Quinta-feira, 18 de Abril de 2019
Legislação

Funrural: terra de ninguém
São Paulo, SP, 20 de Março de 2019 - No fim de 2017, mediante o julgamento do RE nº 718.874 RS, o Supremo Tribunal Federal (STF) pôs fim à discussão em torno da constitucionalidade do Funrural frente aos produtores rurais pessoas físicas. Em seguida, editou-se a Lei nº 13.606, de 2018, a estabelecer o "novo" Funrural, trazendo ao ordenamento novas alíquotas, regras e o programa de parcelamento de passivos eventualmente acumulados. A edição da nova lei, entretanto, não se prestou a encerrar as dúvidas e a insegurança jurídica que pairam em torno desta contribuição. Até ao contrário, podemos dizer que permanecem ou foram acrescidas certas complexidades ao tema.

Sem entrarmos nos pormenores, vale destacarmos alguns tópicos que ainda gravitam em torno desta polêmica exação: (i) a Lei nº 13.606, de 2018, manteve tratamento diverso à atividade rural exercida por pessoa física ou jurídica, sujeitando o produtor a alíquotas e sistemáticas diversas, pelo simples fato de organizar idêntica atividade em torno de uma sociedade ou não; (ii) permanece a figura do produtor rural pessoa jurídica que se caracterizaria como agroindústria, tal como posta no artigo 22A da Lei nº 8.212, de 1991, figura jurídica sui generis e cuja caracterização é etérea (para se dizer o mínimo), à qual ainda se aplicam os preceitos da sistemática anterior à Lei nº. 13.606, de 2018; (iii) permanecem a serem julgados os recursos extraordinários que tratam da legalidade do Funrural frente à pessoa jurídica (RE 700.922 RS) e à agroindústria (RE 611.601 RS); e (iv) finalmente, mencione-se a faculdade que se conferiu aos produtores rurais (exceto àqueles que se caracterizem como agroindústria) de escolha pela contribuição sobre a folha salarial ou sobre a receita bruta da comercialização, questão regulamentada pela Instrução Normativa nº 1.867, publicada em 28 de janeiro deste ano.

Destaque-se, ainda, a discussão (praticamente superada) em torno da Resolução nº 15, de 12 de setembro de 2017, editada pelo Senado Federal, que tardiamente e com fulcro na decisão proferida pelo STF no âmbito do RE 363.852 (de fevereiro de 2010), determinou a suspensão do artigo 12, VII, da Lei nº 8.212, de 1991, e de parte do artigo 1º da Lei nº 8.540, de 1992. Em resumo, entenderam alguns que dita resolução teria por consequência a suspensão da obrigatoriedade do recolhimento do Funrural pelas entidades adquirentes de produtos rurais (conforme o artigo 30 da Lei nº 8.212, de 1991).

O Funrural tem se constituído em matéria que ilustra à perfeição a nocividade de um sistema tributário altamente complexo. Tal leitura, entretanto, não levou em consideração a edição da Lei nº 10.256, de 2001, esta sim levada em conta pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do RE nº 718.874 RS. Ao que tudo indica, ao menos este ponto já se encontraria debelado pelo Judiciário, pois em maio de 2018 o Supremo Tribunal Federal decidiu a questão em sede de embargos de declaração opostos ao próprio acórdão do RE nº 718.874 RS.

Entre os tópicos indicados acima, parece-nos merecer especial atenção o futuro julgamento do RE 700.922 RS, que diz respeito à constitucionalidade do Funrural devido pela pessoa jurídica. Embora tal recurso extraordinário diga respeito ao arcabouço legal anterior, os desdobramentos poderão ter profundo impacto sobre a legalidade da exação. Isto porque a legislação de regência da matéria é a Lei nº 8.870, de 1994, alterada pela Lei nº 13.606, de 2018, apenas no que diz respeito à alíquota, composição da base de cálculo e opção de tributação sobre a folha salarial.

Os fundamentos legais não se alteraram, portanto, e nos parece particularmente relevante lembrarmos que quando do julgamento do RE 363.852 (que versava sobre o Funrural do produtor rural pessoa física), um do principais argumentos adotados pelo STF para o afastamento da exação foi o bis in idem da tributação, consubstanciado na tributação pela Cofins e pelo Funrural. Tal premissa, embora estivesse incorreta em sede da discussão da legalidade do Funrural aplicável ao produtor pessoa física (porquanto não seja contribuinte da Cofins, tal qual futuramente se esclareceu no RE 596.177), volta a fazer sentido ao questionarmos a legalidade do Funrural aplicável ao produtor rural pessoa jurídica, este sim contribuinte do Funrural e da Cofins.

Finalmente, destaque-se que a edição da Instrução Normativa RFB nº 1.867, de 2019, adicionou certa dose de caos à questão. Entre outros pontos controvertidos, tal norma estabeleceu que o produtor pessoa física optante pela contribuição ao Funrural sobre a folha, deveria arcar também com a contribuição ao Senar à alíquota de 2,5%. Este ponto implicaria em instituição de tributo sem respaldo legal, porquanto a contribuição ao Senar (pela pessoa física) encontre fundamento no artigo 6º da Lei nº 9.528 de 1997, que estabelece a alíquota de 0,2% sobre a receita bruta da comercialização.

Diante do patente equívoco, em 13 de fevereiro foi publicada retificação à dita instrução normativa, extirpando-se tal exigência. Na prática, até a retificação da norma, ocorreu o seguinte: os adquirentes de produtos agrícolas (responsáveis tributários) retiveram a contribuição ao Senar na alíquota definida em lei e, ao mesmo tempo, os produtores rurais tiveram que se submeter à contribuição também sobre a folha.

Em resumo, parece-nos que o tema Funrural tem se constituído em matéria que ilustra à perfeição a nocividade de um sistema tributário altamente complexo, que desnecessariamente confere tratamento específico à atividade rural e, dentro desta, às diversas formas de organização do produtor (pessoa física, jurídica, agroindústria e consórcio de produtores, entre outros). A surrealidade do sistema se destaca ao levarmos em conta os dados preliminares do Censo Agropecuário de 2017, que revela que o índice de analfabetismo entre os produtores rurais beira os 25%. O tema, complexo mesmo aos olhos de especialistas, apresenta-se absolutamente inadequado aos contribuintes a que se dirige.

Ben-Hur Cabrera Filho é sócio do PCPM Advogados.

(Valor) (Ben-Hur Cabrera Filho)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 18/04
Cobb dos EUA faz intervenção na filial brasileira (07:53)
O perigo de mexer com o Irã (07:39)
Boi Gordo: indústrias estão com dificuldade de compras (07:20)
Incerteza sobre o plantio americano mantem milho 1 cent mais baixo em Chicago (07:18)
Soja dá continuidade ao movimento de baixa e perde mais 10 pontos em Chicago (07:15)
Paraíba: governo promove cursos de avicultura e incentiva produção no estado (00:34)
Crise diplomática é desafio para o setor (00:33)
Quarta-Feira, 17/04
Custos de produção de frangos de corte aumentam em março (13:30)
Biocamp – êxito em sua participação no Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:08)
Cobb promove seminário sobre inspeção sanitária em parceria com a ABPA e com o MAPA (11:35)
FAO prevê avanço menor da demanda por commodities (08:54)
Valor da Produção Agropecuária é de R$ 588,8 bilhões (08:50)
MSD Saúde Animal promove primeiro Programa de Residência do agronegócio do Brasil (08:49)
Vetanco presente no Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:47)
Ceva apostou em ação solidária inédita durante o Simpósio Brasil Sul de Avicultura (08:46)
SINDAN integra-se ao Sistema de Logística Reversa de Embalagens (08:34)
MAPA e ABPA definem ações de prevenção à Peste Suína Africana (08:24)
Mercado do boi gordo diminui o ritmo de altas (08:22)
Mercado do Boi Gordo estaciona em SP por abates mais esticados e influência do MS (08:19)
Soja fecha com mais de 10 pts de baixa em Chicago (08:16)
Incertezas com clima e negociações deixam cotações do milho em Chicago mais baixas nessa terça-feira (08:07)
Terça-Feira, 16/04
Asgav e Ovos RS convidam a todos para o Conbrasul 2019 (14:00)
Ministério prevê valor da produção agropecuária do país de R$ 588,8 bi (09:02)
Suspensão de abates pela BRF deixa avicultores do Paraná apreensivos (07:06)
Rússia adia inspeção de abatedouros brasileiros (07:05)
Santa Catarina busca apoio federal para melhorias na Rota do Milho (00:07)
Segunda-Feira, 15/04
Zanchetta oferece R$ 200 milhões por ativos do frigorífico Mondelli (12:01)
Nos EUA, JBS se volta para a carne do futuro (11:51)
Zanchetta oferece R$ 200 milhões por ativos do frigorífico Mondelli (11:50)
Ovos: exportações recuam em março (10:06)
Milho: produção é novamente reajustada e disponibilidade pode atingir novo recorde (10:05)
Soja: negócios são limitados devido à dificuldade de embarques (10:02)
5ª edição da FAVESU realizará palestras sobre Bem-Estar de poedeiras (09:23)
Senadores pedem vista, e votação do Estatuto dos Animais é adiada pela CAE (09:08)
Fiscais agropecuários farão treinamento em boas práticas e bem estar animal (08:48)
Boi Gordo: cenário é de preços firmes (08:18)
Semana acaba com milho ainda estável em Chicago (08:04)
Soja fecha a semana estável em Chicago, mas preços sobem no BR (08:00)
Inscrições para participar da Iran Agrofood 2019 vão até o dia 21 (07:37)
A epidemia chinesa de peste suína e o Brasil (07:34)
Abatedouro estrutura cadeia produtiva da avicultura na Bahia e garante maior qualidade do frango (07:32)
Ministra instala comissão que vai estruturar agenda da produção sustentável (07:31)
Avicultura decola no norte do Paraná (07:30)
Participação do agronegócio nas exportações brasileiras cresce 1,5% em março (07:28)
Sexta-Feira, 12/04
Tereza Cristina instala comissão que vai estruturar agenda da produção sustentável (19:30)
Santa Catarina busca apoio federal para melhorias na Rota do Milho (19:26)
Participação do agronegócio nas exportações brasileiras cresce 1,5% em março (19:23)
Cobb e OneEgg fornecem mais ovos para mais crianças (14:56)
Poder de compra do avicultor segue favorável (10:03)
Galinhas “cage-free” do McDonald's (09:44)
Melhoram as projeções de Conab e IBGE para a produção do cereal (09:21)
Paraná torce por uma safrinha robusta (09:14)
Governo quer MP do fundo garantidor de crédito no Congresso este mês (09:13)
Suínos: China, Hong Kong e Rússia impulsionam exportações (08:10)
Preço da arroba do boi volta a superar o da carne (08:07)
Boi Gordo: oferta restrita segue pressionando preços (08:06)
Milho: Chicago fecha com leves quedas nessa quinta-feira (08:04)
Soja fecha em queda na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira (08:00)
Produção de grãos cresce 3,4% e chega a 235,3 milhões de toneladas (07:02)
Pesquisa inédita da CNA aponta demandas dos produtores rurais (06:59)
Biocarvão feito com resíduos é testado pela Embrapa como condicionador de solo (06:57)
Na esteira da peste suína na Ásia, JBS vira a "menina dos olhos" dos analistas (06:56)
Santa Catarina amplia em 12% as exportações de carnes em 2019 (06:55)