Segunda-feira, 17 de Junho de 2019
Exportação

Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia
Genebra, 18 de Março de 2019 - Em meio aos tormentos do Reino Unido sobre como fazer o Brexit, sua saída da União Europeia (UE), uma coisa pelo menos parece certa: o Brasil e outros exportadores agrícolas vão perder fatias de mercado na Europa.

Com o Brexit, o mercado comum passa de 28 para 27 membros e quase 200 concessões individuais serão modificadas e 400 linhas tarifárias estão sujeitas a mudanças, representando a maior alteração nos compromissos de um membro da Organização Mundial do Comércio (OMC).

A UE é o maior importador e exportador agrícola do mundo e essencial no equilíbrio desse mercado. Qualquer mudança nas suas cotas, pelas quais permite a entrada de volume limitado com tarifa menor, terá impacto comercial significativo para os exportadores.

A insatisfação é generalizada entre os exportadores agrícolas sobre o plano de repartição de cotas que a UE definiu, para ser aplicada quando os britânicos deixarem o mercado comum europeu. Uma parte das atuais cotas passaria a ser do Reino Unido. Na prática, traz mais custos logísticos e incertezas aos exportadores.

O Brasil tem várias cotas específicas que vão encolher no mercado comum europeu, nos casos de açúcar, frango e carne bovina.

Pelo que Bruxelas propõe, uma cota destinada especificamente ao açúcar brasileiro, hoje de 388,1 mil toneladas, será reduzida para 348,5 mil toneladas, com o resto devendo ser oferecido em outra cota pelo Reino Unido. Uma cota que o Brasil divide com outros exportadores de açúcar vai passar de 372,9 mil toneladas para 341,5 mil toneladas.

No caso do frango (salgado, processado, congelado etc.), várias cotas específicas somadas para o Brasil declinam de 338,6 mil toneladas para 261,6 mil toneladas - contração de 22,7%. Uma cota para carne bovina sem osso cairá de 10 mil toneladas para 8.951 toneladas. Outra cota para carne de peru congelada recuará de 3.110 toneladas para 2.692 toneladas.

O Brasil e outros exportadores voltaram a cobrar da UE compensações pela redução das cotas. Os exportadores insistem que a UE ofereceu a entrada de parte dos produtos com tarifa menor em razão de concessões que recebeu. Se um país deixa o mercado comum europeu, é problema dos europeus.

De seu lado, a UE resiste e diz que ninguém a convence a alterar sua repartição de cotas. Também recusa a cobrança do Brasil e de outros exportadores para oferecer compensações. Bruxelas tampouco diz se aceitará buscar alguma compensação alternativa, por exemplo, facilitando certas licenças de importação.

Do lado do Reino Unido, na semana passada, o governo de Theresa May revelou um "regime tarifário temporário" para o caso de o país fazer um Brexit brusco. Os parlamentares acabaram recusando a ideia de sair da UE sem um acordo. Mas o plano tarifário do governo alimentou a inquietação de exportadores agrícolas para o que pode vir pela frente.

Pelo plano, 87% das mercadorias importadas pelo Reino Unido seriam livres de alíquotas. Tarifas seriam aplicadas para produtos de especial interesse do Brasil, como carne bovina, frango e açúcar, além de fertilizantes, carros, cerâmica.

Além disso, o governo britânico previu não aplicar tarifa de importação sobre bens atravessando a fronteira entre Irlanda e Irlanda do Norte (a primeira permanece na UE, a segunda sai com o Brexit). Significa que os produtores de carne bovina irlandeses, os principais concorrentes do Brasil na Europa, teriam livre acesso ao mercado britânico. A medida é claramente ilegal, atropelando um dos princípios básicos da OMC, pela qual o que for dado a um país tem que ser oferecido a todos.

Londres previu no seu "regime temporário tarifário", no caso de um dia ser aplicado, cotas autônomas, vistas por certos exportadores como um modo de melhor acomodar produtores europeus, antigos sócios no mercado comum.

Ninguém sabe como terminará o Brexit. O plano original era para o Reino Unido sair da UE no dia 29 deste mês. Agora vai pedir prorrogação do prazo. O que parece provável, do lado dos exportadores, é retaliar a União Europeia em algum momento pela recusa em dar compensação pela perda de mercado que terão.

(Valor) (Assis Moreira)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 17/06
Controle de cascudinhos é tema de palestra no Espírito Santo (11:39)
Preço firme do milho, apesar de safra recorde, testa setor de carnes do Brasil (11:07)
AVES participa de debate sobre a incorporação da Laticínios Veneza a Coopeavi (08:41)
MSD Saúde Animal apoia 2ª Edição do Conbrasul (08:39)
Jinc abre inscrições para a 13ª edição em Concórdia-SC (08:35)
Aviagen América Latina e Pluma Agroavícola Reforçam Compromisso para o Crescimento de Seus Negócios (08:30)
Acordo sanitário com a China deve ser revisado (08:28)
Ministério prevê retomada da venda de carne aos EUA (08:15)
Brasil acionará OMC para contestar barreira da Indonésia a carne de frango (08:13)
Cotações do milho registram maior patamar dos últimos 5 anos na Bolsa de Chicago (08:12)
Soja: Com boas e persistentes chuvas previstas nos EUA, mercado fecha 6ª em alta na CBOT (08:05)
Mais real e apenas com o 'boi China' melhor, mercado do boi renova esperança para esta semana (08:04)
Brasil recorre à OMC contra barreira da Indonésia ao frango brasileiro (07:47)
Sexta-Feira, 14/06
Redução do uso de Antibióticos é tema de palestra promovida pela Vetanco (12:53)
Prevenção contra a PSA (11:11)
É hora de reorganizar os negócios, diz CEO da BRF (06:35)
Frigoríficos já podem retomar exportação de carne bovina à China (06:33)
Consumo de carne suína em baixa na China (06:31)
Mercado do boi 'acordou' mais tarde, reagiu e já mostrou negócios pré crise da vaca louca (06:27)
Mercado do boi gordo está ganhando firmeza (06:25)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (06:21)
Governo gaúcho reativa Câmaras Setoriais e Temáticas (06:18)
Conselho do Agro debate reforma tributária (06:17)
Abatedouro de aves é inaugurado no Parque Agroindustrial de Gurupi (GO) (06:15)
Justiça alemã valida morte de milhões de pintos machos na indústria (06:14)
Autoridades brasileiras e argentinas pedem corredor do milho e internacionalização de aeroporto (06:13)
Consumir carne de frango ao invés da bovina já diminui impactos ambientais (06:12)
Em 2040, 60% da carne consumida no mundo não será de origem animal (06:09)
Saldo da balança do agronegócio foi de US$ 8,6 bilhões em maio (06:07)
Mercado do milho fecha a sessão desta 5ª com com forte avanço em Chicago (06:06)
Soja: produtor brasileiro tem momento de melhores patamares em Chicago e prêmios altos (06:03)
Quinta-Feira, 13/06
SP: Preços Agropecuários recuam 1,76% no fechamento do mês de maio (15:05)
Suínos: liquidez aquecida nos mercados interno e externo eleva preços (14:41)
Brasil volta a exportar carne bovina para China (12:11)
Setor de equipamentos participa em peso do SIAVS 2019 (12:09)
IBGE: abate de frangos, no 1º trimestre, recua 2,0% em relação ao mesmo período de 2018 (11:27)
Ovos de galinha: produção cresce 6,0% e tem melhor 1º tri desde 1997, diz IBGE (11:26)
Korin investe em fábrica para ração de frangos (08:23)
Subprodutos fazem milho dos EUA mais competitivo (08:21)
Cooperativas de crédito ganham força (08:19)
Marfrig descarta ter que comprar ações da National Beef (08:15)
Mercado do boi ganha firmeza (08:10)
Previsão de mais chuvas e incerteza sobre produção deixa milho levemente mais valorizado nesta 4ª feira em Chicago (08:05)
Soja sobe quase 20 pts em Chicago nesta 4ª feira (08:00)
Quarta-Feira, 12/06
Aves Hendrix são as campeãs do Concurso de Qualidade de Ovos Capixaba (15:51)
XIV Simpósio Goiano de Avicultura recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (15:48)
Material de proteção gera crédito de Cofins (09:29)
Nova Gerente Técnica de Vendas da BV Science (09:08)
Congresso aprova crédito suplementar que garante recursos para o Plano Safra 2019/2020 (08:59)
Produção de grãos no Brasil deve ser de 238,9 milhões de toneladas (08:58)
Demanda japonesa por carne continua superando a oferta doméstica (08:56)
Forte quebra nos EUA beneficia exportação brasileira de milho (08:46)
Uma fusão das mais complexas (08:45)
Índice da FGV de produção de agroindústrias caiu em abril (08:42)
Terça-Feira, 11/06
Universidade Estadual de Maringá tem 16 cartas-patentes concedidas pelo INPI (08:16)
“China sustenta a agricultura do Brasil", diz Charles Tang (08:08)
Falta de crédito rural com taxas controladas motiva busca por opções (08:06)
Plano de fusão com a Marfrig divide os conselheiros da BRF (08:03)
Boi Gordo: frigoríficos seguem 'tateando' o mercado (07:56)
MT registra vendas de milho "a todo vapor", com negócios para safras atual e futura (07:51)
Milho fecha 2ª feira com cotações misturadas em Chicago (07:50)
Soja fecha com leves altas em Chicago nesta 2ª feira (07:43)
Santa Catarina é o maior exportador de carne de frango do Brasil (07:28)