Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2019
Matérias-Primas

Milho: mercado recua mais de 2% nesta 4ª em Chicago com foco na China e no clima no Meio-Oeste
Campinas, SP, 12 de Julho de 2018 - As crescentes tensões comerciais entre as duas maiores potências mundiais, Estados Unidos e China, geraram uma aversão ao risco nesta quarta-feira (11) e derrubaram as principais commodities agrícolas. No final desta terça-feira, o governo norte-americano ameaçou impor novas tarifas de 10% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses.

Já o Ministério do Comércio da China informou, em nota, estar "chocado", que as ações são "completamente inaceitáveis" e que irá reclamar junto à Organização Mundial do Comércio, conforme informações Reuters. "Essa é uma luta entre unilateralismo e multilateralismo, protecionismo e livre comércio, poder e regras", afirmou a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, nesta quarta-feira em entrevista à agência de notícias.

Diante desse cenário, o milho recuou pelo terceiro dia consecutivo na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições da commodity ampliaram as perdas e encerraram a sessão com quedas de mais de 7 pontos, uma desvalorização de mais de 2%.

O vencimento julho/18 era cotado a US$ 3,31 por bushel, enquanto o setembro/18 operava a US$ 3,40 por bushel. O dezembro/18 finalizou o pregão a US$ 3,53 por bushel e o março/19 trabalhava a US$ 3,65 por bushel.

“No curto prazo, a China provavelmente não conseguirá tirar muito de seus negócios dos EUA, e o que eles provavelmente irão se deslocar. Mas, a longo prazo, isso lhes dá mais incentivo para desenvolver outros canais ”, disse Ted Seifried, analista da Zaner Ag Hedge em entrevista à Reuters internacional.

Paralelamente, as atenções dos participantes do mercado estão voltadas para o comportamento do clima no Meio-Oeste, já que grande parte das lavouras está em fase de polinização. O relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que será divulgado nesta quinta-feira, também segue em pauta.

"As previsões para uma mistura favorável de chuva e calor moderada na próxima semana no Meio-Oeste ressaltou a perspectiva de uma colheita abundante de milho e aumentou as expectativas de que o USDA aumente sua previsão de safra no boletim de amanhã", informou a Reuters.

Mercado brasileiro

Após um longo período sem oscilações expressivas, as cotações do milho negociadas no mercado interno tiveram um dia mais movimentado. Nesta quarta-feira, a saca caiu 7,69% em Jataí (GO) e terminou o dia a R$ 24,00. Já em Campinas (SP), a perda foi de 1,35%, com a saca do cereal a R$ 36,60.

Na região de Sorriso (MT), a alta ficou em 5,56%, com a saca do milho a R$ 19,00. Já em Ponta Grossa (PR), o ganho ficou em 2,94%, com a saca a R$ 35,00. No Oeste da Bahia, a saca subiu 3,13% e fechou o dia a R$ 33,00.

Os analistas ainda reforçam que as cotações permanecem pressionadas em meio ao andamento da colheita da segunda safra. Por outro lado, a questão do tabelamento do frete também tem impactado as negociações.

A MP 832, que estabelece preço mínimo para o frete rodoviário foi aprovado na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira. Medida será votada agora no plenário do Senado.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 19/02
No Congresso de Ovos, Biocamp lança nova logomarca e comemora 20 anos de pioneirismo (11:54)
ABPA e DIPOA promovem encontro sobre inspeção (11:04)
Ministério promove, em Brasília, seminário sobre autocontrole na produção agropecuária (09:42)
JBS importa milho pela primeira vez em 2019, diz fonte (09:38)
Dívidas de financiamento para produtores e cooperativas no BNDES são prorrogadas (09:36)
Ação&Manejo: Controle e análise dos dados em granjas produtoras de ovos (09:07)
Frigoríficos buscam atalhos para vender ao Irã (08:20)
Indústria de ração do Brasil sente impacto de menor crescimento do setor de aves (08:15)
Mercado do boi gordo permanece travado (08:10)
Milho: mercado interno encerra segunda-feira com poucas movimentações (08:05)
Preços da soja no Brasil ainda dependem das relações comerciais China x EUA para definir direção (08:00)
ICC Brazil participa da VIV Asia 2019 (07:30)
Segunda-Feira, 18/02
Cobb-Vantress lança novos guias de manejo (13:50)
Blitz de Verão: ASGAV e COBB realizam atividade de promoção do consumo de carne de frango (10:34)
Milho: demanda firme e recuo vendedor sustentam altas (10:17)
Vetanco promove ciclo de palestras no Polo Avícola da Bahia (09:22)
Serviço de inspeção de Caxias do Sul tem equivalência ao Sisbi-Poa reconhecida (07:26)
Ministra defende que Congresso discuta retorno de desconto na conta de energia dos produtores (07:24)
Prazo da Frango Ad’Oro termina no próximo dia 22 (07:21)
Boi Gordo: frigoríficos testam preços abaixo das referências, mas volume de negócios é pequeno (07:06)
Soja: prêmios no Brasil sobem mais de 30% em 1 mês e ajudam cotações no mercado interno (07:00)
Sexta-Feira, 15/02
Frango: Cepea aponta que poder de compra vem registrando mais um mês de queda (09:32)
Ovos: preços de fevereiro são os maiores desde junho/2018, destaca Cepea (09:30)
China anuncia tarifas de até 32,4% ao frango brasileiro por 5 anos (08:21)
Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio (08:11)
Suíno Vivo: altas em SP, PR, MG e GO (08:08)
Boi Gordo: mercado em ritmo lento (08:06)
Boi Gordo: volume de animais abatidos no BR se eleva em 2018 (08:05)
Milho: mercado estável (08:04)
Soja: preços registram alta (08:00)
MSD Saúde Animal patrocina Congresso de Ovos e debate complexo respiratório em espaço empresarial (07:43)
Quinta-Feira, 14/02
Mercado será foco dos debates na abertura do Simpósio Brasil Sul de Avicultura (13:52)
2ª Conbrasul Ovos abre período de inscrições online (13:38)
Indústria de alimentos prevê avanço de até 4% (09:34)
Etanol de milho avança (09:32)
Nova regra incentiva emissão de letras de crédito do agronegócio (08:50)
Pilgrim’s Pride registra prejuízo de US$ 8,2 milhões no 4º trimestre (08:40)
Recall da BRF expõe falha e transparência (08:38)
IOB segue sua campanha em São Paulo (08:26)
Vetanco homenageia Cooperitaipu (08:22)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (08:16)
Boi: em SP, preço da arroba está estável (08:12)
Milho: estabilidade domina o dia (08:05)
Preços da soja sobem no Brasil nesta 4ª feira (08:00)
Quarta-Feira, 13/02
VAXXITEK® já imunizou 100 bilhões de aves contra Marek e Gumboro (11:53)
Santa Catarina começa o ano com alta nas exportações de carnes (11:23)
Por salmonela, BRF faz recall de lotes de frango no Brasil e exterior (08:22)
Exportações do agronegócio sobem 6% em 12 meses e somam US$ 102,14 bilhões (08:07)
Suíno Vivo: alta de 5,12% em SC (08:05)
Boi gordo: oferta restrita dificulta a compra pelos frigoríficos (08:03)
Mercado Interno do milho permanece estável (08:00)
Brasil proíbe uso de antibióticos promotores de crescimento (07:51)
Clima adverso faz Conab e IBGE reduzirem projeções para safra (07:50)
SP: produção de grãos deve superar sete milhões de toneladas (07:49)