Domingo, 20 de Janeiro de 2019
Política Agrícola

Demanda por crédito rural cresceu quase 50% em julho
Brasília, DF, 06 de Agosto de 2018 - A safra 2018/19 já começou com forte ritmo de contratações de crédito rural, puxadas por taxas de juros ainda menores que as praticadas pelos bancos na temporada anterior. Em julho, o primeiro mês do novo calendário agrícola, o montante de financiamentos tomado pelo setor agropecuário junto aos bancos cresceu 48,5%, para R$ 14,4 bilhões, em relação ao mesmo mês do ano-safra 2017/18.

A maior demanda por empréstimos no campo foi puxada principalmente pela demanda por crédito para custeio agropecuário, modalidade bastante procurada no início da safra quando os produtores se preparam para o plantio da safra. Essas operações atingiram R$ 10,1 bilhões no mês passado, uma alta de 53% sobre julho de 2017. Os financiamentos para investimento também cresceram, saltando de R$ 1,8 bilhão em julho de 2017 para R$ 2,1 bilhões no mesmo mês deste ano.

Os empréstimos que registraram maior aumento nas contratações foram os destinados à comercialização. Essa rubrica cresceu 70% em relação a julho de 2017, para R$ 2,2 bilhões.

Na avaliação de Fabrício Rosa, diretor-executivo da Aprosoja Brasil, entidade que representa os sojicultores do país, deve haver uma aceleração nos desembolsos de crédito rural nos primeiros meses desta nova safra, principalmente para a agricultura empresarial. O segmento tomou R$ 11,7 bilhões apenas nesse primeiro mês da nova temporada agrícola, 46,2% mais que no mesmo período de 2017/18.

"Como a safra passada foi a primeira em que os bancos foram autorizados pelo governo a praticar taxas de juros menores do que as fixadas pelo Plano Safra, os produtores já estão aguardando que isso se repita na nova safra agora", afirmou Rosa.

Em média, o governo concedeu uma redução de um ponto percentual nas taxas de juros do Plano Safra 2018/19. Com isso, as taxas do custeio caíram para 7,5% e as de investimento para até 5,5% ao ano. O cenário de juros baixos na economia, com a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% ao ano, abaixo ainda do atual patamar do custeio, sugere que os bancos podem praticar taxas menores que os tetos do Plano Safra, avalia Rosa.

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz, afirmou que o aumento na tomada de crédito rural no primeiro mês da safra é comum sempre que há uma queda de taxa de juros. Mas ponderou que ainda é cedo para dizer que a maior demanda dos produtores por crédito pode significar tendência de aumento na área plantada de grãos no novo ciclo.

A contratação de crédito rural cresceu em todos os grandes grupos de bancos que operam nesse mercado. No caso dos bancos públicos, puxados pelo Banco do Brasil, os desembolsos alcançaram R$ 8 bilhões em julho último, alta de 56,2% em relação ao mesmo intervalo de 2017.

Apenas o BB, líder desse mercado com participação de 60%, liberou um volume de crédito rural 32% maior do que em julho do ano passado, atingindo R$ 6,2 bilhões. Os privados também cresceram: o montante contratado subiu 58,3%, para R$ 3,8 bilhões.

(Valor) (Cristiano Zaia)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 20/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)