Terça-feira, 25 de Setembro de 2018
Matérias-Primas

Para JBS, alta dos preços dos grãos deverá perdurar
São Paulo, SP, 16 de Maio de 2018 - "Os custos estruturais aumentaram. Isso já é um fato". Na avaliação do executivo-chefe de operações da JBS, Gilberto Tomazoni, o patamar de preços dos grãos mudou e assim deverá permanecer por um horizonte mais longo. A alta dos preços dos grãos, avaliou Tomazoni, veio para ficar independentemente de oscilações de curto prazo como a quebra da safra de grãos da Argentina e a redução da produção de milho no Brasil na atual safra de inverno.

Em teleconferência com analistas realizada na manhã de ontem, o executivo argumentou que a produção de etanol de milho nos Estados Unidos segue crescendo, o que impulsiona a cotação do cereal. Portanto, é diante desse cenário que a JBS deverá reagir, acrescentou Tomazoni.

No Brasil, o objetivo da JBS é reajustar o preço dos produtos da Seara. "Não tem alternativa. No momento em que você vê uma mudança de patamar dos seus custos, a empresa tem que buscar [aumentar preço]", disse Tomazoni.

Nos mercado dos EUA, a Pilgrim's Pride, - companhia de frango controlada pela JBS - também já incorporou a alta dos grãos em seu planejamento. Na semana passada, a Pilgrim's estimou que deverá ter um custo adicional da ordem de US$ 150 milhões com ração em 2018.

Ainda sobre os preços dos grãos, Tomazoni disse que se as cotações tiverem algum arrefecimento ao longo do ano, ele será modesto - entre 7% a 10% - perante o movimento de valorização deste ano. No acumulado de 2018, a cotação do milho subiu quase 25% em Campinas, no interior paulista, de acordo com o indicador Esalq/BM&FBovespa.

Para aumentar preços, Tomazoni afirmou que a Seara terá uma estratégia composta de dois movimentos. De um lado, buscará reajustar o preço das categorias nas quais a Seara já atua. De outro, tenta enriquecer o "mix" de produção, entrando em categorias de maior valor agregado de maior preço.

Essa estratégia, no entanto, enfrenta desafios. Diante da crise setorial, marcada pela sobreoferta de frango, a Seara não conseguiu fazer o reajuste que pretendia no primeiro trimestre. No período, o preço médios dos produtos processados da Seara aumentou 2%. "Falei que precisava repassar 5%. Está falando um pedaço", afirmou o executivo.

Gilberto Tomazoni também reconheceu que, diante do aumento da oferta de frango no país e da estratégia de aumento de preços implementada pela JBS, a Seara perdeu participação de mercado em categorias de menor valor agregado no primeiro trimestre. Contudo, comemorou o executivo, conseguiu reduzir a diferença de preço da Seara para as marcas da líder - a BRF, dona de Sadia e Perdigão.

Em outra frente para compensar os gastos maiores com grãos, a Seara trabalha na redução de despesas gerais e administrativas (G&A, na sigla em inglês), disse Tomazoni. Nas despesas com vendas, no entanto, o espaço para redução de gastos é mais limitado, admitiu Wesley Batista Filho, que lidera as operações da JBS no Brasil e também participou da teleconferência.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 25/09
Segunda-Feira, 24/09
Natal sedia dois eventos internacionais de inovação (11:32)
Ceva Saúde Animal estará no 12º Simpósio Técnico ACAV (10:09)
Inaugurado novo Centro de Distribuição De Heus no Nordeste (09:58)
Crise afeta as vendas de equipamentos de frigoríficos (08:38)
Suíça rejeita iniciativas que endureciam exigência para alimentos (08:35)
Membros do comitê técnico do Congresso de Ovos reúnem-se para discutir temário (08:22)
Simpósio de avicultura terá palestra de abertura com jornalista João Borges (08:17)
A avicultura catarinense, por José Antônio Ribas Júnior (08:14)
DSM é nova patrocinadora da Semana do Ovo 2018 (08:09)
No LPN Congress 2018, o Dr. Steve Leeson analizará as mudanças nutricionais em um ambiente livre de AGP (08:04)
Milho: mercado sobe mais de 1% na semana na CBOT com dados da demanda e chuvas nos EUA (08:00)
Soja fecha com balanço semanal positivo apesar das realizações de lucros desta 6ª em Chicago (07:58)
McDonald’s é alertado a cuidar melhor de seus frangos (06:09)
Sexta-Feira, 21/09
Siemens cria centro de competências de carnes no Brasil (08:58)
Rabobank: volatilidade associada ao Brasil é desafio para o mercado global (08:46)
Açúcar leva Brasil a acionar China na OMC (08:46)
Quinta-Feira, 20/09
Gestão de estoques se torna prioridade de Pedro Parente na BRF (11:48)
Só falta o aval da Casa Civil para pesquisador assumir a presidência da Embrapa (11:43)
Multinacional De Heus finca base de logística de carne em Caruaru (11:08)
Alterion ganha prêmio Innovspace (10:58)
BRF enfrenta crescente competição por milho com indústria de etanol (08:48)
Quarta-Feira, 19/09
Indústria vê queda na produção de ração no Brasil no 1º semestre e perspectiva negativa (10:26)
Idoso de 111 anos ‘ensina’ como viver muito e com saúde (09:52)
Arroz e feijão estão entre os alimentos mais desperdiçados no Brasil (09:49)
BRF está pronta para voltar aos “velhos tempos” (09:22)
Embrapa seguirá sob comando de pesquisador (08:56)
Soja: recuo em Chicago pesa sobre preços nos portos do BR, mas dólar e prêmios limitam baixa (07:59)
Simpósio de avicultura discutirá qualidade na produção de matrizes (07:58)
Brasil reforça vigilância para barrar eventual ingresso da peste suína africana (07:56)
Plantio da soja no Paraná atinge 9% da área e colheita do milho bate em 99% (07:13)
Sem oferta, mercado do boi gordo registra alta em São Paulo (07:12)
China está redirecionando investimentos dos EUA para a Europa (07:11)
Milho: focado na colheita nos EUA, mercado recua pelo segundo dia consecutivo na Bolsa de Chicago (07:00)