Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018
Exportação

Exportação de material genético avícola cresce 33% no semestre
São Paulo, SP, 17 de Julho de 2018 - Este não é um bom ano para a avicultura, principalmente no que se refere ao mercado externo. O volume exportado de carne e as receitas obtidas no primeiro semestre, em relação a igual período de 2017, tiveram quedas de 17%.

O país, acostumado a evoluções contínuas nas exportações de carne de frango, vê o mercado encolher. Nem tudo está perdido, porém. Há um avanço constante nas exportações de material genético, que soma 33% no primeiro semestre.

De janeiro a junho deste ano, os brasileiros aumentaram em 29% a exportação de pintos de um dia e em 35% a de ovos férteis, em relação ao primeiro semestre de 2017.

O avanço do Brasil nesse segmento da avicultura, até então prioridade de países desenvolvidos, se deve a vários fatores. “A biosseguridade é uma das chaves dessa evolução. A alta segurança no setor acaba sendo um bom marketing para o país.”

A afirmação é de Ailton Locateli, gerente de planejamento e comércio exterior da Aviagen América Latina, empresa que vem obtendo evolução de 25% a 30% ao ano nas exportações de material genético.

Para Ariel Antônio Mendes, diretor de relações institucionais da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), “o Brasil é a bola da vez em material genético”. O país vem se preparando há tempos para a criação de linhas puras.

Além disso, o Brasil tem uma condição diferenciada em relação a vários de seus concorrentes. É o segundo maior produtor de carne de frango e o maior exportador mundial, mas o único, entre os grandes produtores, que nunca foi afetado pela gripe aviária.

Isso permite que as grandes empresas externas façam um backup de suas linhagens no país. Se algo dá errado em seus países de origem, a linhagem está garantida no Brasil.

O país tem hoje aves de elite, que servem de ponto de seleção para chegar ao frango comercial. Esse processo demora de quatro a cinco anos.

As granjas brasileiras estão preparadas para a produção de bisavós, avós, matrizes e produtores comerciais de frango de corte.

Mil fêmeas altamente selecionadas, do tipo pedigree —após passar por um processo de reprodução de tetravó, bisavó, avó e matriz—, vão resultar na produção final de 1,8 bilhão de frangos de corte.

Assim como há uma busca constante de novas tecnologias pelos consumidores —troca-se de celular para a obtenção de novas aplicabilidades do aparelho—, a genética dos animais se renova constantemente.

Com ela, é possível uma redução anualmente no consumo de ração e ganho de peso nas carcaças de frango. No caso das matrizes, buscam-se maior fertilidade e melhor qualidade dos pintinhos.

Locateli acredita que o Brasil ainda tem muito a crescer nas exportações de genética. Há um reconhecimento do produto brasileiro, e o país está livre da influenza aviária.

A Aviagen exporta para mercados já abastecidos pela matriz e desenvolve projetos para países como Equador e Peru.

Para o país ganhar mais mercado externo, contudo, algumas coisas precisam ser mudadas, principalmente na logística.

A Aviagen coloca material genético para Paraguai, Uruguai e Bolívia por meio de estradas. As longas viagens não são ideais para os pintinhos.

As vendas para a Venezuela, por exemplo, passam primeiro por Miami, devido às dificuldades nas rotas aéreas.
(Folha de S.Paulo) (Mauro Zafalon)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 10/12
Sexta-Feira, 07/12
Cresce mobilização de caminhoneiros por nova paralisação (16:15)
Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 já tem data e temas definidos (12:52)
Qualidade de água é tema de palestra da Vetanco (09:50)
Cobb-Vantress premia melhores lotes da região Nordeste (09:07)
NUCLEOVET apresenta planejamento 2019 em evento em SP (09:03)
FRANGO/CEPEA: exportações recuam, mas valores da carne sobem em novembro (08:14)
Início de dezembro apresenta maior firmeza nas cotações do boi gordo (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quinta-feira com leves baixas (08:00)
A pedido da CNA, STF suspende multas pelo descumprimento da tabela do frete (07:37)
Paraná desburocratiza processo de licenciamento ambiental (07:30)
Depois do frango, Marrocos libera importação de carne bovina dos EUA (06:28)
Quinta-Feira, 06/12
Avicultura gaúcha sofre após desabilitação de unidades de abate (23:34)
“Conexão Aviagen” promove o crescimento e o sucesso do Ross 308 AP (08:50)
SUÍNOS/CEPEA: em novembro, média do vivo é a maior em 2018 em muitas regiões (08:28)
BOI/CEPEA: diferentes necessidades seguem resultando em oscilação do indicador (08:20)
Efeito da trégua entre EUA e China já é menor sobre commodities agrícolas (08:15)
Boi Gordo: preço sobe em São Paulo (08:10)
Milho: Bolsa de Chicago fecha quarta-feira com preços do milho estáveis (08:05)
Soja: Chicago estável e prêmios em queda levam disponível em Paranaguá aos R$ 79 nesta 4ª feira (08:00)
PIB do agronegócio do Brasil deve crescer 2% em 2019, prevê CNA (07:23)
SC aumenta exportação de frango em 14% e a de suínos em 33,6% (07:21)
Licenciamento ambiental em São Paulo para a avicultura (07:19)
Quarta-Feira, 05/12
JBS contrata Guilherme Cavalcanti como CFO (10:34)
El Niño fraco deve 'poupar' safra 2018/19 (10:26)
Vetanco promove palestra técnica junto a Cooperativa Lar (10:19)
Mês difícil para agroindústria ajudou a frear resultado de outubro (08:31)
JBS terá primeiro CEO que não é da família Batista (08:15)
Itamaraty deve reforçar foco agrícola (08:11)
Cenário positivo para o mercado do boi gordo (08:08)
Milho: Bolsa de Chicago fecha terça-feira com alta nos preços do milho (08:06)
Sem nenhum movimento que indique volta às compras dos chineses, soja em Chicago aguarda divulgação de regras definidas em trégua (08:00)
Lar Cooperativa recebe quatro troféus de Inovação (07:42)
Ponta Porã: Programa de incubadoras avança na Nova Itamarati (07:40)
JBS troca comando da empresa (07:39)
Terça-Feira, 04/12
Brasil exporta 322,1 mil toneladas de carne de frango em novembro (18:46)
A pedidos, futuro governo avalia fim da tabela de frete (08:35)
China perto de acordo para retirar antidumping do frango do Brasil (08:18)
Trégua entre China e EUA pouco muda o cenário para a soja brasileira (08:15)
Dezembro começa a cotação da arroba do boi gordo subindo (08:06)
Milho: preços terminam segunda-feira em alta na bolsa de Chicago (08:04)
Soja perde força ao longo do dia e fecha com altas de pouco mais de 10 pts na Bolsa de Chicago (08:00)
Cooperativa vai fortalecer produção de ovos em São Bento do Una (06:55)
Mauricéa, um sucesso vivido em família (06:52)