Sexta-feira, 22 de Março de 2019
Matérias-Primas

Soja fecha em alta pela 3ª sessão consecutiva em Chicago com China e seca castigando safra do Brasil
Campinas, SP , 07 de Janeiro de 2019 - Os preços da soja fecharam o pregão desta sexta-feira (4) em alta na Bolsa de Chicago, subindo quase 10 pontos nos principais contratos. O janeiro terminou o dia com US$ 9,09 e o maio/19 com US$ 9,34 por bushel.

Mais uma vez, a composição de especulações sobre compras da China nos EUA com as preocupações com as perdas no Brasil causadas pela seca deram espaço para a continuidade do avanço das cotações na CBOT.

Com o governo de Donald Trump paralisado, a confirmação destas compras tem sido limitada, porém, o mercado especula que, somente nos últimos dias, a nação asiática tenha comprado entre 1,5 e 1,8 milhão de toneladas.

Como explica o analista de mercado Jack Scoville, da Price Futures Group em entrevista ao Notícias Agrícolas, a notícia é boa, porém, essas novas aquisições chinesas estariam sendo encerradas, com a possibilidade de as compras voltarem à América do Sul nos próximos meses.

Ainda assim, enquanto as especulações continuarem - ao lado da quebra na produção do Brasil - os preços, como acredita Scoville, teriam potencial para subir mais cerca de 30 pontos no curto prazo, voltando a atuar em um intervalo de US$ 9,00 a US$ 9,50 por bushel.

No Brasil, as informações sobre a quebra ainda divergem e as estimativas são difíceis de serem levantadas, porém, chegam ao mercado internacional com uma intensidade considerável, na casa das 10 milhões de toneladas.

"A safra brasileira deverá ficar entre 110 e 115 milhões de toneladas", disse o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz Pereira ao Notícias Agrícolas nesta sexta-feira (4). Segundo explicou, as áreas mais preocupantes são o Paraná, o Mato Grosso do Sul, além da situação que começa a se agravar no Centro-Oeste e no Matopiba, onde as chuvas se mostram limitadas, mal distribuídas e de baixo volume.

"As preocupações quanto ao clima na América do Sul estão se intensificando neste início de 2019, com padrão extremamente seco apontado para maior parte da região Central e Norte do Brasil", traz a ARC Mercosul.

Segundo a consultoria, os principais modelos climáticos continuam mostrando um padrão de menos precipitações para boa parte do Brasil durante a primeira quinzena de janeiro, que pode ser a mais seca em 10 anos. O calor intenso também continua. E o quadro, portanto, intensifica a possibilidade de que as perdas na safra brasileira sejam ainda maiores.

Mercado Brasileiro

No mercado brasileiro, os preços ainda estão retomando o ritmo e os participantes fazendo a contabilidade dos impactos dessas perdas sobre as cotações e, principalmente, sobre os prêmios. Além disso, o dólar vem recuando desde o início deste ano e limitando as altas da soja no Brasil.

Nesta sexta, a moeda americana cedeu mais de 1% e voltou aos R$ 3,71. Ainda assim, com as altas em Chicago, a soja em Rio Grande subiu 0,39% no disponível e 0,26% para fevereiro, com R$ 77,80 e R$ 77,50 por saca. Em Paranaguá, mais um dia de estabilidade com R$ 77,70 e R$ 77,30 no spot e para fevereiro, respectivamente.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 22/03
Instituto Ovos Brasil faz parceria com academia para levar informações sobre os valores nutricionais do ovo (15:02)
Conab avalia que aumento das exportações de soja podem afetar mercado interno (13:23)
Frango: preços sobem, influenciados pelo bom ritmo de embarques (08:33)
Ovos: preços do branco e do vermelho têm movimentos distintos (08:32)
Pré-Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 terá Simpósio de Automação (08:00)
Taxar o agro pode trazer grandes prejuízos ao país, dizem especialistas (07:06)
Para reflexão do setor: McDonald's testa nugget vegano feito de grão de bico, milho e batata (07:05)
Suíno Vivo: procura por animal vivo segue elevada (06:22)
Demanda lenta, mas preços do boi gordo firmes (06:20)
Possível atraso nas plantações de milho americano sustentam altas em Chicago (06:18)
Mesmo com enchentes nos EUA, mercado de soja não reage (06:17)
Soja: Preços sobem até R$ 2/saca nos portos e interior do Brasil (06:16)
Mercado de frango começa a ganhar fôlego e registra crescimento no 1º bimestre do ano em SC (04:02)
Mapa publica IN sobre novos procedimentos de registro de estabelecimentos sob SIF (03:58)
Quinta-Feira, 21/03
Suínos: demanda mantém preços elevados em SP (10:04)
Boi Gordo: abates aumentam 3,5% frente à 2017; volume é o maior desde 2014 (10:01)
Para reflexão do setor: NotCo chega ao Brasil com sua maionese sem ovo (09:19)
Missão do USDA que avaliará carne bovina será agendada esta semana (08:41)
Abate de suínos aumenta 61% em 11 anos, afirma IBGE (08:18)
ECPP fecha parceria com a Gujão Alimentos (08:04)
PIB do Agro fecha 2018 com estabilidade (07:28)
Tereza Cristina diz que agro precisa de investimentos em infraestrutura (07:26)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (07:07)
Cotações da arroba do boi gordo em alta (07:05)
Milho fecha a 4ª feira estável em Chicago (07:03)
Soja recua mais de 1% nos portos do Brasil (07:00)
Quarta-Feira, 20/03
Evonik lança novo método rápido e confiável para avaliar a qualidade de matérias-primas (13:42)
Cinergis Agronegócios realiza sua II Reunião Técnico-Comercial (12:41)
EUA vão informar em três dias quando virão ao Brasil inspecionar frigoríficos para liberar importação de carne bovina (12:32)
Funrural: terra de ninguém (11:47)
Proposta traz ganhos, mas adesão parece rápida demais (11:15)
Da Unitá para o mundo (10:43)
Deputados paulistas articulam bancada do agronegócio na ALESP (10:42)
SC: exportações do complexo soja aumentam 58% em 2019 (09:10)
China recusa habilitação de frigoríficos (08:20)
Estados Unidos mandarão equipe de inspeção ao Brasil para autorizar importação de carne in natura (08:15)
Suíno Vivo: altas em SP e em SC nesta terça-feira (19) (07:23)
Boi Gordo: mercado segue firme (07:22)
Em poucos dias começa o Congresso de Ovos da APA (07:17)
Milho fecha a 3ª feira com resultados misturados (07:05)
Soja fecha mais uma vez estável em Chicago (07:00)
Terça-Feira, 19/03
Exportações do agronegócio renderam US$ 7,2 bi em fevereiro (13:26)
Grupo Mantiqueira apresenta produto vegano e outras novidades na Super Rio Expofood (13:17)
Yes amplia estrutura comercial visando crescimento nos mercados nacional e internacional (13:10)
Embrapa: custos de produção de suínos e frangos de corte caem em fevereiro (12:27)
Concurso de Qualidade de Ovos 2019 acontecerá durante a 5ª FAVESU (08:23)
IEA divulga a estimativa da Produção Animal do Estado de São Paulo, em 2018 (08:21)
Nos EUA, redução de peso melhora lucro do frango (08:05)
Macedônia do Norte quer aumentar importação de frango do Paraná (08:04)
Produção paulista de frango caiu 11,1% em 2018 (08:00)
Boi Gordo: segunda quinzena começa com preços em alta (07:45)
Exportação de soja ultrapassa US$ 2,5 bi em fevereiro (07:40)
Soja tem pequenas baixas em Chicago nesta 3ª feira (07:29)
Milho desvalorizado em Chicago nesta segunda-feira (07:20)
Segunda-Feira, 18/03
Carnes necessitam de um marketing proativo, segundo analistas do setor (14:26)
Exportação de carne é principal tema na agenda de Tereza Cristina nos EUA (14:21)
Vetanco estará presente ao SBSA 2019 (14:14)
Estoque de soja elevado nos EUA reduz patamar de negócios no Brasil (10:00)
Milho: possível maior oferta pressiona valores internos (09:47)
Com Brexit, carne e açúcar do Brasil perdem fatia na União Europeia (08:24)
Declaração de chanceler sobre China gera mal-estar com o agronegócio (08:21)
Soja recua em Chicago nesta 2ª feira (08:00)
Acordo EUA-China e o agro brasileiro (07:05)
Peste na China causa disrupção no mercado de carnes e leva à disparada de BRF e JBS na bolsa (07:04)
A força do frango (07:03)