Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
Empresas

Lucro da JBS aumentou 43,5% no 1º tri
São Paulo, 15 de Maio de 2018 -

Impulsionada pelo desempenho das operações de carne bovina nos EUA, a JBS registrou lucro líquido de R$ 506,5 milhões no primeiro trimestre, um crescimento de 43,5% em relação aos R$ 353 milhões reportados em igual intervalo do ano passado. Financeiramente, a companhia também dissipou ontem uma dos motivos de receio dos investidores ao anunciar que chegou a um acordo com os bancos no Brasil para rolar dívidas por três anos.

No primeiro trimestre, a JBS voltou a reduzir o índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda em doze meses), de 3,38 vezes para 3,24 vezes. Na companhia, a expectativa é que essa tendência de queda perdure ao longo do ano. Na área financeira, um dado negativo foi o fluxo de caixa, que ficou negativo em R$ 109 milhões, reflexo principalmente do aumento dos ativos biológicos nos EUA para dar conta da maior demanda no verão.

Operacionalmente, mais uma vez o ciclo positivo da pecuária nos Estados Unidos beneficiou a JBS. No mercado americano, a companhia é beneficiada por maior oferta e demanda aquecida - o país está em pleno emprego. E, no caso da JBS, ter a conjuntura favorável para o negócio de carne bovina nos EUA costuma significar bom desempenho. A JBS USA Beef (que contempla também o negócio nos Canadá e na Austrália) representa 40% das vendas.

No primeiro trimestre, essa divisão registrou uma margem Ebitda de 6%, ante apenas 3,7% um ano atrás. Nos negócios de carne de frango (Pilgrim's Pride) e carne suína nos EUA, a companhia também registrou melhores resultados, com margens de dois dígitos.

Como um todo, a receita líquida da JBS totalizou R$ 39,8 bilhões, alta de 5,8% na comparação anual. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado totalizou R$ 2,8 bilhões, avanço de 30%. Com isso, a margem Ebitda ajustada da JBS cresceu 1,3 ponto percentual, passando de 5,7%, no primeiro trimestre de 2017, para 7%.

No Brasil, a JBS registrou melhoras na Seara. No primeiro trimestre, a divisão (que reúne os negócios de aves, suínos e alimentos processados) teve um Ebitda de R$ 330 milhões, incremento de 53% na comparação anual. A margem Ebitda cresceu três pontos, atingindo 8,3%.

Em contrapartida, a receita com as vendas da Seara caiu 2,7%, para R$ 3,9 bilhões. De acordo com a JBS, esse é um reflexo da sobreoferta de carne de frango no país. No primeiro trimestre, o preço do frango vendido pela companhia diminuiu 9%. O segmento é afetado, principalmente, pelo embargo da União Europeia à BRF, a principal empresa do setor.

Neste segundo trimestre, a oferta da frango segue prejudicando a Seara, assim como o aumento dos preços dos grãos - insumo da ração.

Foi também no Brasil que a JBS registrou o pior desempenho de uma de suas frentes de negócio: a carne bovina. Nos primeiro trimestre, as operações de carne bovina no Brasil geraram um Ebitda negativo 1,6%. Apesar de negativo, a avaliação na companhia é que o pior passou e que a rentabilidade vai gradualmente melhorar A divisão de carne bovina no Brasil foi a mais afetada pela delação dos Batista, mas já retomou o nível dos abates.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 17/10
Terça-Feira, 16/10
Da ABPA aos candidatos (09:18)
PF indicia Abilio Diniz e Pedro Faria no âmbito da Operação Trapaça (07:49)
Após relatório da PF, BRF defende tolerância zero e afasta 14 pessoas (07:48)
Milho fecha em alta na Bolsa de Chicago nesta 2a feira com clima adverso para colheita nos EUA (07:44)
Com demanda forte e clima adverso no Corn Belt, soja fecha com mais de 2%de alta em Chicago (07:40)
Plantio de soja evolui em ritmo acelerado em quase todo o país (07:39)
Brasil ganha mercado de soja na China, mas perde espaço para EUA na Europa (07:31)
MILHO/CEPEA: indicador recua quase 6% no acumulado do mês (07:30)
SOJA/CEPEA: dólar cai e pressiona valores internos da soja (07:29)
Segunda-Feira, 15/10
CBNA debate nutrição animal e produção sustentável de alimentos a partir de amanhã, no VIII CLANA, em Campinas, SP (13:29)
Programa Ovos RS: Atividades e Eventos (10:57)
Vetanco realiza Oficina de Trabalho em Carpina-PE (10:35)
Conheça a campanha Ovo Capixaba (10:32)
Da ABPA aos candidatos (09:19)
Agronegócio teme radicalismo e falta de experiência em equipe de Bolsonaro (08:15)
FRANGO/CEPEA: preços registram alta no atacado paulista (08:11)
SUÍNO/CEPEA: menor oferta para abate mantém preços estáveis na maior parte das regiões (08:07)
BOI/CEPEA: indicador oscila com força, mas acumula queda na parcial deste mês (08:05)
Projeções confirmam o peso do Brasil nas exportações de grãos (08:05)
Milho: mercado em Chicago ainda sente efeitos positivos do USDA e fecha em alta nesta 6ª feira (08:02)
Soja começa semana com estabilidade em Chicago nesta 2ª feira e foca colheita nos EUA (08:00)
Sexta-Feira, 12/10
Quinta-Feira, 11/10
Programa Ovos RS: eventos em Comemoração ao Dia Mundial do Ovo 2018 (11:56)
Globalmente, pescados batem carnes nas exportações (10:50)
Brasil poderá colher até 238 milhões de toneladas de grãos na safra 2018/19 (10:34)
ASGAV e Programa Ovos RS oficializam parceria com o Instituto do Câncer Infantil para apoio à 25ª Corrida pela Vida (09:29)
Programa Ovos RS: eventos em Comemoração ao Dia Mundial do Ovo 2018 (09:03)
Tradicional omelete do IOB faz parada na DSM (08:41)
Ceva Saúde Animal recebe palestra de nutricionista do IOB na Semana do Ovo (07:43)
Agronegócio: em setembro, vendas externas do setor somam mais de US$ 8 bilhões (07:36)
Participação maior do agro exterior passa por viés mais comercial do governo (07:34)
Milho: mercado fecha em queda na Bolsa de Chicago especulando números mais altos do USDA (07:31)
Soja: preços voltam a cair no Brasil nesta 5ª feira e travam ainda mais negócios da nova safra (07:29)