Sábado, 15 de Dezembro de 2018
Empresas

JBS tem resultado operacional recorde, mas fica no vermelho
São Paulo, 14 de Novembro de 2018 -

A melhora dos negócios no Brasil e as condições favoráveis à produção de carne bovina nos EUA levaram a JBS, maior empresa de proteínas animais do mundo, a registrar o melhor desempenho operacional trimestral de sua história. A performance de julho a setembro só não se traduziu em um lucro líquido devido ao impacto de R$ 2,4 bilhões (sem efeito sobre o caixa) da adesão da empresa ao Refis do Funrural, informou ontem a companhia em balanço.

Contabilmente, a JBS registrou prejuízo líquido de R$ 133,5 milhões no terceiro trimestre. No mesmo período de 2017, teve lucro de R$ 323 milhões. Não fosse o Refis do Funrural e o impacto da variação cambial sobre o valor da dívida (também sem efeito no caixa), a companhia teria lucrado R$ 2,135 bilhões. No terceiro trimestre, gerou R$ 2,3 bilhões em caixa livre, e voltou a reduzir o índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda) - de 3,47 vezes, no fim de junho, para 3,38 vezes em setembro.

Na área operacional, a JBS reportou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 4,4 bilhões, um recorde. Trata-se de um incremento de 2,6% ante os R$ 4,3 bilhões do mesmo intervalo do ano passado. A margem Ebitda ajustada atingiu 9% no terceiro trimestre, ainda abaixo dos 10,5% registrados um ano antes.

Em vendas, a JBS também teve expansão. No terceiro trimestre, sua receita líquida aumentou 20% na comparação anual, para R$ 49,4 bilhões. Em bases anualizadas, isso significaria quase R$ 200 bilhões.

Em grande medida, o resultado recorde se deveu ao Brasil, onde a JBS teve sensível melhora e ajudou a minimizar as dificuldades enfrentadas na controlada Pilgrim's Pride, empresa de frango dos EUA que sofre com a ampla oferta e fraca demanda. De certo modo, os americanos preteriram o frango em favor das carnes vermelhas, o que não deixa de ajudar a JBS em outra frente. O negócio de carne bovina nos EUA, o mais importante da companhia, registrou Ebitda de US$ 446,7 milhões, alta de 10,3% na comparação anual. A margem subiu de 7,3% para 8,2%.

No terceiro trimestre, a divisão JBS Brasil - que contempla os negócios de carne bovina e couros - viu seu Ebitda ajustado aumentar em quase dez vezes, de R$ 72,5 milhões no terceiro trimestre de do ano passado para R$ 712,2 milhões. A margem Ebitda ajustada da divisão superou 10%, ante margem de 1,4% vista um ano atrás.

A melhora da JBS Brasil reflete o salto dos abates neste ano, o que consolida a recuperação da empresa em seu mercado de origem - a carne bovina. Entre julho e setembro, os abates nos frigoríficos da JBS no Brasil cresceram 29,3%. No ano passado, a empresa restringiu fortemente os abates em reação à delação premiada dos irmãos Batista. Nesse cenário, a receita líquida aumentou 37,2% na comparação anual, a R$ 7 bilhões.

No Brasil, também houve melhora na Seara, subsidiária que reúne os negócios de frango, suínos e alimentos processados. Em relatório, a JBS destacou o aumento de preços da Seara ao longo do terceiro trimestre. Nesse cenário, o Ebitda da Seara aumentou 0,7% ante o mesmo período do ano passado, a R$ 512,1 milhões. A margem Ebitda da Seara ficou em 10,3%, bem acima dos 5,5% registrados no segundo trimestre (quando a empresa sofreu com a greve dos caminhoneiros), mas ainda abaixo dos 11,1% do terceiro trimestre de 2017.

(Valor Econômico) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 15/12
Sexta-Feira, 14/12
Encontro de Qualidade Industrial recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (16:04)
Sindirações projeta crescimento de até 3% para 2019 (14:37)
FRANGO/CEPEA: abate avança no terceiro trimestre (10:15)
OVOS/CEPEA: maior produção impacta negativamente o setor em 2018 (09:59)
Inscrições abertas para os Trabalhos Científicos na 5ª FAVESU (09:57)
Venda de frango a árabes cai, mas pode voltar a crescer (08:11)
Volume de aves e suínos será menor neste ano, aponta a ABPA (08:07)
Produção de ração no Brasil cresce 0,6% e tem novo recorde em 2018 (08:06)
2ª Conbrasul Ovos 2019: Gramado será a capital internacional da avicultura de postura de 16 a 19 de junho (08:04)
Programa técnico do Congresso de Ovos já tem principais temas definidos (08:03)
Quinta-Feira, 13/12
_produção de ovos de galinha é a maior da série histórica (11:04)
Abate de frangos em agosto foi o segundo maior do ano (11:03)
Já começa a faltar crédito rural a juros controlados (09:17)
IBGE confirma avanço em abates de bovinos e suínos, e queda no frango (09:08)
Plasson investe R$ 28 milhões em expansão da unidade fabril, em Criciúma (08:20)
ABRA protocola ofício com solicitação que impacta indústrias produtoras de farinhas de pena, peixe e sangue (08:14)
Indústria de ovos dos EUA: desafios e oportunidades (08:11)
Fundamentos teóricos e aplicação no processamento de ovos e derivados (08:08)
Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)