Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019
Matérias-Primas

Soja fecha com baixas de dois dígitos em Chicago nesta 5ª feira
Campinas, SP, 11 de Janeiro de 2019 - A quinta-feira (10) foi de liquidação de posições por parte dos fundos investidores no mercado internacional da soja. Assim, as cotações da oleaginosa fecharam o dia perderam mais de 16 pontos nos principais contratos.

Com isso, o vencimento janeiro perdeu o patamar dos US$ 9,00 por bushel e ficou em US$ 8,95. O maio/19, que é importante referência para a safra do Brasil, terminou os negócios com US$ 9,20 por bushel.

Segundo explicou o analista de mercado Cristiano Palavro, da ARC Mercosul, o mercado se valeu das últimas altas para realizar lucros, além de ainda aguardar - com cautela - por informações mais consistentes sobre as relações comerciais entre China e Estados Unidos. A confirmação de que os chineses estariam, de fato, fazendo compras no mercado norte-americano e de que ambos os países estariam mais próximos de um acordo ainda não chegou e essa ausência de novidades pressiona.

Da mesma forma, a paralisação do governo Trump que também limita as informações relacionadas às exportações norte-americanas é outro fator de limitação também para os preços, ainda segundo o executivo.

Ainda entre as informações que precisam de mais clareza estão aquelas relacionadas à nova safra brasileira de soja. O mercado já precificou parte das perdas observadas no país, porém, como explica Palavro, caso essa quebra se agrave - e os mapas climáticos para os próximos dias são preocupantes - as cotações teriam fôlego para um novo avanço.

E nesta quinta-feira, a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) trouxe seu novo levantamento de safra mostrando a produção de soja em 118,8 milhões de toneladas, contra consultorias privadas falando em 116 milhões de toneladas, em média e frente a sua última estimativa de 120,06 milhões trazida em dezembro.

Mercado Brasileiro

No Brasil, as cotações ainda não refletem toda a movimentação que vem sendo observada na Bolsa de Chicago, porém, exige extrema atenção do produtor. A comercialização deverá ser estratégica neste ano de menor produtividade, o dólar mais baixo e volatilidade na CBOT. Neste momento, novos negócios ainda acontecem com baixos volumes e de forma pontual.

Nesta quinta, com as perdas intensas em Chicago, os preços no mercado nacional cederam tanto no interior - com baixas chegando a até 5% - quanto nos portos.

Em Paranaguá, o spot fechou com R$ 76,00 e baixa de 0,91%, enquanto o fevereiro foi a R$ 76,20, com queda de 0,39%. Em Rio Grande, perda de 1,30 no disponível, para R$ 76,00, e de 1,44% para o próximo mês, com a referência em R$ 75,50 por saca.

O dólar subiu 0,78%, fechou com R$ 3,7091 na venda, mas o movimento foi insuficiente para dar suporte às cotações no Brasil. A moeda americana corrigiu as últimas baixas, mas deve seguir volátil, segundo especialistas.

"A saída foi expressiva e fez um movimento brusco no dólar", comentou um gestor de derivativos de um banco estrangeiro à Reuters ao citar algo em torno de 1 bilhão de dólares.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 21/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)