Sábado, 20 de Outubro de 2018
Empresas

BRF está pronta para voltar aos “velhos tempos”
São Paulo, 19 de Setembro de 2018 -

A chegada de um novo executivo e o fortalecimento do time liderado pelo CEO, Pedro Parente, coloca a BRF em um caminho para “voltar aos velhos tempos”, avalia o Bradesco BBI em um relatório enviado a clientes. O novo vice-presidente de qualidade, pesquisa & desenvolvimento e sustentabilidade Neil Peixoto tem 25 anos de experiência na indústria de alimentos, incluindo P&D na Kraft e Mondelez.

“Neil Peixoto também se encaixa no perfil da BRF de trazer profissionais experientes e com sólida formação no setor (como Vinícius Guimarães da Anheuser-Busch InBev para operações e Rubens Pereira da Cargill para estratégia) e/ou com experiência anterior na BRF (Como Sidney Manzaro). Com a equipe de gestores completa, vemos a BRF pronta para avançar com seu plano de reestruturação”, destacam os analistas Leandro Fontanesi e Ricardo França.

A recomendação de compra foi reforçada. O relatório aponta que a execução do plano de recuperação é o principal direcionador para ação no segundo semestre de 2018, o que poderá permitir o fechamento da diferença atual da ordem de 30% em relação ao múltiplo EV/Ebitda para cerca de 10% até o final do ano de 2018.

Em contato com a administração, o Santander ressaltou que a empresa está chamando a atenção do mercado para o próximo Brasil Foods Day, encontro com investidores, no próximo dia 8 de outubro. A empresa também reforçou que o balanço do segundo trimestre foi o pior do ano e que as coisas tendem a melhorar, principalmente em margem no terceiro trimestre.

“A gente sabe que essa é uma velha retórica da BRF e foi por meio dessa história, de sempre começar a melhorar no próximo trimestre, que o mercado foi de decepcionando. Mas, talvez com a nova gestão de Pedro Parente, a forma de comunicação com o mercado tenha melhorado. A nossa impressão é de que hoje até o investor day a ação pode ficar com um pouco mais de esperança”, destaca o banco.

Recomendação 

Goldman Sachs elevou na segunda-feira a recomendação para as ações da BRF de venda para compra e introduziu um preço-alvo de R$ 30,80 para o  horizonte de 12 meses, o que representa um potencial de valorização de aproximadamente 50%, revela um relatório enviado a clientes e assinado por Luca Cipiccia.

O analista utilizou as receitas de 2017 como base para o cálculo por conta da baixa visibilidade sobre o “timing” da venda dos ativos da empresa e incertezas sobre a normalização do mercado externo.

Ele lembra que os papéis têm queda de cerca de 70% após o pico de agosto de 2015 (enquanto o Ibovespa subiu mais de 50%) e baixa de 40% no ano (Ibovespa -2%) após uma sequência de notícias negativas. O Goldman Sachs acredita que o segundo trimestre deve ter marcado o menor nível de margens bruta e Ebitda.

O banco destaca que, desde meados de 2017, os problemas sobre a exportação aumentaram a oferta para um mercado doméstico já fraco e, mais recentemente, a greve dos caminhoneiros trouxe pressão adicional sobre a cadeia de valor da BRF.

“Indiretamente, no entanto, esse evento pode ter marcado, a nosso ver, o ponto mais baixo para a BRF e para a indústria, na medida em que acelerou um ‘aperto forçado’ na oferta, favorecendo um reequilíbrio com a demanda. De fato, os preços no Brasil mostraram alguma normalização nos últimos três meses e a participação de mercado da BRF se estabilizou, superando de maneira moderada a indústria”, destaca o relatório.


(Money Times) (Gustavo Kahil)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 20/10
Sexta-Feira, 19/10
Exportadores de aves e de suínos lançam campanha de imagem na União Europeia (09:58)
FRANGO/CEPEA: menor produção sustenta valor do pintainho em 2018 (09:48)
OVOS/CEPEA: preços iniciam segunda quinzena em forte queda (09:46)
BRF mantém conversas "amplas" com autoridades sobre investigações da PF (09:15)
Por carnes, Brasil faz proposta a Hong Kong (07:28)
Condomínio Vespasiano Corrêa assina contrato para liberação de financiamento (07:14)
Milho em Chicago dá continuidade às baixas da sessão anterior e testa ligeiras perdas nesta 6ª feira (07:13)
Após queda intensa, soja passa por leve correção técnica em Chicago nesta 6ª feira (07:12)
Fraca demanda pela soja dos EUA derruba preço em Chicago (07:00)
Quinta-Feira, 18/10
Vetanco participa do ACAV 2018 (14:46)
Chile reabre mercado para avicultura do RS (13:32)
SUÍNOS/CEPEA: exportação elevada sustenta preços no Brasil (10:15)
BOI/CEPEA: produtividade de carne por animal é maior em SP (09:44)
Adaptação veterinária (08:55)
Guerra comercial já eleva os preços na China (08:45)
BRF negocia acordo de leniência com MPF e CGU (08:14)
Agro olhou para eleição presidencial e esqueceu representantes do setor (08:11)
Soja: mercado no Brasil tem novo dia de pressão nesta 4ª e continua sentindo peso do câmbio (08:00)
Força-tarefa encontra três novos focos de peste suína no Ceará (07:28)
O frigorífico que produz carne de frango sem matar nenhuma ave (06:51)
Quarta-Feira, 17/10
Em Goiás, IOB prepara série de ações em parceria com a Associação Goiana de Avicultura (13:52)
Em MG, NECTA realiza 1º Dia do Ovo, com apoio do IOB (08:20)
Movimentação do Porto de Itajaí aumenta 81% em setembro (06:33)
Road Show Aves e Suínos da Boehringer fortalece a cadeia de proteína animal com conhecimento técnico (06:32)
Para ampliar exportação, setor de aves e de suínos vai à feira em Paris (06:31)
Importações chinesas de carne suína devem crescer 8% neste ano (06:10)
Soja: com previsão de melhora do clima nos EUA, mercado em Chicago ainda opera estável nesta 4ª (06:00)
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)