Terça-feira, 19 de Junho de 2018
Exportação

OMC vê desaceleração no comércio, que já atinge os emergentes
Genebra, Suíça, 18 de Maio de 2018 - A Organização Mundial do Comércio (OMC) prevê menor crescimento do comércio internacional de mercadorias, em volume, nos próximos meses. E pesquisas com setores industriais já apontam os primeiros sinais de desaceleração nas exportações de economias emergentes, que passam atualmente por outras turbulências.

O mais recente Indicador de Perspectivas do Comércio Mundial (WTOI) da OMC, que dá informações em tempo real sobre a trajetória das trocas globais, mostrou que o crescimento das exportações e importações seguem fortes, mas o ritmo pode cair no segundo trimestre.

O WTOI caiu para 101,8, de 102,3 em fevereiro - números acima de 100 indicam crescimento acima da tendência no médio prazo. Essa queda ocorre sobretudo pela baixa nos índices de encomendas de exportações (ficou em 98,1) e de frete aéreo internacional de cargas (caiu para 102,5). O movimento de contêineres nos portos permaneceu acima da tendência (com 105,8), mas estagnou.

Por sua vez, a produção e venda global de automóveis (97,8) e de commodities agrícolas (95,9) continuam abaixo da tendência recente. Já o comércio de componentes eletrônicos cresceu (104,2).

Conforme a OMC, esses resultados estão em linha com sua estimativa de expansão moderada do comércio global, de 4,7% em 2017 para 4,4% em 2018 e 4% em 2019. Mas o diretor-geral, Roberto Azevêdo, alertou recentemente que essas previsões correm risco com a escalada de tensões comerciais, no rastro de medidas unilaterais tomadas pelo presidente dos EUA, Donald Trump. Ontem, foi a vez de o Japão ameaçar retaliar os EUA por causa de sobretaxa aplicada nas exportações japonesas de aço.

Para os emergentes, o cenário se complica. O "Monitor de Comércio e Economias Emergentes", da Capital Economics, em Londres, mostra que o avanço das exportações desse grupo de países já começou a atenuar e continuará enfraquecendo nos próximos meses.

A consultoria se baseia em duas grandes pesquisas junto aos setores industriais, o Markit PMI (índice de gerente de compras) e o Ifo World Economic Survey. O componente "novas encomendas de exportações" para emergentes caiu para o nível mais baixo em 16 meses, sobretudo por causa de fraqueza da Ásia. As duas pesquisas juntas apontam menor crescimento das exportações em volume de 6% (em base anual) no primeiro trimestre para 1% no terceiro trimestre - ou seja, queda importante na segunda metade do ano.

A consultoria ressalva que durante a crise da dívida na zona do euro os industriais superestimaram risco de contágio e chegaram a prever uma desaceleração bem maior do que realmente ocorreu nas exportações.

O cenário atual, apesar de retórica agressiva dos EUA e em outras partes, ainda não teve mudanças importantes de política comercial.

Mas a Capital Economics nota que não apenas o volume de exportações dos emergentes poderá ser menor, como em termos de dólar as vendas já perderam força, pelos resultados recentes de países como a China, Brasil, Coreia do Sul, Chile, Vietnã e Taiwan.

A expectativa é de que um menor crescimento na China, parceiro-chave para a maioria dos países, deve pesar nas exportações dos emergentes. O francês Société Générale observa que, apesar da recente forte retomada na produção industrial, vários indicadores de demanda doméstica desaceleraram em abril. As condições de crédito na China continuam apertadas e a dificuldade econômica real começa a aparecer, com a rápido alta no custo de financiamento.

A inquietação com os emergentes aumenta com os sinais de vulnerabilidade financeira na Argentina e na Turquia. Para o Instituto Internacional de Finanças (IIF), o abalo na Argentina pode ser apenas a ponta do icerberg. Nota que desde o início do ano tem mostrado preocupação com a alta global dos juros, que expõem as vulnerabilidades desse grupo de países.

(Valor) (Assis Moreira)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 19/06
Embrapa: ICPFrango foi de 225,89 pontos em maio, alta de 2,72% (08:50)
Em cinco anos, produção de carnes de Mato Grosso vai subir 40%, diz banco (07:49)
MILHO/CEPEA: preços recuam quase 8% em sete dias (07:46)
SOJA/CEPEA: preços caem devido à baixa externa, dólar e produção elevada (07:44)
Após greve dos caminhoneiros, BRF suspenderá abates em Concórdia (SC) (07:41)
Ministro Blairo Maggi vai à Comissão de Agricultura da Câmara (07:35)
Mercado interno do milho apresenta poucas movimentações na abertura da semana (07:32)
Soja sobe nos portos do Brasil nesta 2ª feira estimulada pela alta do dólar e dos prêmios (07:30)
Segunda-Feira, 18/06
Justiça livra adquirente de produto agrícola de recolher o Funrural (08:33)
Nova taxa da China para importação de frango preocupa avicultores e indústria (08:30)
EUA e China travam guerra comercial e, com ela, Brasil só tem a perder (08:29)
Ovo ganha papel de destaque em páginas sobre dietas no Instagram (08:10)
Rally em Chicago retira pressão de queda maior do milho (08:08)
Soja: mercado interno com poucos negócios (08:00)
Sexta-Feira, 15/06
Em sua 59ª edição, Festa do Ovo de Bastos tem espaço ampliado e dia específico para o entretenimento (14:35)
II Encontro ASGAV/SIPARGS sobre energia alternativa e complementar (10:02)
Pedro Parente assume como CEO Global da BRF na próxima semana (08:49)
Pressão derruba diretor de inspeção do Ministério da Agricultura (08:46)
Korin decide ampliar foco dos negócios (08:41)
Creche de Água Clara (MS) conta com o apoio da Cobb-Vantress (08:33)
Wisium lança aplicativo que ajuda empresas do setor avícola melhorarem rentabilidade (08:30)
Agroceres Multimix participa de mais uma edição do Avicultor e mostra que o setor conta com as melhores soluções em nutrição animal (08:25)
IBGE: produção de ovos cresceu 7,1% (08:12)
Abate de frangos caiu 1,2% frente no 1° trimestre de 2018 (08:11)
Preços agrícolas sobem 2,17% em maio, afirma IEA (08:09)
Milho: mesmo com o nervosismo da disputa EUA X China, queda de até 13 pts em Chicago surpreende (08:03)
Soja: mercado brasileiro com poucas referências (07:59)
Soja: com foco na China e na safra dos EUA, mercado recua pelo 2º dia consecutivo em Chicago (07:50)
Quinta-Feira, 14/06
Conselho indica Parente como CEO da BRF (10:13)
Oferta e preços dos alimentos in natura voltam ao 'normal' (10:11)
Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos 2018 amplia a representatividade da Comissão Julgadora (09:00)
Conab vai remover 140 mil toneladas de milho com cota para autônomos (08:59)
Exportações do agronegócio cresceram para US$ 10 bi em maio (08:30)
Milho: Mercado encerra 4ª feira com leves desvalorizações em Chicago (08:04)
Soja: Com China no radar, mercado tem forte queda nesta 4ª na CBOT e toca menor nível em nove meses (08:00)
Quarta-Feira, 13/06
Programa Ovos RS e SENAI avançam nos preparativos para atendimento ao SIF (16:35)
Carne de frango e Suína brasileiras marcam presença na Copa do Mundo (16:08)
Relação com União Europeia vai endurecer, afirma Maggi (10:47)
Comitê formado por CNA, Agricultura e ABPA discutirá revisão de normas técnicas (09:38)
Saiba qual é o frango que o Brasil quer levar para o país da Copa (09:37)
Seca afeta produção mundial, diz USDA (08:37)
BRF está fazendo “o possível e o impossível” para não fechar fábricas (08:16)
Suíno Vivo: altas em SP, RS e SC (08:12)
CNA protocola ação no STF contra tabelamento de frete (08:06)
Safrinha de milho deverá recuar 14% (08:05)
Mercado interno da soja permanece com poucas movimentações (08:00)