Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2019
Matérias-Primas

Brasil e EUA vão produzir menos soja, mas estoques são recordes

Guerra comercial com a China faz exportação americana recuar 11%.
São Paulo, SP, 09 de Novembro de 2018 - Esta quinta-feira (8) foi o dia dos números. Brasil e Estados Unidos refizeram estimativas de produção de grãos da safra que terminou e da que está sendo plantada.

No Brasil, são poucas novidades. A Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) confirmou a produção 2017/18 em 228 milhões de toneladas de grãos e estimou a atual —que está sendo plantada— entre 234 milhões e 238 milhões.

Aqui, como nos Estados Unidos, o grande destaque é a soja. A produção brasileira poderá cair e, na melhor das hipóteses, ficar estável em 119 milhões de toneladas, segundo a Conab.

Já os americanos, em final de colheita, revisaram os números da produção para baixo. As estimativas do Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) indicam agora uma safra de 125 milhões de toneladas, 2,5 milhões a menos do que o órgão previa em outubro.

O grande perigo para os sojicultores do mundo está nos elevados estoques dos americanos. Conforme o Usda, mesmo com a queda na produção, os Estados Unidos terminarão a safra 2018/19 com uma sobra de 26 milhões de toneladas de soja.

Esse volume, se confirmado, será o mais elevado até então no país e servirá para o consumo de 85 dias, segundo Daniele Siqueira, analista da AgRural.

O estoques mundiais sobem para 112 milhões de toneladas, para um consumo de de 352 milhões.

Siqueira destaca, ainda, a queda no volume das exportações norte-americanas.

Devido à guerra comercial dos Estados Unidos com a China, maior importadora da oleaginosa do mundo, as vendas externas de soja dos Estados Unidos deverão recuar para 51,7 milhões de toneladas, 6 milhões a menos do que a do ano anterior.

Já as vendas externas do Brasil, país que tem sido procurado pela China para suprir a sua demanda, deverá exportar mais.

Nos cálculos do Usda, as vendas externas de soja dos brasileiros vão somar 77 milhões de toneladas na safra 2018/19 —o início desta safra é em setembro deste ano e termina em agosto do próximo, no calendário americano.

O governo dos EUA reduziu também as estimativas de importação de soja pela China de 94 milhões de toneladas para 90 milhões no ano.

Esse novo número fica mais próximo do que estimam algumas consultorias —85 milhões—, segundo Siqueira. O próprio governo chinês estima importações de 84 milhões.

O Usda prevê uma safra brasileira de 120 milhões de toneladas, número próximo ao da Conab. A Argentina colherá 55,5 milhões, estimam os americanos.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 23/01
Terça-Feira, 22/01
Arábia Saudita descredencia 33 unidades de carne de frango do Brasil que podem exportar ao país (16:26)
Arábia Saudita barra carne de frango de cinco frigoríficos brasileiros (13:18)
2019: Sindirações abre o calendário de cursos (08:27)
Movimento Frete sem Tabela critica reajustes divulgados pela ANTT (08:08)
Futuro de fiscais da Carne Fraca segue incerto (08:04)
Auster retoma plano para avançar no país (07:50)
Ovos produzidos em Pernambuco ganharão código na casca para garantir qualidade (07:47)
China aceita oferta de exportador de frango do Brasil para encerrar caso antidumping (07:46)
Mercado do boi apresenta baixa movimentação (07:40)
Milho: mercado interno registra estabilidade (07:35)
Soja: poucas variações nos preços com falta da referência de Chicago (07:30)
Segunda-Feira, 21/01
Dia de Campo da Copagril evidencia a força do cooperativismo (09:42)
China diz ter controlado surto de peste suína africana (08:47)
EUA e China negociam reabertura do mercado de frango (08:26)
China poderá reabrir seu mercado à carne de frango americana (08:26)
Exportações do agro em alta de quase 6% ultrapassam US$ 100 bilhões (08:11)
Custos de produção de frangos de corte subiram 14,21% em 2018 (08:07)
Guia Eletrônico de Nutrição Rhodimet®agora também está disponível para uso em smartphones (08:04)
MILHO/CEPEA: colheita da safra de verão se inicia no Brasil (08:02)
SOJA/CEPEA: preços internos, FOB e prêmios recuam com menor demanda internacional (08:01)
Milho: semana se encerrou com preços em alta na Bolsa de Chicago (08:00)
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)