Sábado, 15 de Dezembro de 2018
Matérias-Primas

Paraná produzirá até 47% mais milho em 2019
Londrina, 14 de Novembro de 2018 - Os agricultores paranaenses tendem a ampliar a área plantada com milho em 15%, em busca de uma produção até 47% maior na safra 2018/19, em relação ao ciclo 2017/18, segundo estimativas do Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria do Estado de Agricultura e Abastecimento).

Cooperativas e integradoras incentivam essa inclinação depois de um ano em que houve quebra de safra causada por problemas climáticos e alta nos preços além do ponto de equilíbrio, que é quando a média garante o lucro tanto para quem vende quanto para quem compra o grão para usar na ração animal.

Outro grande produtor de milho, a Argentina também contou com perdas motivadas pelo clima. Segundo relatório do Deral divulgado na última semana, isso levou à redução dos estoques mundiais, diante de uma produção de 1,034 bilhão de toneladas (t) e de um consumo de 1,060 bilhão. A diferença é pequena, mas indica um volume armazenado estimado em 198 milhões de t, que suprem a demanda por cerca de 70 dias.

A produção no ciclo 2017/18 ficou em 11,9 milhões de t e a expectativa para o ciclo que começa a ser colhido nos próximos meses é de algo em torno de 17,5 milhões. Para tanto, o Deral ainda aguarda uma melhor definição sobre o plantio da segunda safra, que é a principal no Estado e representa 85% de toda a área plantada. É na cultura de inverno que há uma perspectiva de alta de 16% no espaço para a produção do grão.

"Em condições normais, devemos colher mais de 18 milhões de t, mas esperamos que fique acima de 17 milhões", diz o analista de milho do Deral, Edmar Gervásio. Ele afirma que o aumento da área plantada é considerado normal, já que o preço teve um aumento significativo entre 2017 e 2018.

A diferença é de 36%, com o custo médio da saca em R$ 29,24 nos primeiros dez meses deste ano. O mesmo indicador foi de R$ 21,46 durante 2017. "É uma recomposição de perdas anteriores, que pode ser influenciado pelo preço e pelo mercado como um todo, que está menos abastecido do que nos outros anos", diz Gervásio.

Se concretizadas as projeções, o mercado de compra e venda de milho deve se reequilibrar a partir do fim do primeiro semestre de 2019. "As cooperativas incentivam o plantio para a segunda safra porque estão preocupadas pela oferta de milho para avicultura e suinocultura", diz o gerente técnico da Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), Flávio Turra.

Se na região Oeste do Estado a demanda é maior por esse grão pelo perfil da integração com os granjeiros, no Norte e Noroeste o baixo preço pago pelo trigo deve servir como atrativo para o milho. Com aumento também previsto para a área de soja, o representante da Ocepar afirma que feijão e trigo perderão espaço. "O plantio de soja foi mais tranquilo desta vez, logo no início da janela e sem enfrentar dificuldades climáticas, então vai permitir colher na época certa e também plantar o milho no período ideal", diz.

No ciclo anterior, houve atrasos no desenvolvimento da soja pela falta de luminosidade e excesso de chuvas, o que atrasou o cultivo do milho e fez com que parte dos produtores optasse pelo trigo para o inverno.
(Folha de Londrina) (Fábio Galiotto)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 15/12
Sexta-Feira, 14/12
Encontro de Qualidade Industrial recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (16:04)
Sindirações projeta crescimento de até 3% para 2019 (14:37)
FRANGO/CEPEA: abate avança no terceiro trimestre (10:15)
OVOS/CEPEA: maior produção impacta negativamente o setor em 2018 (09:59)
Inscrições abertas para os Trabalhos Científicos na 5ª FAVESU (09:57)
Venda de frango a árabes cai, mas pode voltar a crescer (08:11)
Volume de aves e suínos será menor neste ano, aponta a ABPA (08:07)
Produção de ração no Brasil cresce 0,6% e tem novo recorde em 2018 (08:06)
2ª Conbrasul Ovos 2019: Gramado será a capital internacional da avicultura de postura de 16 a 19 de junho (08:04)
Programa técnico do Congresso de Ovos já tem principais temas definidos (08:03)
Quinta-Feira, 13/12
_produção de ovos de galinha é a maior da série histórica (11:04)
Abate de frangos em agosto foi o segundo maior do ano (11:03)
Já começa a faltar crédito rural a juros controlados (09:17)
IBGE confirma avanço em abates de bovinos e suínos, e queda no frango (09:08)
Plasson investe R$ 28 milhões em expansão da unidade fabril, em Criciúma (08:20)
ABRA protocola ofício com solicitação que impacta indústrias produtoras de farinhas de pena, peixe e sangue (08:14)
Indústria de ovos dos EUA: desafios e oportunidades (08:11)
Fundamentos teóricos e aplicação no processamento de ovos e derivados (08:08)
Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)