Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019
Matérias-Primas

Milho: Bolsa de Chicago fecha a semana com altas próxima de 3 pontos
Campinas, SP, 07 de Janeiro de 2019 - O último dia útil da semana chegou ao final com os pregões internacionais apontando valorizações nos preços do milho. Dessa forma as principais cotações na Bolsa de Chicago (CBOT) apresentaram valorizações entre 2,6 e 3,4 pontos. O vencimento março/19 era cotado a U$ 3,83 por bushel e o maio/19 apontava U$ 3,91 por bushel.

Segundo análise de Bryce Knorr da Farm Futures, os preços do milho estão tentando manter os ganhos com os futuros de março sustentando uma movimentação acima da média dos últimos 50 dias. A pesquisa da Farm Futures nesta sexta-feira colocou a safra americana de milho de 2018 em 14,423 bilhões de bushels, 203 milhões a menos que a última estimativa do USDA em novembro.

Os produtores relataram rendimentos de 177,2 bushels por acre, uma queda de 1,7 bpa em relação ao USDA. A área cultivada colhida também caiu, chegando a cerca de 355.000 acres abaixo da contagem anterior do governo. Embora a demanda possa não ser tão robusta quanto a última previsão do USDA, os estoques finais projetados ainda podem cair em torno de 90 milhões de bushels, para 1,691 bilhão.

Mercado Interno

Já o mercado interno permaneceu com estabilidade na maioria das praças. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, apenas a cidade de Palma Sola/SC apresentou desvalorização de 1,54 pontos e preço de R$ 30,00.

Conforme informações da XP Investimentos, nesta primeira semana de 2019 compradores se movimentaram para adquirir lotes e recompor os estoques consumidos durante o período de festas. Com produtores locais fora das vendas, a saída para as Granjas e Indústrias foi pagar os inflacionados valores pedidos por Intermediários e Silos pelo grão diferido. Ainda que possível, a busca por milho tributado (MS e MG) estaria logisticamente prejudicada pelo início da colheita de soja (alta nos fretes), deixando o mercado nas mãos dos Intermediários locais.

Nos portos, a novidade está no aumento dos prêmios dos vencimentos curtos. Agentes consultados relatam que boa parte das tradings está em uma “corrida contra o tempo”, pagando prêmios maiores para originar o milho e virar as atenções, o mais rápido possível, para os embarques de soja. A recente baixa do dólar, por outro lado, tem amenizado o que seriam valorizações ainda maiores.

Dólar

A moeda americana encerrou a semana em baixa diante do real. O dólar recuou 1,0% a 3,7147 reais na venda, menor nível desde 1º de novembro, quando fechou a 3,6943 reais. Segundo a Agência Reuters, essa tendência aconteceu depois de dois dias acompanhando à distância o mercado externo. O dólar no Brasil 'colou' nesta sexta-feira na trajetória externa e encerrou em baixa pela terceira sessão consecutiva. Nos três primeiros pregões de 2019, que coincidem com a semana, a moeda norte-americana acumulou baixa de 4,15 por cento ante o real. Foi a terceira semana seguida de queda do dólar ante a moeda brasileira.
(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 21/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)