Quarta-feira, 14 de Novembro de 2018
Empresas

Grupo Vibra, de frango, aposta em inovação e busca novo investidor
Montenegro, RS, 12 de Julho de 2018 - O grupo Vibra, dono das marcas de carne de frango Nat e Avia, inaugurou nesta quarta-feira em Montenegro (RS) um centro de pesquisa e inovação com aportes de R$ 5 milhões, como parte de um plano de expansão que prevê aquisições e admite o ingresso de um novo investidor. A ideia é reforçar a capitalização do negócio e ir às compras no Rio Grande do Sul e em “outra região” do país para garantir um “bom crescimento” num prazo de cinco anos, disse o diretor de marketing e vendas, Flávio Rogério Wallauer.

“Estamos olhando as oportunidades. Temos crédito e caixa, mas daqui a pouco, para fazer aquisições, a gente pode precisar de algum suporte a mais”, reforçou o diretor superintendente Gerson Müller. Segundo Wallauer, ainda não há negociações em curso, mas este é o planejamento. “A empresa está pronta para crescer, com governança corporativa consolidada”, afirmou. Uma abertura de capital, no entanto, não está prevista neste momento.

Além do abate e industrialização de carne de frango, o grupo é dono da empresa de genética Agrogen, com capacidade para produzir 14 milhões de matrizes por ano – o equivalente a cerca de 25% do mercado brasileiro - a partir de aves “avós” recebidas da unidade de São Paulo da americana Cobb-Vantress, controlada pela Tyson Foods. Os incubatórios ficam em Montenegro, junto à sede do grupo, e Guarapuava (PR) e neste ano devem produzir 10 milhões de matrizes.

No ano passado, o Vibra obteve receita líquida de R$ 1,2 bilhão, com alta de 4,8% sobre 2016, e para 2018 a previsão é chegar a pouco mais de R$ 1,3 bilhão. Neste ano o desempenho será favorecido pela alta das exportações, que devem avançar 15% e chegar a 50% do faturamento e do volume vendido graças a espaços abertos no mercado externo pelo embargo da União Europeia a 20 frigoríficos brasileiros, disse Wallauer.

As vendas externas destinam-se a mais de 35 países entre Europa e Ásia, com a marca Avia, e América Latina e Oriente Médio, com a marca Nat, também comercializada no mercado interno. A sobretaxa de 18% a 38% sobre os produtos brasileiros aplicada em junho pela China, que junto com Hong Kong absorve 15% das exportações, terá algum impacto, mas a intensidade ainda não está clara, disse Wallauer.

Com 4,2 mil funcionários e cerca de mil aviários integrados, o grupo tem 15 unidades no Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais, incluindo ainda fábricas de rações e os três frigoríficos, em Sete Lagoas (MG), Pato Branco e Itapejara d’Oeste (PR), que podem abater até 700 mil cabeças por dia. Atualmente o volume está em 520 mil aves por dia, ante 500 mil em 2017, e a meta é preencher gradualmente a capacidade instalada nos próximos anos, explicou Müller. Segundo ele, a empresa é a quarta maior do setor no país, atrás apenas da BRF, JBS e cooperativa Aurora Alimentos.

Fundado por Flávio Sérgio Wallauer e Heitor Müller, pais dos atuais diretores, o Vibra completa 50 anos neste mês e incluía a antiga Frangosul, mas em 1998 ela foi vendida para a francesa Doux e depois, com as dificuldades financeiras do grupo fancês, incorporada pela JBS. Após a venda da Frangosul, o grupo ficou com a Agrogen, mas voltou ao abate de frangos em 2009 em uma unidade terceirizada e, nos cinco anos seguintes, adquiriu os três frigoríficos em Minas Gerais e no Paraná.

Segundo o diretor de vendas, o centro de inovação inaugurado nesta quarta-feira inclui uma planta industrial piloto e tem como meta permitir a renovação de 25% do portfólio da empresa até 2022, principalmente com oferta de novos industrializados de frango, de maior valor agregado, como assados, temperados e empanados.

De acordo com ele, a nova unidade vai concentrar o trabalho de desenvolvimento que antes era realizado em diferentes locais, com uma redução estimada de 30% nos prazos de colocação dos novos produtos no mercado.

(Valor) (Sérgio Ruck Bueno)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 14/11
Distribuidor da Vetanco promove Simpósio no NE (14:53)
Nova ministra terá que lidar com reflexos da Carne Fraca (11:28)
Programa técnico do Congresso de Ovos 2019 já tem principais temas definidos (09:33)
CNA protocola no STF pedido de suspensão de multas relativas a fretes (08:47)
JBS tem resultado operacional recorde, mas fica no vermelho (08:42)
Abate de bois cresceu no 3º tri, mas o de aves diminuiu (08:41)
Excesso de frango nos EUA desafia Tyson Foods (08:10)
Exportação ajuda, e produção de carnes se recupera no 3º trimestre (08:05)
Milho: perdas do trigo pesam e mercado recua mais de 1% nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago (08:03)
Alta do dólar tem efeito limitado e preços da soja no mercado brasileiro tem 3ª feira de estabilidade (08:00)
Terça-Feira, 13/11
ABPA participa de websérie para promover a carne de frango brasileira (11:53)
Ovos registram recorde de produção em um terceiro trimestre (10:52)
Abate de frangos cai 4% no terceiro trimestre de 2018 (10:48)
Sinais de queda na oferta de boi em 2019 (08:59)
Frigoríficos ainda esperam boa disponibilidade de animais no ano que vem (08:58)
Aumenta participação de mulheres com nível superior no agronegócio (08:15)
Milho: mercado tem sessão volátil, mas alta do trigo garante leves altas nesta 2ª feira em Chicago (08:09)
Soja fecha com leve baixa em Chicago, enquanto preços têm 2ª feira volátil no Brasil (08:00)
Boi: parada técnica no mercado de reposição (07:50)
Setor de alimentos e bebidas terá rodada de negócios com importadores chineses dia 23 em SP (07:35)
Prêmio para o empreendedorismo (07:33)
Comissão de avicultura da FAEP encerra 2018 de olho no futuro (07:31)
Grão, minérios, combustíveis e Tecon 2 nos planos de Suape (07:28)
Temas ligados à produção animal serão discutidos em Toledo (07:27)
Segunda-Feira, 12/11
MILHO/CEPEA: depois de cair por quase três meses, preço sobe em algumas regiões (10:27)
SOJA/CEPEA: demanda internacional incerta reduz prêmio no Brasil e valores recuam (10:25)
Diretório Acadêmico de Medicina Veterinária da IMED homenageia Francisco Sérgio Turra (10:20)
Languiru e Dália Alimentos assinam acordo de intenções (09:03)
'Futuro governo não pode fechar portas para o agronegócio' (08:15)
Soja opera em queda na Bolsa de Chicago nesta 2ª feira e corrige altas da última semana (08:00)
Exportadores de carne temem mudança de embaixada para Jerusalém (07:36)
Sexta-Feira, 09/11
FRANGO/CEPEA: preço da carne inicia novembro em alta (09:41)
OVOS/CEPEA: oferta diminui e preços voltam a subir (09:30)
MSD Saúde Animal é reconhecida como a melhor empresa para se trabalhar no segmento de saúde animal (09:22)
"Nunca prometi prazo para virar o jogo na BRF", diz Pedro Parente (09:20)
Agora, Tyson foca expansão no exterior (09:17)
Cobb-Vantress compartilha experiência em manejo de machos no Latin American Poultry & Nutrition Congress 2018 (08:07)
Brasil e EUA vão produzir menos soja, mas estoques são recordes (07:54)
Contratação de crédito rural até outubro soma R$ 64 bilhões (07:52)
Boi: melhora da oferta colabora para queda dos preços da arroba (07:49)
Milho: USDA reduz projeção para a safra dos EUA e mercado fecha 5ª com leves altas em Chicago (07:48)
USDA tem efeito limitado e soja fecha estável na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira (07:46)
Quinta-Feira, 08/11
Wisium intensifica atuação na Região Sul (13:29)
SUÍNOS/CEPEA: início de mês e retomada das compras russas impulsionam preços (11:42)
BOI/CEPEA: apesar da pressão da indústria, indicador se sustenta (11:40)
China se torna o maior mercado para carne suína catarinense (09:45)
Grãos: Conab estima uma produção entre 233,7 e 238,3 milhões de toneladas (08:40)
Agronegócio elogia experiência de futura ministra, mas destaca desafios (08:17)
Boi Gordo: baixa volatilidade no mercado (08:10)
Exportações de carne de frango mantém alta em outubro (08:09)
Soja brasileira com boas perspectivas para 2019, mesmo se confirmado acordo entre China e EUA (08:00)