 60 cents de dólar no terminal de Paranaguá. Nos melhores momentos do dia, até 70 centavos foram registrados.

E a tendência é de que os prêmios pagos pela soja brasileira sigam, de fato, se valorizando, e podem se mostrar ainda melhores no segundo semestre, como acredita o consultor de mercado Vlamir Brandalizze. A demanda está forte ainda pela soja do Brasil e a China, maior compradora mundial, segue focada no mercado brasileiro ao estar ainda em guerra comercial com os EUA.

"E os chineses já sinalizaram que agora o jogo vai ser mais duro", diz Brandalizze, citando o últimos acontecimentos, que exerceram forte pressão sobre as cotações internacionais, e enquanto o conflito comercial perdurar, a demanda da nação asiática pela oleaginosa norte-americana continuará praticamente sem acontecer.

O vice-premier da China, Liu He, chega a Washington para uma visita de dois dias de continuidade das negociações que poderiam dar fim à guerra comercial entre os dois países que já dura mais de um ano. A estada de He será mais curta do que o inicialmente planejado e uma coisa é certa: os chineses não farão mais concessões aos americanos.

No entanto, em seu Twitter, novamente o presidente americano Donald Trump se posicionou nesta quarta-feira (8), acusando a China de estar esperando para negociar com democratas depois das eleições do ano que vem.

A declaração do presidente americano veio na sequência de um anúncio oficial de Pequim que não há escolha para o governo da China a não ser responder a qualquer escalada tarifária imposta pelos EUA. "O aumento das tensões comerciais, porém, não atende aos interesse nem ao povo dos dois países ou do mundo", se posicionou o Ministério do Comércio da China nesta quarta-feira.

Ainda como explica o consultor, o Brasil já tem cerca de 60% de sua safra 2018/19 de soja comercializada e, deste total, cerca de 70% tem destino China. E nesta quarta-feira, dados da Administração Geral das Alfândegas do país asiático informou que suas importações da commodity, em abril, foram 10,7% maiores do que as do mesmo mês do ano passado.

As compras chinesas foram de 7,64 milhões de toneladas, contra 6,9 milhões de abril de 2018, e frente as 4,92 milhões de março, registrando, portanto, um aumento de 55% no mês.

O gráfico a seguir mostra dados da Administração Geral de Alfândegas da China e da Reuters, compilados pela especialista internacional Karen Braun, sobre as importações mensais de soja da China nos últimos seis anos.

A linha preta, que mostra 2019, confirma que nos primeiros meses deste ano, o volume já adquirido pelos chineses está ligeiramente abaixo de anos anteriores, neste mesmo período, no entanto, apresentando um aumento de mês a mês.

Importações de soja da China

No Brasil, com esse cenário, os negócios acontecem, mas ainda de forma pontual. "Estão todos ainda apreensivos e esperando pelo que vai acontecer. O produtor ainda está segurando suas vendas, enquanto os compradores deverão ficar mais agressivos por aqui. O que temos visto é o produtor vender de acordo com suas necessidades", diz o consultor da Brandalizze Consulting.

Os indicativos nos portos se mostram ainda variando na casa de R$ 75,00 a R$ 76,00 - nos melhores momentos do dia -, por parte dos compradores, enquanto os vendendores mantém seu foco em pelo menos R$ 80,00 por saca. "Nós não veremos uma corrida de venda por parte dos produtores", explica Brandalizze.

O outro suporte que os preços da soja encontram no mercado brasileiro vêm do câmbio. Apesar da queda observada nesta quarta, o dólar ainda se mantém acima dos R$ 3,90, o que serve como um colchão para as cotações do produto nacional. Ontem, a divisa chegou a bater, mais uma vez, nos R$ 4,00 diante da cena política confusa no Brasil e das tensões entre China e EUA agravadas.

"E enquanto o câmbio se mantiver acima dos R$ 3,90, o risco é menor", diz o consultor.

MERCADO INTERNACIONAL

As baixas em Chicago foram motivadas ainda pelas preocupações com a guerra comercial. "Os traders estão monitorando qualquer novidades nas negociações, principalmente em como elas irão influenciar na demanda chinesa por produtos americanos", explicam os analistas da consultoria internacional Allendale, Inc.

Ademais, os traders se ajustam - no meio da visita do vice-premier chinês Liu He a Washington entre quinta e sexta-feiras desta semana - à divulgação do novo boletim mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Este reporte traz ainda as primeiras estimativas para a temporada 2019/20 e já provoca as especulações do mercado.

O que, por outro lado, limita essas baixas são as preocupações com o clima no Meio-Oeste americano. As chuvas excessivas e o frio ainda preocupam e mantêm os trabalhos de campo bastante atrasados nos EUA.

Casa Branca diz que China indicou querer acordo comercial

WASHINGTON (Reuters) -
Os Estados Unidos receberam sinais de que a China quer chegar a um acordo, disse a porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders a repórteres nesta quarta-feira, após Washington anunciar elevação de tarifas sobre 200 bilhões de dólares em produtos chineses.

As delegações comerciais de China e EUA vão se encontrar para a última rodada de negociações nesta quinta-feira.

"Temos uma indicação de que eles querem fazer um acordo", disse Sanders a repórteres. "Nossas equipes estão em negociações contínuas. Elas vão se sentar para conversar amanhã. Vamos ver o que acontece a partir daí."

Mais cedo, a Reuters publicou, citando fontes do governo e do setor privado dos EUA, que a China recuou em quase todos os aspectos de um acordo preliminar de comércio com país.

Os Estados Unidos vão elevar na sexta-feira as tarifas de 200 bilhões de dólares em importações chinesas, dos atuais 10 por cento para 25 por cento, segundo o Federal Register.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse no Twitter nesta quarta-feira que ficaria "muito feliz com mais de 100 bilhões de dólares por ano em tarifas para os cofres dos EUA".
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 19/05
Sexta-Feira, 17/05
Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril (16:21)
Concurso de Qualidade de Ovos tem data definida (16:14)
Evonik foca sua participação no Simpósio Goiano de Avicultura em seu portfólio de produtos para saúde intestinal (15:19)
Frango: alta no valor da carne suína eleva competitividade (15:10)
Exportadores de aves e suínos fecham US$ 148,7 milhões em negócios durante a SIAL China 2019 (15:06)
Palestra Sobre Sucessão Familiar na 5ª FAVESU (13:08)
Nelson Barbudo contra a carne de laboratório (09:35)
Com influências de plantio, dólar e até peste suína, negociações de commodities se complicam (08:27)
China frustra expectativas de frigoríficos (08:20)
Exportações brasileiras de carnes cresceram 41% em abril (08:16)
Mercado do boi: pressão de baixa perdendo força (08:12)
Soja e milho têm novo dia de altas em Chicago (08:00)
Paraná é referência nacional na implantação de Cadecs (07:09)
Quinta-Feira, 16/05
Boi Gordo: preço do bezerro sobe, mas arroba permanece estável e poder de compra cai (11:00)
Demanda externa provoca reabertura de frigoríficos (10:55)
Ceva promove eventos sobre laringotraqueite infecciosa pelo país (10:44)
Confira a programação completa da 5ª Favesu (09:37)
Limpadora de ovos fica sem receber adicional de insalubridade de granja (09:09)
Governo costura nova medida para elevar disputa no crédito (08:16)
Mercado do Boi Gordo interrompe a queda por um dia para depois retomar rumo de baixa (08:10)
Cotações perdem força, mas milho encerra a quarta-feira ainda em alta na Bolsa de Chicago (08:08)
Preços da soja sobem forte no Brasil nesta 4ª feira (08:05)
Ministério muda regras para ingresso de produtos de origem animal no país (08:03)
Exportações do agro somam US$ 30,42 bi no quadrimestre (07:58)
Consultoria jurídica da CNA beneficia produtores integrados de aves e suínos (07:36)
Agronegócio reúne 70 deputados na maior frente parlamentar da Alesp (07:34)
Criada há três anos, Lei da Integração trouxe equilíbrio entre produtores e agroindústria (07:32)
Quarta-Feira, 15/05
Ceva apresentará no Simpósio Goiano de Avicultura dados da vacina Cevac IBras (11:22)
Cobb-Vantress realiza Escola Técnica Cobb+Aurora e homenageia a empresa pelos 50 anos de história (11:18)
Veja os convidados confirmados do AveLive (09:40)
Conferência FACTA WPSA-Brasil: como a avicultura deve se preparar frente nova demanda? (09:18)
Com crédito, JBS reduz desembolso de imposto de renda (08:23)
Nos laboratórios, a carne do futuro está quase no ponto (08:05)
Oferta de boiadas melhora e pressão de baixa ganha força (08:01)
Cotações do milho disparam em Chicago nesta terça-feira (07:59)
Brasil negocia cerca de 2 mi de t de soja nesta 3ª feira com disparada dos preços em Chicago (07:57)
União Europeia volta a ser o principal destino das vendas externas paulistas (07:55)
Apesar do jejum, Ramadã faz crescer demanda por alimentos (07:10)
Terça-Feira, 14/05
1º trimestre: Abate de bovinos e suínos mantém crescimento; o de frangos recua (11:43)
China terá mais demanda por carnes por causa de peste suína africana, dizem executivos de banco (11:28)
No Simpósio Goiano de Avicultura, Aviagen foca sua participação na divulgação de sua ave Ross 308 AP (09:52)
Produção de ovos tem primeira queda em 22 anos (09:49)
Emater-DF apresenta novas tecnologias na AgroBrasília (09:47)
Desperdícios no processo produtivo de rações (09:08)
Avaliação e controle da qualidade de pintos de 1 dia (09:05)
Ex-ministro da Agricultura alerta para risco de contaminação do vírus no país (08:38)
Lucro da JBS dobra no 1º trimestre e supera R$ 1 bilhão (08:36)
Peste suína na China começa a inflar exportação do Brasil (08:29)
Soja: Chicago tem altas de dois dígitos nesta 3ª feira (08:24)
Boi segue em recuo e mais pressão virá da queda da carcaça casada e da desova (08:10)
Conferência FACTA debaterá a responsabilidade da avicultura em alimentar o mundo (08:07)
Atraso no plantio do milho nos EUA sustenta altas em Chicago (08:02)
Soja sobe até 3% no interior do Brasil (08:00)
1º Diálogo Técnico MAPA e Setor de Reciclagem Animal (07:33)
PIB do agronegócio mineiro cresce 3,55% em 2018 (07:20)
Veja como devem ficar as cotações do milho até o fim de 2019 (07:19)
BRF inicia produção de produtos comemorativos para o Natal (07:18)