Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018
Empresas

Prejuízo da BRF foi menor no 1º trimestre
São Paulo, SP, 11 de Maio de 2018 - A BRF bem que esperava apresentar o resultado do primeiro trimestre como a constatação de que, após dois anos de desempenhos fracos e prejuízos, uma virada já está em curso. E a empresa até conseguiu ampliar sua participação de mercado no Brasil. Mas continuou no vermelho e queimando caixa. Além disso, os efeitos deletérios da terceira etapa da Operação Carne Fraca só deverão aparecer claramente nos resultados do segundo trimestre.

No primeiro trimestre, a BRF teve prejuízo líquido de R$ 114 milhões. A perda ficou acima do que os analistas esperavam, mas representou uma melhora em relação ao mesmo período de 2017, quando o prejuízo foi de R$ 286 milhões. Nos primeiros três meses deste ano, a companhia voltou a queimar caixa, e seu fluxo de caixa livre ficou negativo em R$ 238 milhões, o que dificulta o processo de redução do ainda elevado índice de endividamento.

Em termos de vendas, a BRF reportou um crescimento de 5% na receita líquida na comparação anual. Com mais volumes comercializados no Brasil, Turquia e Ásia, a receita líquida somou R$ 8,2 bilhões no primeiro trimestre, ante R$ 7,8 bilhões um ano antes. Apesar do aumento das vendas em volume no Brasil, principal mercado de atuação da BRF, o "mix" de produtos vendidos no país foi mais "pobre", com mais produtos in natura. Isso derrubou o preço médio.

Nos mercados muçulmanos, outro mercado-chave da BRF, houve uma melhora de preços, o que compensou parcialmente o preço médio mais baixo no Brasil. No primeiro trimestre, a One Foods (que reúne as vendas e negócios da BRF nos mercados muçulmanos) registrou lucro antes de juros e impostos (Ebit, na sigla em inglês) de R$ 55 milhões. Há um ano, a One Foods havia reportado um Ebit negativo de R$ 44 milhões graças aos estoques elevados de frango no Oriente Médio. Com os preços melhores, a margem Ebit da One Foods ficou positiva em 3,1%.

Como um todo, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da BRF totalizou R$ 783 milhões, aumento de 54,8% na comparação com os R$ 506 milhões do mesmo período do ano passado. A margem Ebitda melhorou, de 6,5% para 9,5%.

Em relatório, o CEO interino da BRF, Lorival Luz, destacou a recuperação da rentabilidade e das vendas. Por outro lado, o executivo admitiu que, devido ao cenário setorial - com embargos da União Europeia e da Rússia -, a empresa terá "trimestres extremamente desafiadores" pela frente.

No documento que acompanhou o balanço, a BRF também reconheceu que o índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado em doze meses) está longe de ideal. Em março, atingiu 4,44 vezes, praticamente estável em relação ao índice de 4,46 vezes de dezembro. A empresa disse estar fazendo esforços para reduzir o índice.

(Valor) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 20/08
Sexta-Feira, 17/08
China estende por 6 meses investigação antidumping sobre importação de frango do Brasil (09:10)
Maggi cobra transparência e responsabilidade de empresas para o crescimento do agro (09:09)
Uso de modelos matemáticos na nutrição animal (07:30)
Suíno Vivo: cotações permanecem estáveis, com tendência para novas altas (07:28)
USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam dentro das expectativas (07:27)
Milho: com alta da soja e do trigo, mercado amplia ganhos no pregão desta 5ª feira em Chicago (07:27)
Desinfecção de ovos férteis será tema de palestra no 12º Simpósio da ACAV (07:25)
Soja sobe quase 3% em Chicago impulsionada por retomada de negociações entre China e EUA (07:25)
Grupo Mantiqueira lança a sua primeira linha de ovos produzidas no sistema "cage free" (07:24)
Desinfecção de ovos férteis será tema de palestra no 12º Simpósio da ACAV (07:00)
Quinta-Feira, 16/08
SUÍNOS/CEPEA: preços da carne e do animal vivo se elevam pela 2ª semana seguida (11:58)
BOI/CEPEA: preços fecham 1ª quinzena em alta (11:50)
Ricardo Santin recebe distinção: Personalidade da Avicultura Nacional (11:41)
Exportação aos árabes cai em receita, mas cresce em volume (09:03)
Jantar do Galo Especial e Prêmio Talentos da Avicultura RS será realizado nesta sexta-feira (17) em Gramado/RS (08:49)
Aumento da oferta de frango pressiona Seara (07:45)
Agronegócio brasileiro ganha mais espaço no mercado turco (07:44)
Alta de custo com frete para exportador pode chegar a R$ 25 bilhões (07:43)
Governo prorrogará pela quinta vez prazo de adesão a Refis do Funrural (07:38)
VIII CLANA: última semana de envio de trabalhos científicos e inscrições com desconto (07:37)
Milho: produtores seguram vendas e preços têm mais um dia de alta no mercado interno (07:35)
Soja cede mais de 10 pts em Chicago com pressão do dólar e intensa aversão ao risco (07:30)
Quarta-Feira, 15/08
Soja limita retração do valor da produção agropecuária do país (11:38)
Impacto da alta do dólar levou JBS a prejuízo de quase R$ 1 bi no 2º tri (08:25)
Miniboom de commodities está acabando, diz estudo (08:23)
Valor da Produção Agropecuária é de R$ 563,5 bilhões (08:17)
Milho: safra dos EUA dá suporte e mercado fecha a terça-feira com valorização de mais de 1% em Chicago (08:10)
Dificuldades financeiras da Argentina auxiliam soja em Chicago (08:01)
Soja devolve parte dos últimos ganhos em Chicago e opera com leve baixa nesta 4ª feira (08:00)
Terça-Feira, 14/08
Crédito rural: necessário manter e inovar (09:38)
Frango deve ficar mais caro para consumidores de MT nesta semana (09:26)
MILHO/CEPEA: estimativas de menor oferta mantêm vendedor recuado e preço segue em alta (07:57)
SOJA/CEPEA: dólar, exportação à China e menor estoque impulsionam cotações no Brasil (07:56)
Decisão sobre o glifosato alerta sojicultor no Brasil (07:51)
Milho: com clima favorável nos EUA, mercado recua nesta 2ª na CBOT e consolida 3ª desvalorização consecutiva (07:48)
Soja trabalha com estabilidade nesta 3ª feira na Bolsa de Chicago ainda se ajustando (07:47)