Sábado, 15 de Dezembro de 2018
Diversos

Comer um ovo por dia pode proteger o coração, sugere estudo

Pessoas que consomem o alimento têm menos riscos de doenças cardiovasculares
São Paulo, SP, 23 de Maio de 2018 - O ovo, muitas vezes visto como vilão por causa do colesterol e da salmonela, pode ser um aliado da saúde do coração. Ao menos é o que sugere um estudo realizado por pesquisadores da China e do Reino Unido com dados de mais de meio milhão chineses e publicado nesta semana na revista científica “Heart”. Os resultados indicam que pessoas que consomem um ovo por dia reduzem de forma significativa os riscos de doenças cardiovasculares, em comparação com pessoas que não ingerem o alimento.

“O presente estudo revela que existe uma associação entre o consumo moderado de ovos (até um ovo por dia) e taxas mais baixas de eventos cardíacos”, dizem os pesquisadores. “Nossas descobertas sugerem evidências científicas para as diretrizes alimentares em relação ao ovo para o adulto chinês saudável”.

O estudo coordenado por cientistas do Centro de Ciências em Saúde da Universidade Pequim e da Universidade de Oxford analisou dados do China Kadoorie Biobank, com informações de 512.891 adultos com idades entre 30 e 79 anos, de dez regiões diferentes da China. Os participantes foram recrutados entre 2004 e 2008, e, entre as perguntas, foram questionados sobre a frequência do consumo de ovos. Eles foram acompanhados para determinar as taxas de morbidade e mortalidade.

Os pesquisadores focaram num grupo com 416.213 participantes, que não possuíam histórico de câncer, doenças cardiovasculares e diabete. Ao longo de nove anos, foram registrados 83.977 casos de doenças cardiovasculares, com 9.985 mortes, além de 5.103 eventos coronarianos. No início do estudo, 13,1% dos participantes relataram o consumo diário de ovos, enquanto 9,1% disseram nunca consumir o alimento.

A análise dos dados sugere que pessoas que consomem um ovo diário têm menos riscos de doenças cardiovasculares. Em particular, os que comem ovos têm 26% menos riscos de hemorragias cerebrais, 28% menos chances de morrerem por causa do derrame e 18% menos chances de mortes por doenças cardiovasculares. Também foi observado o menor risco para doença arterial coronariana.

Os pesquisadores ressaltam que o estudo é observacional, então não é possível determinar a causalidade, mas pelo tamanho da amostra a correlação é significativa. Nita Forouhi, professora da Universidade de Cambridge não envolvida na pesquisa, explica que por décadas se acreditou que o consumo de ovos aumentava os riscos de doenças cardíacas por causa do colesterol. Entretanto, a concentração de colesterol no sangue é influenciada, principalmente, pelas gorduras saturadas e processos internos do organismo.

— A mensagem deste grande estudo da China é no mínimo que o consumo de um ovo por dia não está relacionado com o aumento do risco cardiovascular e, no máximo, que um ovo por dia pode até trazer benefícios — comentou a pesquisadora. — Mas é importante enfatizar que ovos não são comidos isoladamente, e os padrões saudáveis ou não de dieta como um todo que importam. No contexto ocidental, se você consumir ovos com pães, carnes processadas como bacon e salsichas e ketchup, é diferente de comer ovos com vegetais.

Altas taxas de colesterol estão relacionadas com o aumento do risco de doenças cardiovasculares, entretanto, aponta Tom Sanders, professor da universidade King’s College London, o efeito do consumo de cinco ovos por semana é de 0.1 mmol/L de colesterol, o que representa um aumento de apenas 1% a 2% no risco de doenças cardíacas provocadas pelo colesterol, que pode ser suplantado pelos possíveis benefícios do alimento.

Entretanto, os especialistas ressaltam que o estudo não sugere que as pessoas passem a consumir mais ovos.

— O estudo mostra que comer ovos não está associado com taxas mais altas de doenças cardíacas, então as pessoas que comem ovos podem se garantir que o hábito não apresenta riscos para o coração — avaliou Tim Chico, da Universidade de Sheffield. — Embora seja importante reduzir nosso risco de doenças cardíacas pela dieta e estilo de vida, não é realista pensar que comer mais ovos fará muita diferença, a menos que seja parte de uma mudança mais abrangente em direção a uma dieta mais saudável.
(O Globo) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sábado, 15/12
Sexta-Feira, 14/12
Encontro de Qualidade Industrial recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (16:04)
Sindirações projeta crescimento de até 3% para 2019 (14:37)
FRANGO/CEPEA: abate avança no terceiro trimestre (10:15)
OVOS/CEPEA: maior produção impacta negativamente o setor em 2018 (09:59)
Inscrições abertas para os Trabalhos Científicos na 5ª FAVESU (09:57)
Venda de frango a árabes cai, mas pode voltar a crescer (08:11)
Volume de aves e suínos será menor neste ano, aponta a ABPA (08:07)
Produção de ração no Brasil cresce 0,6% e tem novo recorde em 2018 (08:06)
2ª Conbrasul Ovos 2019: Gramado será a capital internacional da avicultura de postura de 16 a 19 de junho (08:04)
Programa técnico do Congresso de Ovos já tem principais temas definidos (08:03)
Quinta-Feira, 13/12
_produção de ovos de galinha é a maior da série histórica (11:04)
Abate de frangos em agosto foi o segundo maior do ano (11:03)
Já começa a faltar crédito rural a juros controlados (09:17)
IBGE confirma avanço em abates de bovinos e suínos, e queda no frango (09:08)
Plasson investe R$ 28 milhões em expansão da unidade fabril, em Criciúma (08:20)
ABRA protocola ofício com solicitação que impacta indústrias produtoras de farinhas de pena, peixe e sangue (08:14)
Indústria de ovos dos EUA: desafios e oportunidades (08:11)
Fundamentos teóricos e aplicação no processamento de ovos e derivados (08:08)
Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)