Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
Matérias-Primas

Soja fecha com mais de 15 pts de baixa em Chicago e preços caem mais no Brasil
Campinas, SP, 24 de Abril de 2019 - As baixas no mercado da soja se intensificaram na tarde desta terça-feira (23) e os preços da oleaginosa terminaram o dia com perdas de mais de 15 pontos nos principais vencimentos. O maio terminou o dia com US$ 8,62 e o agosto, US$ 8,81 por bushel. E o mercado, que vem renovando suas mínimas, se agarra em qualquer nova informação que possa ajudá-lo a operar com um pouco mais de força neste momento.

Segundo explica o analista de mercado Marcos Araújo, da Agrinvest Commodities, o recuo dos preços reflete, entre outros fatores as expectativas de uma melhora do cenário climático no Meio-Oeste americano, favorecendo o desenvolvimento do plantio nas próximas semanas.

"Há melhores condições de clima sendo esperadas e o produtor americano tem um enorme pátio de máquinas para dar andamento ao plantio por lá", explica Araújo, que diz ainda que o mercado tem a consciência também desse potencial de recuperação do ritmo dos trabalhos de campo nos EUA.

Já nos próximos 6 a 10 dias, de acordo com as últimas previsões do NOAA, o serviço oficial de clima dos EUA, importantes regiões produtoras do país deverão ser beneficiadas com condições de tempo mais quente e seco, favorecendo os trabalhos de campo.

EUA 6 a 10 dias

"O cenário climático para os Estados Unidos tem melhorado, conforme nos aproximamos do fim do mês de abril. Os mapas, que anteriormente traziam a permanência de chuvas excessivas para os primeiros dias de maio, agora trazem um padrão excepcional para o progresso inicial do plantio", explicam os consultores de mercado da ARC Mercosul.

A consultoria internacional afirma ainda que o ritmo da semeadura nos EUA deverá ganhar mais força e ritmo em cerca de 15 dias, principalmente no caso do milho, que é plantado mais cedo nos campos americanos. Para a soja, este pico deverá ser alcançado em cerca de 20 a 30 dias. " Enquanto isso, fundos especulativos continuam empilhando novas posições no lado vendido do mercado das principais commodities agrícolas", diz a ARC.

Ainda pressionando os preços em Chicago continua a falta de demanda forte e efetiva pela soja dos Estados Unidos, o que é rápida e repetidamente reflexo no andamento das cotações.

"São 65 milhões de toneladas de soja disponíveis nos EUA e o plantio da nova safra está só começando. Isso nunca aconteceu na história dos EUA", diz o diretor da ARC Mercosul, Matheus Pereira. "E assim, o comprador sabe que não precisa, no cenário atual, adicionar compras futuras", completa.

Ainda segundo Marcos Araújo, a demanda menor da China por soja em grão já impacta no andamento dos preços de forma bastante severa. Ao se avaliar o esmagamento da oleaginosa na China somente nos últimos 12 meses já é possível contabilizar uma baixa de 4 milhões de toneladas.

A gravidade do surto da peste suína africana castiga severamente o plantel chinês, provocando uma redução considerável em suas importações de soja em grão para a produção de ração. No entanto, Araújo reafirma que se comprarão menos soja, terão de comprar mais carne para atender à toda sua demanda, inclusive pela carne suína, que é mais consumida na nação asiática.

Mercado Nacional

Os preços da soja nos portos brasileiros acompanharam as baixas fortes em Chicago e também terminaram a terça-feira no vermelho. Em Rio Grande, as perdas passaram de 1%, com o spot ficando em R$ 74,70 por saca, recuando 1,19%, e o maio com R$ 75,50, perdendo 1,05%.

No terminal de Paranaguá, perdas respectivas de 0,66% e 0,39%, para referências que terminaram o dia com R$ 75,80 e R$ 76,50 por saca.

No interior, baixas também foram registradas e chegaram a marcar 2,99%, como foi o caso de Brasília, que terminou o dia com R$ 66,00 por saca. Mesmo menos intensa, perdas foram registradas em todas as principais regiões produtoras do Brasil.

No Brasil, também já é possível sentir os efeitos da demanda mais fraca diante dos prêmios sem qualquer força para reagir. Somente nos últimos 30 dias, os valores pagos nos portos brasileiros sobre os preços de Chicago recuaram mais de 25%. No abril, houve um recuo de 32,50% - de 40 para 27 cents de dólar por bushel sobre os preços de Chicago - 40% no maio e 27,27% no julho, onde o valor passou de 55 para 40 centavos de dólar.

E um levantamento da Brandalizze Consulting mostra que enquanto os prêmios dos compradores oscilam nestes intervalos, os valores pedidos pelos vendedores têm, em média, US$ 0,90 para as posições abril e maio e US$ 1,00 por bushel acima da CBOT para junho e julho.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 23/05
Conferência FACTA WPSA-Brasil marca os 30 anos da entidade e coloca a avicultura brasileira em evidência (09:21)
CEO da Aviagen explora “Responsabilidade de Alimentar o mundo”, tema da Conferência FACTA 2019 (09:00)
ICC Brazil reforça o seu compromisso com as universidades (08:48)
Nova fórmula reduz fretes para os grãos (08:47)
Queda não será generalizada (08:46)
Queda não será generalizada (08:46)
Americanos obtêm mais carne bovina com rebanho menor (08:40)
China quer habilitar apenas mais 20 frigoríficos brasileiros (08:34)
Mercado do boi: preços seguem andando de lado (08:05)
Soja opera estável nesta 5ª feira em Chicago (08:00)
Tereza Cristina: “Vamos democratizar mais o crédito agrícola” (07:33)
Abertura do CPAgro Copacol tem a participação de 1,7 mil pessoas (07:31)
Diretor-Geral da FAO: voto do Brasil vai para vice-ministro da agricultura chinês (07:31)
SRB debate futuro dos contratos agrários com Ministro do STJ (07:30)
Oeste catarinense busca internacionalização da região (07:28)
Milho se recupera durante a 4ª feira e registra 8º dia seguido de cotações em alta na Bolsa de Chicago (07:05)
Soja fecha em alta na CBOT nesta 4ª feira (07:00)
Quarta-Feira, 22/05
SP: preços agropecuários caem 0,43% na primeira semana de maio (11:14)
5ª FAVESU: maior evento de avicultura e suinocultura do ES será em junho (11:03)
Regulamento traz organização e transparência para o Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos (09:36)
Yes amplia equipe e anuncia novo gerente comercial para o Brasil (08:47)
Venda de participação em ativos no Oriente Médio no foco da BRF (08:27)
Mercado do boi: alterações pontuais nas cotações (08:15)
Peste suína africana na China deve dar suporte aos preços da carne nos Estados Unidos (08:10)
Milho fecha terça-feira em alta pela sétima sessão seguida (08:05)
Soja: mercado inverte movimento e fecha em queda na 3ª feira (08:00)
Matopiba deverá ser o principal fornecedor de milho brasileiro para o México (07:17)
Terça-Feira, 21/05
Marcas apostam em 'carne vegetal' no país (15:39)
Safeeds apresenta linha de conservantes na Fenagra 2019 (15:35)
Vetanco do Brasil promoverá o produto Uniwall MOS 25 no Simpósio Goiano de Avicultura (09:23)
PIB do agronegócio brasileiro mantém queda no primeiro bimestre do ano (09:15)
PIB do agronegócio caiu no 1º bimestre, diz Cepea (09:10)
SC: exportações do agronegócio crescem 7,7% em 2019 (08:00)
Boi recupera a estabilidade em SP e a mantém em outras praças (07:55)
Milho: produtores se retraem e preços voltam a subir no Brasil (07:51)
Soja segue em alta nesta 3ª feira em Chicago refletindo plantio lento nos EUA (07:50)
Soja: cotações têm forte alta no Brasil e nos EUA (07:49)
Comitiva visita Santa Catarina visando à Rota do Milho (07:29)
Controle de gastos para otimizar a produção e ajudar na negociação (07:28)
Segunda-Feira, 20/05
'Frango 4.0’: 7 milhões de frangos por ano (09:02)
Mercado do Boi: cotações podem retomar fôlego (08:06)
Soja: semana de bons negócios no Brasil (08:00)
Retaliação da China cria pânico na suinocultura dos EUA e abre brecha para o Brasil (07:53)
SC quer estimular a produção de cereais de inverno para alimentação animal (07:51)
SC busca solução para o recolhimento de animais mortos (07:50)
Ovos no Amazonas: produção chegou a 520 milhões de unidades em 2018 (07:48)
Aves contrabandeadas são sacrificadas por falta de documentação sanitária (07:47)
Sexta-Feira, 17/05
Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril (16:21)
Concurso de Qualidade de Ovos tem data definida (16:14)
Evonik foca sua participação no Simpósio Goiano de Avicultura em seu portfólio de produtos para saúde intestinal (15:19)
Frango: alta no valor da carne suína eleva competitividade (15:10)
Exportadores de aves e suínos fecham US$ 148,7 milhões em negócios durante a SIAL China 2019 (15:06)
Palestra Sobre Sucessão Familiar na 5ª FAVESU (13:08)
Nelson Barbudo contra a carne de laboratório (09:35)
Com influências de plantio, dólar e até peste suína, negociações de commodities se complicam (08:27)
China frustra expectativas de frigoríficos (08:20)
Exportações brasileiras de carnes cresceram 41% em abril (08:16)
Mercado do boi: pressão de baixa perdendo força (08:12)
Soja e milho têm novo dia de altas em Chicago (08:00)
Paraná é referência nacional na implantação de Cadecs (07:09)