Terça-feira, 19 de Junho de 2018
Legislação

STF reafirma constitucionalidade do Funrural e nega modulação
Brasília, DF, 24 de Maio de 2018 - Os produtores rurais perderam no Supremo Tribunal Federal (STF) a disputa sobre o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural). Além de manter entendimento pela constitucionalidade da contribuição, os ministros negaram ontem recursos que buscavam a modulação da decisão tomada em 2017, para evitar cobrança retroativa.

Funrural é o nome da contribuição previdenciária do setor agrícola. Em março do ano passado, os ministros julgaram pela terceira vez a validade da cobrança, com base na redação da Lei nº 10.256, de 2001. Em 2010 e 2011, o Supremo, ao analisar normas anteriores, havia considerado a cobrança inconstitucional, por entender que deveria ser estabelecida por meio de lei complementar.

A norma de 2001 foi editada após a Emenda Constitucional nº 20, que em 1998 permitiu a cobrança de contribuições sociais sobre a receita bruta dos contribuintes. Foram mantidas pela lei a alíquota e a base de cálculo.

Os ministros julgaram ontem, de uma só vez, oito embargos de declaração com efeitos modificativos contra a decisão de 2017. Na sessão, todos negaram a suspensão da cobrança do tributo, mas três ressalvaram ser favoráveis à modulação: Edson Fachin, Rosa Weber e Marco Aurélio Mello. Com a medida, a decisão valeria apenas para o futuro - a partir da data do julgamento (30 de março de 2017).

Os demais entenderam não haver fundamentos constitucionais legítimos que exigissem o perdão do passado. Autor do voto vencedor, o relator do caso, ministro Alexandre de Moraes, foi acompanhado por Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lúcia. O decano da Corte, ministro Celso de Mello, não estava presente na sessão.

Com a decisão de 2017, o Supremo reverteu decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região que havia afastado a incidência da contribuição sobre a receita bruta obtida com o comércio da produção. A tese formulada na época teve efeito de repercussão geral.

Produtores rurais e entidades representativas, no entanto, contestaram a decisão. Para esses recorrentes, houve uma contradição de entendimento entre o julgamento de 2017 e o ocorrido em 2010, quando o plenário desobrigou o empregador rural de recolher o imposto, no caso do recurso apresentado pelo Frigorífico Mataboi (RE 363852).

"É lamentável que o STF tenha demorado 17 anos para decidir. Se tivessem julgado antes não haveria problema, o produtor já teria pago. Mas toda essa confusão é fruto da lentidão do Supremo", disse Pedro de Camargo Neto, vice-presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), uma das entidades que entraram com embargo.

Esse foi o ponto de divergência entre os ministros. Para Fachin, por exemplo, o Supremo, "sem dúvida alguma, alterou o caminho que vinha trilhando" sobre o tema. "A modulação é cabível, tendo em conta a expressiva mudança de jurisprudência", afirmou.

A corrente majoritária, no entanto, formou-se em sentido contrário. Barroso explicou que, em julgamento anterior, o STF decidiu que o tributo não poderia ter sido instituído por norma ordinária, como era o caso - mas, sim, por lei complementar. Em 2017, o contexto era outro: já havia uma lei complementar que previa o Funrural.

"Não foi uma constitucionalização superveniente de algo que era inconstitucional. É que, depois da emenda, sobreveio uma lei que instituiu, por lei ordinária, a contribuição. Portanto, não houve mudança de jurisprudência", defendeu.

A decisão tem impacto sobre mais de 15 mil processos que estavam suspensos, aguardando um posicionamento da Corte. A tese mantida ontem é a de que "é constitucional, formal e materialmente, a contribuição social do empregador rural pessoa física, instituída pela Lei 10.256/2001, incidente sobre a receita bruta obtida com a comercialização de sua produção".

Para o advogado Fábio Calcini, sócio do Brasil Salomão e Matthes Advogados, o imbróglio formado em torno do Funrural está longe de se encerrar. "A decisão do STF trata única e exclusivamente de produtor pessoa física, mas vale a pena lembrar que o maior passivo em relação ao Funrural não está com os produtores e sim com as empresas", disse.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 19/06
Embrapa: ICPFrango foi de 225,89 pontos em maio, alta de 2,72% (08:50)
Em cinco anos, produção de carnes de Mato Grosso vai subir 40%, diz banco (07:49)
MILHO/CEPEA: preços recuam quase 8% em sete dias (07:46)
SOJA/CEPEA: preços caem devido à baixa externa, dólar e produção elevada (07:44)
Após greve dos caminhoneiros, BRF suspenderá abates em Concórdia (SC) (07:41)
Ministro Blairo Maggi vai à Comissão de Agricultura da Câmara (07:35)
Mercado interno do milho apresenta poucas movimentações na abertura da semana (07:32)
Soja sobe nos portos do Brasil nesta 2ª feira estimulada pela alta do dólar e dos prêmios (07:30)
Segunda-Feira, 18/06
Justiça livra adquirente de produto agrícola de recolher o Funrural (08:33)
Nova taxa da China para importação de frango preocupa avicultores e indústria (08:30)
EUA e China travam guerra comercial e, com ela, Brasil só tem a perder (08:29)
Ovo ganha papel de destaque em páginas sobre dietas no Instagram (08:10)
Rally em Chicago retira pressão de queda maior do milho (08:08)
Soja: mercado interno com poucos negócios (08:00)
Sexta-Feira, 15/06
Em sua 59ª edição, Festa do Ovo de Bastos tem espaço ampliado e dia específico para o entretenimento (14:35)
II Encontro ASGAV/SIPARGS sobre energia alternativa e complementar (10:02)
Pedro Parente assume como CEO Global da BRF na próxima semana (08:49)
Pressão derruba diretor de inspeção do Ministério da Agricultura (08:46)
Korin decide ampliar foco dos negócios (08:41)
Creche de Água Clara (MS) conta com o apoio da Cobb-Vantress (08:33)
Wisium lança aplicativo que ajuda empresas do setor avícola melhorarem rentabilidade (08:30)
Agroceres Multimix participa de mais uma edição do Avicultor e mostra que o setor conta com as melhores soluções em nutrição animal (08:25)
IBGE: produção de ovos cresceu 7,1% (08:12)
Abate de frangos caiu 1,2% frente no 1° trimestre de 2018 (08:11)
Preços agrícolas sobem 2,17% em maio, afirma IEA (08:09)
Milho: mesmo com o nervosismo da disputa EUA X China, queda de até 13 pts em Chicago surpreende (08:03)
Soja: mercado brasileiro com poucas referências (07:59)
Soja: com foco na China e na safra dos EUA, mercado recua pelo 2º dia consecutivo em Chicago (07:50)
Quinta-Feira, 14/06
Conselho indica Parente como CEO da BRF (10:13)
Oferta e preços dos alimentos in natura voltam ao 'normal' (10:11)
Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos 2018 amplia a representatividade da Comissão Julgadora (09:00)
Conab vai remover 140 mil toneladas de milho com cota para autônomos (08:59)
Exportações do agronegócio cresceram para US$ 10 bi em maio (08:30)
Milho: Mercado encerra 4ª feira com leves desvalorizações em Chicago (08:04)
Soja: Com China no radar, mercado tem forte queda nesta 4ª na CBOT e toca menor nível em nove meses (08:00)
Quarta-Feira, 13/06
Programa Ovos RS e SENAI avançam nos preparativos para atendimento ao SIF (16:35)
Carne de frango e Suína brasileiras marcam presença na Copa do Mundo (16:08)
Relação com União Europeia vai endurecer, afirma Maggi (10:47)
Comitê formado por CNA, Agricultura e ABPA discutirá revisão de normas técnicas (09:38)
Saiba qual é o frango que o Brasil quer levar para o país da Copa (09:37)
Seca afeta produção mundial, diz USDA (08:37)
BRF está fazendo “o possível e o impossível” para não fechar fábricas (08:16)
Suíno Vivo: altas em SP, RS e SC (08:12)
CNA protocola ação no STF contra tabelamento de frete (08:06)
Safrinha de milho deverá recuar 14% (08:05)
Mercado interno da soja permanece com poucas movimentações (08:00)