Domingo, 24 de Março de 2019
Mercado

Preço do frango congelado no atacado tem alta de 44,5% em São Paulo
São Paulo, SP, 12 de Junho de 2018 - A conta da paralisação dos caminhoneiros já começa a chegar à mesa dos brasileiros, e o impacto maior será no frango, encerrando um período de baixas nos preços.
Entre os dias 1º e 11 de junho, o frango congelado vendido no atacado no estado de São Paulo acumulou alta de 44,48%,de acordo com dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da Esalq-USP.
Entre 1º de janeiro e 1º de junho, o item registrava queda de 7,56%.

Também na primeira semana após os caminhões voltarem a rodar, o preço do frango resfriado para o consumidor na capital paulista apresentou alta de quase 12%, de acordo com a Fundação Procon-SP.
O tamanho real do repasse para o bolso do consumidor ainda não pode ser calculado, segundo a Apas (Associação Paulista de Supermercados), mas o avanço dos preços nas gôndolas é dado como certo pela entidade, principalmente se o governo mantiver o tabelamento de preços do frete --imposição aceita pelo presidente Michel Temer para encerrar a paralisação.

A interrupção do fornecimento de ração aos produtores a partir de 21 de maio, início da paralisação, eliminou aproximadamente 70 milhões de aves, segundo Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).
Em algumas granjas, houve relato de canibalismo entre as aves, em razão da falta de alimento.

"Existe hoje no campo aproximadamente 1 bilhão de aves para corte", compara Santin. "Perderam-se 7% da produção em cerca de dez dias."
A diminuição do estoque também permitiu que os produtores começassem a passar adiante parte do prejuízo que já vinha sendo acumulado devido a seguidas altas do milho e da soja, utilizados para ração, e que, antes da greve, não era repassado por causa do excesso de aves no mercado, avalia Maristela de Mello Martins, analista de mercado do Cepea.

"Desde o final do ano passado, o preço do frango vinha decrescendo, em razão de vários motivos", diz.
Um das principais causas recentes para o aumento da oferta de frango foi o embargo imposto pela União Europeia às exportações de frigoríficos brasileiros, em abril.
Para Ricardo Santin, da ABPA, os efeitos da greve reequilibraram o preço: "O frango vai subir, mas é um movimento de retomada aos valores que não poderiam ser repassados porque havia muita oferta."

Impactos já haviam sido previstos durante a paralisação dos caminhoneiros. Segundo a associação, os reflexos sociais, ambientais e econômicos são incalculáveis no médio prazo.
A ABPA registrou durante paralisação dos caminhoneiros que 167 plantas frigoríficas de aves e suínos tiram que suspender totalmente suas operações por não conseguir escoar a produção. Mais de 234 mil trabalhadores ficaram parados.

A associação alertou na época para o fato de que as dificuldades enfrentadas pelo setor terão impacto para os consumidores.
Destacou na ocasião que as carnes suína, de frango e os ovos, proteínas que antes eram abundantes e com preços acessíveis, poderiam se tornar significativamente mais caras ao consumidor caso à a paralisação se prolongasse.

Segundo os especialistas na área, a mortandade cria uma grave barreira para a recuperação da produção do setor.
De acordo com a associação, que representa 150 empresas e quase 100% do setor de aves e de suínos do Brasil, a recuperação total do setor demandaria no mínimo dois meses.

Para os especialistas, a expectativa é que o frango pare de subir a partir desta semana. Isso não significa, porém, que as quedas dos últimos meses serão restabelecidas. Ou seja, os preços mais altos vão se manter.
A estimativa é que os demais produtos ligados ao setor, como a produção de ovos, também vão demorar algum tempo para se recuperar.
(Folha de São Paulo) (Clayton Castelani)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 24/03
Sexta-Feira, 22/03
Instituto Ovos Brasil faz parceria com academia para levar informações sobre os valores nutricionais do ovo (15:02)
Conab avalia que aumento das exportações de soja podem afetar mercado interno (13:23)
Frango: preços sobem, influenciados pelo bom ritmo de embarques (08:33)
Ovos: preços do branco e do vermelho têm movimentos distintos (08:32)
Pré-Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 terá Simpósio de Automação (08:00)
Taxar o agro pode trazer grandes prejuízos ao país, dizem especialistas (07:06)
Para reflexão do setor: McDonald's testa nugget vegano feito de grão de bico, milho e batata (07:05)
Suíno Vivo: procura por animal vivo segue elevada (06:22)
Demanda lenta, mas preços do boi gordo firmes (06:20)
Possível atraso nas plantações de milho americano sustentam altas em Chicago (06:18)
Mesmo com enchentes nos EUA, mercado de soja não reage (06:17)
Soja: Preços sobem até R$ 2/saca nos portos e interior do Brasil (06:16)
Mercado de frango começa a ganhar fôlego e registra crescimento no 1º bimestre do ano em SC (04:02)
Mapa publica IN sobre novos procedimentos de registro de estabelecimentos sob SIF (03:58)
Quinta-Feira, 21/03
Suínos: demanda mantém preços elevados em SP (10:04)
Boi Gordo: abates aumentam 3,5% frente à 2017; volume é o maior desde 2014 (10:01)
Para reflexão do setor: NotCo chega ao Brasil com sua maionese sem ovo (09:19)
Missão do USDA que avaliará carne bovina será agendada esta semana (08:41)
Abate de suínos aumenta 61% em 11 anos, afirma IBGE (08:18)
ECPP fecha parceria com a Gujão Alimentos (08:04)
PIB do Agro fecha 2018 com estabilidade (07:28)
Tereza Cristina diz que agro precisa de investimentos em infraestrutura (07:26)
Suíno Vivo: estabilidade nas cotações (07:07)
Cotações da arroba do boi gordo em alta (07:05)
Milho fecha a 4ª feira estável em Chicago (07:03)
Soja recua mais de 1% nos portos do Brasil (07:00)
Quarta-Feira, 20/03
Evonik lança novo método rápido e confiável para avaliar a qualidade de matérias-primas (13:42)
Cinergis Agronegócios realiza sua II Reunião Técnico-Comercial (12:41)
EUA vão informar em três dias quando virão ao Brasil inspecionar frigoríficos para liberar importação de carne bovina (12:32)
Funrural: terra de ninguém (11:47)
Proposta traz ganhos, mas adesão parece rápida demais (11:15)
Da Unitá para o mundo (10:43)
Deputados paulistas articulam bancada do agronegócio na ALESP (10:42)
SC: exportações do complexo soja aumentam 58% em 2019 (09:10)
China recusa habilitação de frigoríficos (08:20)
Estados Unidos mandarão equipe de inspeção ao Brasil para autorizar importação de carne in natura (08:15)
Suíno Vivo: altas em SP e em SC nesta terça-feira (19) (07:23)
Boi Gordo: mercado segue firme (07:22)
Em poucos dias começa o Congresso de Ovos da APA (07:17)
Milho fecha a 3ª feira com resultados misturados (07:05)
Soja fecha mais uma vez estável em Chicago (07:00)
Terça-Feira, 19/03
Exportações do agronegócio renderam US$ 7,2 bi em fevereiro (13:26)
Grupo Mantiqueira apresenta produto vegano e outras novidades na Super Rio Expofood (13:17)
Yes amplia estrutura comercial visando crescimento nos mercados nacional e internacional (13:10)
Embrapa: custos de produção de suínos e frangos de corte caem em fevereiro (12:27)
Concurso de Qualidade de Ovos 2019 acontecerá durante a 5ª FAVESU (08:23)
IEA divulga a estimativa da Produção Animal do Estado de São Paulo, em 2018 (08:21)
Nos EUA, redução de peso melhora lucro do frango (08:05)
Macedônia do Norte quer aumentar importação de frango do Paraná (08:04)
Produção paulista de frango caiu 11,1% em 2018 (08:00)
Boi Gordo: segunda quinzena começa com preços em alta (07:45)
Exportação de soja ultrapassa US$ 2,5 bi em fevereiro (07:40)
Soja tem pequenas baixas em Chicago nesta 3ª feira (07:29)
Milho desvalorizado em Chicago nesta segunda-feira (07:20)