Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018
Matérias-Primas

USDA traça cenário positivo para preços de grãos
São Paulo, SP, 11 de Maio de 2018 - Tanto soja quanto milho registrarão produções globais inferiores aos respectivos consumos na próxima safra (2018/19), e essas relações menos confortáveis entre ofertas e demandas tendem a permitir que as cotações internacionais de ambos os grãos permaneçam, nos próximos meses, nos patamares mais elevados nos quais se encontram em razão da quebra das safras argentinas, que se tornou evidente no início deste ano.

É o que sinalizou o primeiro levantamento do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre a temporada que "oficialmente" começará em setembro, quando as colheitas do Hemisfério Norte estiverem entrando no mercado e as semeaduras começarem a ganhar ritmo no Hemisfério Sul - desde que, é claro, o clima colabore. Um cenário promissor para os produtores do Brasil, protagonista de peso nos dois mercados.


No tabuleiro da soja, as estimativas divulgadas pelo USDA sinalizam que os estoques finais mundiais (86,7 milhões de toneladas) representarão 19,5% da demanda total (357,72 milhões), bem menos que neste ciclo 2017/18 (25%). Analistas consideram que o percentual ainda indica uma relação confortável - em 2016/17, os estoques representaram 14,8% da demanda -, mas de qualquer forma é menos gordura para armazenar.

E nesse cenário mais favorável aos preços, projeta o USDA, o Brasil deverá retomar a liderança da produção global da oleaginosa. Conforme o órgão, o país produzirá 117 milhões de toneladas em 2018/19, volume similar ao previsto para 2017/18, e superará os EUA, cuja colheita está calculada em 116,5 milhões de toneladas.

Levantamentos divulgados ontem por Conab e IBGE sobre a safra atual dão força aos novos números do USDA. Também segundo a Conab, a produção brasileira de soja somará 117 milhões de toneladas em 2017/18 enquanto o IBGE prevê 115,6 milhões. Mesmo que o número do IBGE prevaleça, um novo recorde histórico será batido.

Nas exportações, a liderança permanecerá com os brasileiros em 2018/19, conforme o USDA. O órgão projeta que os embarques do país alcançarão 72,3 milhões de toneladas, 1 milhão a menos que em 2017/18, ao passo que para os EUA a previsão é de 62,3 milhões de toneladas, 6,1 milhões a mais na mesma comparação.

Depois dos problemas climáticos que derrubaram sua produção na temporada atual, apontou o USDA, a Argentina deverá se recuperar no próximo ciclo, ao passo que as importações da China, principal âncora do mercado global de soja, tendem a registrar incremento de 6,2%, para 103 milhões de toneladas.

No caso do milho, as primeiras previsões do USDA para 2018/19 sinalizaram que os estoques finais mundiais (159,2 milhões de toneladas) representarão 13,5% da demanda total (1,1 bilhão de toneladas), ante 17,4% em 2017/18 e 18,6% em 2016/17. Isso mesmo com um aumento de 20 milhões de toneladas na produção, também para cerca de 1,1 bilhão de toneladas, que contará com a ajuda da recuperação da produção argentina.

Nesse mercado, o Brasil será, de acordo com o USDA, o terceiro maior produtor (87 milhões de toneladas) e o segundo principal exportador (30 milhões) em 2018/19. De acordo com as projeções da Conab, a colheita brasileira será de 89,2 milhões nesta safra 2017/18, e o IBGE prevê a produção em 86,6 milhões de toneladas.

(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 20/08
Sexta-Feira, 17/08
China estende por 6 meses investigação antidumping sobre importação de frango do Brasil (09:10)
Maggi cobra transparência e responsabilidade de empresas para o crescimento do agro (09:09)
Uso de modelos matemáticos na nutrição animal (07:30)
Suíno Vivo: cotações permanecem estáveis, com tendência para novas altas (07:28)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro das expectativas (07:27)
Milho: com alta da soja e do trigo, mercado amplia ganhos no pregão desta 5ª feira em Chicago (07:27)
Desinfecção de ovos férteis será tema de palestra no 12º Simpósio da ACAV (07:25)
Soja sobe quase 3% em Chicago impulsionada por retomada de negociações entre China e EUA (07:25)
Grupo Mantiqueira lança a sua primeira linha de ovos produzidas no sistema "cage free" (07:24)
Desinfecção de ovos férteis será tema de palestra no 12º Simpósio da ACAV (07:00)
Quinta-Feira, 16/08
SUÍNOS/CEPEA: preços da carne e do animal vivo se elevam pela 2ª semana seguida (11:58)
BOI/CEPEA: preços fecham 1ª quinzena em alta (11:50)
Ricardo Santin recebe distinção: Personalidade da Avicultura Nacional (11:41)
Exportação aos árabes cai em receita, mas cresce em volume (09:03)
Jantar do Galo Especial e Prêmio Talentos da Avicultura RS será realizado nesta sexta-feira (17) em Gramado/RS (08:49)
Aumento da oferta de frango pressiona Seara (07:45)
Agronegócio brasileiro ganha mais espaço no mercado turco (07:44)
Alta de custo com frete para exportador pode chegar a R$ 25 bilhões (07:43)
Governo prorrogará pela quinta vez prazo de adesão a Refis do Funrural (07:38)
VIII CLANA: última semana de envio de trabalhos científicos e inscrições com desconto (07:37)
Milho: produtores seguram vendas e preços têm mais um dia de alta no mercado interno (07:35)
Soja cede mais de 10 pts em Chicago com pressão do dólar e intensa aversão ao risco (07:30)
Quarta-Feira, 15/08
Soja limita retração do valor da produção agropecuária do país (11:38)
Impacto da alta do dólar levou JBS a prejuízo de quase R$ 1 bi no 2º tri (08:25)
Miniboom de commodities está acabando, diz estudo (08:23)
Valor da Produção Agropecuária é de R$ 563,5 bilhões (08:17)
Milho: safra dos EUA dá suporte e mercado fecha a terça-feira com valorização de mais de 1% em Chicago (08:10)
Dificuldades financeiras da Argentina auxiliam soja em Chicago (08:01)
Soja devolve parte dos últimos ganhos em Chicago e opera com leve baixa nesta 4ª feira (08:00)
Terça-Feira, 14/08
Crédito rural: necessário manter e inovar (09:38)
Frango deve ficar mais caro para consumidores de MT nesta semana (09:26)
MILHO/CEPEA: estimativas de menor oferta mantêm vendedor recuado e preço segue em alta (07:57)
SOJA/CEPEA: dólar, exportação à China e menor estoque impulsionam cotações no Brasil (07:56)
Decisão sobre o glifosato alerta sojicultor no Brasil (07:51)
Milho: com clima favorável nos EUA, mercado recua nesta 2ª na CBOT e consolida 3ª desvalorização consecutiva (07:48)
Soja trabalha com estabilidade nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago ainda se ajustando (07:47)