Terça-feira, 20 de Novembro de 2018
Matérias-Primas

Brasil e EUA vão produzir menos soja, mas estoques são recordes

Guerra comercial com a China faz exportação americana recuar 11%.
São Paulo, SP, 09 de Novembro de 2018 - Esta quinta-feira (8) foi o dia dos números. Brasil e Estados Unidos refizeram estimativas de produção de grãos da safra que terminou e da que está sendo plantada.

No Brasil, são poucas novidades. A Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) confirmou a produção 2017/18 em 228 milhões de toneladas de grãos e estimou a atual —que está sendo plantada— entre 234 milhões e 238 milhões.

Aqui, como nos Estados Unidos, o grande destaque é a soja. A produção brasileira poderá cair e, na melhor das hipóteses, ficar estável em 119 milhões de toneladas, segundo a Conab.

Já os americanos, em final de colheita, revisaram os números da produção para baixo. As estimativas do Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) indicam agora uma safra de 125 milhões de toneladas, 2,5 milhões a menos do que o órgão previa em outubro.

O grande perigo para os sojicultores do mundo está nos elevados estoques dos americanos. Conforme o Usda, mesmo com a queda na produção, os Estados Unidos terminarão a safra 2018/19 com uma sobra de 26 milhões de toneladas de soja.

Esse volume, se confirmado, será o mais elevado até então no país e servirá para o consumo de 85 dias, segundo Daniele Siqueira, analista da AgRural.

O estoques mundiais sobem para 112 milhões de toneladas, para um consumo de de 352 milhões.

Siqueira destaca, ainda, a queda no volume das exportações norte-americanas.

Devido à guerra comercial dos Estados Unidos com a China, maior importadora da oleaginosa do mundo, as vendas externas de soja dos Estados Unidos deverão recuar para 51,7 milhões de toneladas, 6 milhões a menos do que a do ano anterior.

Já as vendas externas do Brasil, país que tem sido procurado pela China para suprir a sua demanda, deverá exportar mais.

Nos cálculos do Usda, as vendas externas de soja dos brasileiros vão somar 77 milhões de toneladas na safra 2018/19 —o início desta safra é em setembro deste ano e termina em agosto do próximo, no calendário americano.

O governo dos EUA reduziu também as estimativas de importação de soja pela China de 94 milhões de toneladas para 90 milhões no ano.

Esse novo número fica mais próximo do que estimam algumas consultorias —85 milhões—, segundo Siqueira. O próprio governo chinês estima importações de 84 milhões.

O Usda prevê uma safra brasileira de 120 milhões de toneladas, número próximo ao da Conab. A Argentina colherá 55,5 milhões, estimam os americanos.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 20/11
China pode autorizar importação de carnes de até 78 unidades do Brasil (07:03)
Segunda-Feira, 19/11
Mapa e IICA lançam hotsite com estratégia internacional do agro (23:00)
Conab promove seminário sobre perdas de alimentos (22:55)
México habilita novas plantas para exportação de carne de aves Negociação externa (12:35)
Novas habilitações para o México devem incrementar exportações de frango do Brasil em 2019 (12:24)
Vetanco participa da 2nd Latin American Scientific Conference (08:15)
Milho: mercado aguarda novidades e fecha pregão desta 6ª com leves quedas na Bolsa de Chicago (08:08)
Soja: mantendo foco na disputa entre chineses e americanos, Chicago recua nesta 2ª feira (08:00)
Necta, com apoio do IOB, reúne alunos de graduação e pós gradução para falar sobre ovos (07:57)
Sexta-Feira, 16/11
FRANGO/CEPEA: carne se valoriza com aumento da procura (08:17)
OVOS/CEPEA: maior demanda eleva cotações; alta do vermelho supera 20% (08:16)
Retomada econômica poderá afetar o campo em 2019, diz analista (08:14)
SUÍNOS/CEPEA: bom ritmo de exportações e demanda interna elevam preço da carne (08:14)
BOI/CEPEA: aumento no abate mostra retomada de produtividade (08:13)
ABPA fomenta novos negócios para importações chinesas de aves e de suínos na CIIE (08:03)
Câmbio e clima nos EUA deixaram o milho na CBOT em total estabilidade (08:02)
Dólar mais alto e neve nos próximos dias nos EUA firmaram a soja em alta moderada em Chicago (08:00)
Quinta-Feira, 15/11
Quarta-Feira, 14/11
Putin ressuscita super-frango russo (20:08)
Brasil pede que Europa revise cotas após Brexit (20:01)
Paraná produzirá até 47% mais milho em 2019 (19:25)
Pilgrim’s, da JBS, concorre por ativos da BRF na Tailândia e Europa (19:22)
FAEP solicita continuidade do programa Tarifa Rural Noturna (19:21)
CNA debate normas técnicas da avicultura (19:19)
Pilgrim’s, da JBS, concorre por ativos da BRF na Tailândia e Europa (19:10)
Distribuidor da Vetanco promove Simpósio no NE (14:53)
Nova ministra terá que lidar com reflexos da Carne Fraca (11:28)
Programa técnico do Congresso de Ovos 2019 já tem principais temas definidos (09:33)
CNA protocola no STF pedido de suspensão de multas relativas a fretes (08:47)
JBS tem resultado operacional recorde, mas fica no vermelho (08:42)
Abate de bois cresceu no 3º tri, mas o de aves diminuiu (08:41)
Excesso de frango nos EUA desafia Tyson Foods (08:10)
Exportação ajuda, e produção de carnes se recupera no 3º trimestre (08:05)
Milho: perdas do trigo pesam e mercado recua mais de 1% nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago (08:03)
Alta do dólar tem efeito limitado e preços da soja no mercado brasileiro tem 3ª feira de estabilidade (08:00)