Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
Matérias-Primas

Soja: portos fecham em queda nesta 2ª feira com recuo em Chicago
Campinas, SP, 23 de Abril de 2019 - Os preços da soja perderam um pouco mais de força nos portos do Brasil nesta segunda-feira (22) sentindo a pressão da combinação das leves baixas observadas na Bolsa de Chicago e mais a estabilidade do dólar frente ao real. Em Paranaguá, a soja disponível fechou com baixa de 0,26% para R$ 76,30 por saca e recuando 0,13% para R$ 75,60 em Rio Grande. Para maio, R$ 76,80 e R$ 76,30, respectivamente, com perdas de 0,26% em ambos os casos.

O mercado brasileiro caminha com um ritmo lento neste momento com poucas novas vendas sendo efetivadas e isso se dá, como explica Flávio França Junior, chefe do setor de grãos da Datagro, por uma demanda menos aquecida neste momento e também por uma estratégia do produtor de se manter mais retraído neste momento.

Os atuais patamares de preços não são atrativos neste momento, o que, portanto, não exerce uma grande pressão de venda sobre os valores praticados. "O pessoal está aproveitando somente os picos, porque não é, realmente, um bom momento para o produtor brasileiro vender. E ou Chicago vai subir ou o prêmio vai subir", diz França.

O câmbio ainda atua como algum colchão para os preços da soja no mercado brasileiro, mas no atual momento insuficiente para atrair novas vendas, mesmo acima ainda dos R$ 3,90. Afinal, na outra ponta, os futuros seguem pressionados na Bolsa de Chicago e os prêmios pagos pela soja brasileiro ainda enfraquecidos.

"A demanda não está nos EUA, mas também não está aqui. Temos bons números dos embarques, fortes, mas de compras feitas antecipadamente", complementa França.

Uma das maiores preocupações da demanda mundial por soja, a peste suína africana continua se espalhando pela China e causando ainda mais temores entre os suinocultores. O governo da nação asiática confirmou no final da semana passada que dois locais da província de Hainan, uma ilha na costa sul, confirmaram novos casos da doença e este era um local que autoridades acreditavam estar livre do contágio.

Se os chineses comprarão menos soja, por outro lado, deverão continuar comprando mais carne suína e o Brasil deverá ser seu principal fornecedor, segundo acreditam analistas e consultores de mercado.

Como explicou o presidente da ACSURS (Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul), Valdecir Folador, se a demanda chinesa pelo produto brasileiro, a produção gaúcha deverá crescer de forma considerável para atender a este consumo maior.

Mercado Internacional

Os futuros da soja terminaram o pregão desta segunda-feira com baixas de pouco mais de 3 pontos nos principais contratos. O maio/19 fechou o dia com US$ 8,77 por bushel. A falta de novidades fortes segue limitando uma movimentação mais agressiva dos preços.

As informações que continuam movimentando o mercado - o que acontece muito timidamente - são as relativas à guerra comercial entre China e EUA e a demanda pela soja norte-americana; as condições de clima nos EUA; os trabalhos de campo no Meio-Oeste americano e os números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre o desenvolvimento dos trabalhos de campo.

E nesta segunda, mais uma vez os números dos embarques semanais norte-americanos vieram abaixo das expectativas e ajudaram a pressionar as cotações.

Na semana encerrada em 18 de abril, os americanos embarcaram 382,298 mil toneladas de soja, contra mais de 470 mil da semana e frente às projeções de 400 mil a 800 mil toneladas. No acumulado da temporada, são 31.046,807 milhões de toneladas embarcadas, contra mais de 42 milhões do ano passado, nesse período.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 19/09
Suínos: produção se intensifica no segundo trimestre (10:11)
Boi: indicador sobe e atinge recorde nominal na série do CEPEA (10:10)
Novus reconhece empresas sustentáveis no Jantar do Galo em Minas Gerais (09:53)
Ministra pede reabilitação de frigoríficos de frango (08:45)
Entenda como a reforma tributária pode afetar o produtor rural (08:44)
Aurora divulga nota de esclarecimento sobre instalações industriais de Xaxim (SC) (08:43)
PIB do agronegócio cresce 0,53% no primeiro semestre (08:26)
Frango Vivo: cotações ficam estáveis nesta quarta-feira (08:24)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 4,29% (08:22)
Alta no preço do boi gordo em São Paulo (08:11)
Soja ainda mantém cautela em Chicago e nesta 5ª espera números de exportações dos EUA (08:07)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira em alta (08:00)
Quarta-Feira, 18/09
32ª Reunião CBNA: Inscrição de trabalhos científicos até 26 de setembro (12:51)
Milho: Mercado futuro opera com ligeiras perdas na manhã desta 4ª feira na CBOT (10:18)
Soja trabalha estável em Chicago nesta 4ª feira e espera notícias para definir direção (10:17)
Plantio de milho 2019/20 do Paraná atinge 24% da área, diz Deral; soja segue zerada (10:04)
ASGAV e SIPS entregam report de participação no SIAVS 2019 (09:56)
Venda de carne de frango tem queda em Santa Catarina (09:38)
Primeiro evento da Aviagen na Colômbia sinaliza expansão e sucesso na América Latina (08:47)
Trabalhos científicos serão recebidos pela APA para o Congresso de Ovos até o dia 13/12/2019 (08:29)
Arábia Saudita abre mercado para frutas e derivados de ovos do Brasil (08:24)
Frango Vivo: cotações registram estabilidade (08:17)
Suíno Vivo: Minas Gerais tem alta de 3,56% (08:16)
Preço do boi gordo sobe no Norte de Minas Gerais (08:13)
Milho: Bolsa de Chicago cai até 1,60% nesta terça-feira (08:05)
Negócios com a soja travam no Brasil (08:00)
Terça-Feira, 17/09
Valor Bruto da Produção Agropecuária deve atingir R$ 601,9 bi em 2019, segundo maior em 30 anos (13:31)
Ovo: fonte de selênio (13:00)
Equipe econômica volta a debater Refis de R$ 11 bi no Funrural (09:30)
Aviagen destaca o compromisso com o mercado avícola latino-americano no SIAVS 2019 (08:58)
Rebanho suíno da China diminuiu 38% em agosto (08:38)
Biomin, Sanphar e Romer Labs participam, juntas, do XXVI Congresso Latino-Americano de Avicultura, em Lima (Peru) (08:16)
Frango Vivo: Santa Catarina tem alta de 5,96% nesta segunda (08:10)
Suíno Vivo: MG, SC e SP registram alta (08:09)
Coreia do Sul detecta primeiro surto de peste suína africana, diz ministério (08:08)
Mercado do boi inicia segunda quinzena com preços firmes (08:07)
Milho sobe 1,63% na Bolsa de Chicago (08:00)
Soja: Mercado fecha estável em Chicago, mas sobe mais de 1% no interior do Brasil (07:45)
Na Arábia Saudita, Tereza Cristina debate cooperação técnica e tem encontro com setor avícola (06:54)
Santa Catarina alcança faturamento de US$ 2 bilhões com exportação de carnes em 2019 (06:53)
Arábia Saudita busca forragem para ração do Brasil (06:52)
Segunda-Feira, 16/09
Abate de aves registra alta no RS (15:04)
Vetanco destaca importância de sua participação no Siavs (13:24)
Luciano Mecchi é o novo gerente da equipe Safeeds (13:22)
Milho: demanda eleva indicador, mas preços recuam no centro-oeste (13:10)
Soja: preço recua no Brasil, mas queda é limitada por alta externa (13:09)
Na Arábia Saudita, Tereza Cristina debate cooperação técnica e tem encontro com setor avícola (12:26)
A importância da nutrição precoce no desempenho e na saúde de frangos de corte e a relevância do plasma spray dried nesse contexto (10:11)
Como criar galinha virou negócio de R$ 1 milhão – só pra começar (07:04)
As dores de crescimento da escala necessária para alimentar o Planeta (07:02)
Safra do milho deve crescer pelo segundo ano consecutivo no RS (07:01)
China exclui soja e carne suína dos EUA de tarifas adicionais, diz Xinhua (07:00)
Avicultura de corte destaca-se no VBP agropecuário do Paraná (06:59)
Venda de carne para a China sobe a régua da balança comercial de Mato Grosso (06:58)
Suíno Vivo: São Paulo tem alta de 0,90% (06:25)
Os preços do boi gordo e da novilha subiram em São Paulo (06:23)
Sexta-feira acaba com estabilidade, mas milho sobe mais de 3% na semana em Chicago (06:18)
Soja: mercado brasileiro terminou a semana com queda de mais de 20% nos prêmios (06:00)
Sexta-Feira, 13/09
Milho: Chicago registra leves valorizações para as cotações nesta sexta-feira (13:52)
Exportações do agronegócio caíram 11% em agosto, para US$ 8,3 bi (09:04)
Frango: aumenta diferença entre preços interno e externo (08:28)
Suíno Vivo: três estados registraram alta nesta quinta-feira (08:18)
Mercado do boi gordo segue sustentado (08:10)
Milho: cotações sobem cerca de 2% em Chicago (08:07)
Soja sobe quase 30 pontos em Chicago nesta 5ª feira (08:00)