Sábado, 16 de Fevereiro de 2019
Matérias-Primas

Milho: mercado aguarda novidades e fecha pregão desta 6ª com leves quedas na Bolsa de Chicago
Campinas, SP, 19 de Novembro de 2018 - A sessão desta sexta-feira (16) foi negativa aos preços do milho na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições da commodity ampliaram as perdas durante o dia e finalizaram o pregão com quedas de até 3 pontos. O vencimento dezembro/18 era cotado a US$ 3,64 por bushel, enquanto o março/19 operava a US$ 3,75 por bushel.

As agências internacionais ainda reforçam que o mercado aguarda novas informações e trabalha de maneira técnica, em um intervalo estreito. "Além disso, os comerciantes ainda estavam absorvendo o USDA maior que o esperado em relação aos números dos estoques de milho mundiais", disse Jason Roose, de Iowa, EUA Commodities, em entrevista à Reuters internacional.

No último dia 8 de novembro, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) estimou os estoques finais globais em 307,51 milhões de toneladas. Em outubro, a estimativa era de 159,35 milhões de toneladas de milho.

No quadro fundamental, as atenções ainda permanecem voltadas ao andamento da colheita nos EUA, que até o início dessa semana estava completa em 84% da área semeada, conforme dados do USDA.

Ainda nesta sexta-feira, o departamento americano reportou seu novo boletim de vendas semanais. Na semana encerrada no dia 8 de novembro, as vendas de milho ficaram em 892,5 mil toneladas.

O volume indicado ficou dentro das apostas dos investidores, entre 500 mil a 900 mil toneladas do cereal. O México ainda permanece como principal comprador do produto norte-americano.

Mercado brasileiro

Enquanto isso, no mercado brasileiro a sexta-feira foi de ligeiras movimentações após o feriado da Proclamação da República, comemorado nesta quinta-feira (15). Conforme levantamento da equipe do Notícias Agrícolas, em Brasília, a saca caiu 6,45% e fechou o dia a R$ 29,00.

Já no Paraná, as praças de Ubiratã, Londrina e Cascavel, subiram 1,89% e finalizaram a sexta-feira a R$ 27,00 a saca. Em Pato Branco, ainda no estado, a valorização foi de 1,77%, com a saca a R$ 28,70.

Segundo informações da Scot Consultoria, após as perdas observadas no final de outubro, os preços voltaram a firmar em novembro. "A pressão de baixa foi menor, devido ao vendedor mais focado na semeadura da safra 2018/19, o que diminuiu a oferta no mercado interno disponível", destacou a consultoria.

Dólar

A moeda norte-americana encerrou o dia com queda de 1,12%, cotado a R$ 3,7399 na venda. Na semana, o câmbio acumulou valorização de 0,1%.

"O mercado recebeu bem a definição sobre o comando do Banco Central no governo de Jair Bolsonaro, com Roberto Campos Neto à frente da autoridade monetária, e após integrantes do Federal Reserve darem sinais sobre trajetória futura de juros dos Estados Unidos em entrevistas", informou a Reuters.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 16/02
Sexta-Feira, 15/02
Frango: Cepea aponta que poder de compra vem registrando mais um mês de queda (09:32)
Ovos: preços de fevereiro são os maiores desde junho/2018, destaca Cepea (09:30)
China anuncia tarifas de até 32,4% ao frango brasileiro por 5 anos (08:21)
Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio (08:11)
Suíno Vivo: altas em SP, PR, MG e GO (08:08)
Boi Gordo: mercado em ritmo lento (08:06)
Boi Gordo: volume de animais abatidos no BR se eleva em 2018 (08:05)
Milho: mercado estável (08:04)
Soja: preços registram alta (08:00)
MSD Saúde Animal patrocina Congresso de Ovos e debate complexo respiratório em espaço empresarial (07:43)
Quinta-Feira, 14/02
Mercado será foco dos debates na abertura do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:52)
2ª Conbrasul Ovos abre período de inscrições online (13:38)
Indústria de alimentos prevê avanço de até 4% (09:34)
Etanol de milho avança (09:32)
Nova regra incentiva emissão de letras de crédito do agronegócio (08:50)
Pilgrim’s Pride registra prejuízo de US$ 8,2 milhões no 4º trimestre (08:40)
Recall da BRF expõe falha e transparência (08:38)
IOB segue sua campanha em São Paulo (08:26)
Vetanco homenageia Cooperitaipu (08:22)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (08:16)
Boi: em SP, preço da arroba está estável (08:12)
Milho: estabilidade domina o dia (08:05)
Preços da soja sobem no Brasil nesta 4ª feira (08:00)
Quarta-Feira, 13/02
VAXXITEK® já imunizou 100 bilhões de aves contra Marek e Gumboro (11:53)
Santa Catarina começa o ano com alta nas exportações de carnes (11:23)
Por salmonela, BRF faz recall de lotes de frango no Brasil e exterior (08:22)
Exportações do agronegócio sobem 6% em 12 meses e somam US$ 102,14 bilhões (08:07)
Suíno Vivo: alta de 5,12% em SC (08:05)
Boi gordo: oferta restrita dificulta a compra pelos frigoríficos (08:03)
Mercado Interno do milho permanece estável (08:00)
Brasil proíbe uso de antibióticos promotores de crescimento (07:51)
Clima adverso faz Conab e IBGE reduzirem projeções para safra (07:50)
SP: produção de grãos deve superar sete milhões de toneladas (07:49)
Terça-Feira, 12/02
IBGE: Cai o abate de frangos, sobe o de bovinos e suínos (10:51)
Prêmio Lamas de pesquisa avícola está com inscrições abertas (08:22)
NUCLEOVET faz evento de lançamento dos Simpósios 2019 em Chapecó (08:20)
Suíno Vivo: alta de 2,94% no PR (08:09)
Mercado do boi gordo retoma fôlego (08:06)
Mercado interno do milho apresenta pouca movimentação (08:04)
Produção de soja poderá ser a menor em três anos (08:02)
Preços da soja no Brasil apresentam poucas mudanças (08:00)
Por que ainda não sou vegetariano (07:57)
Após suspensão, exportadores de frango do Brasil vão a Riad (07:56)
No centro de inovação da BRF, um olhar sobre o futuro da embalagem (07:55)