Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019
Exportação

Governo confia em reversão de antidumping chinês
São Paulo, SP, 11 de Junho de 2018 - Os exportadores brasileiros de carne de frango começam esta semana debruçados sobre a estratégia para reverter a tarifa antidumping aplicada pela China, terceiro principal destino dos embarques do produto nacional. A decisão de Pequim, em vigor desde o último sábado, é considerada reversível pelo Ministério da Agricultura e também pela indústria nacional.

Para tanto, os brasileiros terão de aceitar uma proposta do Ministério do Comércio da China (Mofcom) de estabelecer um preço mínimo para os preços do frango importado do Brasil. Com isso, o pleito dos produtores de frango da China (que se sentem lesados pela entrada do produto brasileiro) seria atendido.

"Se as empresas se comprometerem, eles retiram a tarifa", disse uma fonte a par das negociações. Ao Valor, o vice-presidente de mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, afirmou que é preciso conhecer os detalhes da proposta.

Normalmente, acrescentou, os compromissos de preço firmados por Pequim com os importadores têm validade de cinco anos. Trata-se de um período muito longo e, se o preço mínimo for fixado na moeda chinesa, alterações no câmbio podem provocar distorções no futuro.

No bastidores, o governo brasileiro avalia que um mal-entendido pode ter provocado a tarifa antidumping contra o frango. A origem do problema pode estar em uma decisão tomada em 22 de maio pela Câmara de Comércio Exterior (Camex). Na ocasião, o conselho de ministros autorizou a aplicação de medidas compensatórias contra o aço chinês por cinco anos, mas ao mesmo tempo suspendeu a aplicação dessa taxa.

A avaliação de autoridades em Brasília é que Pequim não gostou da decisão, na medida em que o aço chinês ainda poderá ser taxado. Diante disso, decidiu retaliar, com o antidumping ao frango.

Uma fonte graduada do governo disse confiar na retirada do antidumping. Nesse cenário, uma ação contra na Organização Mundial de Comércio (OMC) é considerada, no momento, improvável. Outro motivo que desestimula um contencioso é que Brasil e China têm uma pauta comercial ampla, e um painel poderia afetar outras negociações.

De qualquer forma, a reversão do quadro é crucial para a rentabilidade dos frigoríficos brasileiros, que têm em Pequim um polo para exportar cortes pouco demandados no Brasil. Em 2017, a China gastou US$ 760 milhões para importar 391 mil toneladas de carne de frango do Brasil, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex). O volume representou cerca de 10% das exportações do Brasil.

Na B3, as ações da BRF foram castigadas pela tarifa antidumping. Os papéis da empresa, que é a maior exportadora de carne de frango do Brasil, caíram 7,5%, a segunda maior baixa do Ibovespa. Em contrapartida, a JBS subiu 4,1%. A empresa é menos dependente do negócio de carne de frango no Brasil e pode se beneficiar da eventual abertura do mercado chinês aos EUA, onde atua.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 21/01
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)
Terça-Feira, 15/01
FRANGO/PERSPEC 2019: após ano difícil, cenário sinaliza recuperação para 2019 (11:27)
OVOS/PERSPEC 2019: excesso de produção pode limitar ganho; produtores devem ter cautela em 2019 (11:25)
SUÍNOS/PERSPEC 2019: exportação e custo menor podem garantir ano mais positivo (11:23)
BOI/PERSPEC 2019: após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019 (11:21)
Foto de ovo tem o maior número de “curtidas” do mundo (07:39)
Redes de fast-food não se comprometem com bem-estar de frangos, diz ONG (07:38)
eSocial: o que o empregador PF precisa saber sobre CAEPF (07:37)
Baixa demanda por carne bovina mantém mercado do boi com pouca movimentação (07:20)
Importações chinesas de soja recuaram 8% em 2018 (07:18)
Soja testa leves altas em Chicago nesta 3ª feira corrigindo as últimas baixas (07:17)