Terça-feira, 22 de Janeiro de 2019
Política Agrícola

Com recuo de 5,4% na região Sul, PIB do agronegócio deve crescer só 0,7% no ano
Rio de Janeiro, RJ, 24 de Abril de 2018 - A riqueza gerada pela agricultura e pela avicultura na região Sul vai encolher neste ano e será responsável, ao lado do desempenho mais modesto do Centro-Oeste, pelo menor crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário do país.

O PIB do agronegócio deve encolher 5,4% no Sul este ano, após crescer 10,9% no ano passado, de acordo com estudo da consultoria Tendências. O setor deve gerar menos riquezas nos três Estados da região: Paraná (-3,5%), Santa Catarina (-2%) e Rio Grande do Sul (-6,6%).


"O PIB agropecuário no Sul vai ser afetado pela menor safra de milho, o que tende a gerar pressão de custos para o setor granjeiro, já que o grão faz parte da ração de aves e suínos, especialidades da região", disse Felipe Novaes, analista da consultoria.

A agropecuária não deverá, dessa forma, ser um indutor do crescimento do PIB como foi em 2017, um ano de safra recorde. A expectativa da consultoria é que o PIB agropecuário do país como um todo cresça 0,7%, bem abaixo do crescimento de 13% registrados no ano passado pelo IBGE. O setor pesa 5,3% no PIB.

O PIB agro do Centro-Oeste também vai perder ímpeto, ainda que tenda a se manter em terreno positivo. De acordo com a Tendências, o valor adicionado do setor agropecuário deve crescer apenas 0,6% na região, após alta de 21,9% no ano passado.

Segundo Novaes, a produção de milho - uma das principais culturas da safra brasileira de grãos - também será menor no Centro-Oeste, conforme a mais recente previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Já a previsão para a soja da região segue positiva e ajuda a manter o PIB agro da região em campo positivo.

"O Centro-Oeste tem o agronegócio mais vinculado ao grão. E, apesar do menor volume previsto de produção de grãos neste ano, os preços devem agir favoravelmente ao produtor, com maior demanda asiática por grãos, alta de preços de commodities agrícolas", disse Novaes.

Das quatro unidades da federação do Centro-Oeste, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ainda terão PIB agropecuário positivo, com alta de 2,4% e 2% este ano, frente a 2017, respectivamente, de acordo com a previsão da Tendências. Goiás e Distrito Federal, por sua vez, devem ter estabilidade e queda de 0,6%, respectivamente.

A riqueza gerada pelo agronegócio no Sudeste, por outro lado, deve se acelerar neste ano, com avanço de 4,7%, em comparação à queda de 0,9% do ano passado. O desempenho melhor está relacionado à expectativa de crescimento no abate de bois, especialmente no interior de São Paulo, e de uma safra de café favorável em Minas Gerais e Espírito Santo.

"Outra atividade importante no Sudeste é o de cana-de-açúcar, mas que neste ano não deve ter resultado bom. O setor passou por um período alta de endividamento, usinas tiveram resultados operacionais que impediram investimentos. Isso vai se converter em menor produtividade na cana", disse ele.

O PIB agro do Estado de São Paulo tende a crescer 5,8% neste ano, segundo a Tendências. O agronegócio representa algo como 1,6% da economia estadual e será beneficiado pelo abate de bois. Em Minas Gerais, onde representa cerca de 5% da economia, o avanço do PIB agropecuário será de 6,8%.

Das 27 unidades da federação, o PIB agropecuário deverá crescer em 23. Considerando o peso do agronegócio nas economias locais, dois Estados nordestinos destacam-se nas projeções: Alagoas (8,8%) e Maranhão (5,3%). Nesses Estados, o agronegócio representa mais de 10% da atividade econômica.

"Não podemos dizer para o Brasil como um todo que agronegócio vai ser um indutor de crescimento relevante, mas isso é menos verdade para a média do Nordeste", disse Novaes.

De acordo com as projeções, a riqueza gerada pela agropecuária vai crescer 4,3% na região Nordeste neste ano. Os Estados da região agrícola chamada de "Matopiba" - acrônimo de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia - serão beneficiados por uma safra de soja maior neste ano.

Para a região Norte, a consultoria prevê crescimento de 2,3% do PIB agropecuário em 2018. O destaque local será o Amapá, com alta prevista de 7,1% neste ano.
(Valor) (Bruno Villas Bôas)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Terça-Feira, 22/01
Arábia Saudita descredencia 33 unidades de carne de frango do Brasil que podem exportar ao país (16:26)
Arábia Saudita barra carne de frango de cinco frigoríficos brasileiros (13:18)
2019: Sindirações abre o calendário de cursos (08:27)
Movimento Frete sem Tabela critica reajustes divulgados pela ANTT (08:08)
Futuro de fiscais da Carne Fraca segue incerto (08:04)
Auster retoma plano para avançar no país (07:50)
Ovos produzidos em Pernambuco ganharão código na casca para garantir qualidade (07:47)
China aceita oferta de exportador de frango do Brasil para encerrar caso antidumping (07:46)
Mercado do boi apresenta baixa movimentação (07:40)
Milho: mercado interno registra estabilidade (07:35)
Soja: poucas variações nos preços com falta da referência de Chicago (07:30)
Segunda-Feira, 21/01
Dia de Campo da Copagril evidencia a força do cooperativismo (09:42)
China diz ter controlado surto de peste suína africana (08:47)
EUA e China negociam reabertura do mercado de frango (08:26)
China poderá reabrir seu mercado à carne de frango americana (08:26)
Exportações do agro em alta de quase 6% ultrapassam US$ 100 bilhões (08:11)
Custos de produção de frangos de corte subiram 14,21% em 2018 (08:07)
Guia Eletrônico de Nutrição Rhodimet®agora também está disponível para uso em smartphones (08:04)
MILHO/CEPEA: colheita da safra de verão se inicia no Brasil (08:02)
SOJA/CEPEA: preços internos, FOB e prêmios recuam com menor demanda internacional (08:01)
Milho: semana se encerrou com preços em alta na Bolsa de Chicago (08:00)
Sexta-Feira, 18/01
FRANGO/CEPEA: desaquecimento de negócios pressiona valores da carne (09:51)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor inicia 2019 em queda (09:50)
Milho: produtor de MT revê planos para safrinha (09:45)
Porto de Itajaí fecha o ano com melhor resultado desde 2011 (09:23)
Estudo sugere 'dieta universal' para salvar o planeta (09:22)
Ministério remove 'blindagem' de superintendências estaduais (08:22)
Boi Gordo: oferta regulada à demanda (08:09)
Milho: quinta-feira chega ao fim com preços em alta de até 6 pontos na Bolsa de Chicago (08:05)
Soja fecha a 5ª feira com altas de mais de 13 pts em Chicago com correção técnica e olhos no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 17/01
SUÍNOS/CEPEA: média do vivo é a menor para janeiro desde 2007 (11:06)
BOI/CEPEA: bom planejamento pode garantir margens positivas no fim de 2019 (11:03)
Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA (11:02)
2ª Conbrasul Ovos 2019 vai reunir lideranças da avicultura de postura nacional e internacional de 16 a 19 de junho (09:28)
Presidente da ABPA se reúne governador Eduardo Leite (09:05)
Ministério tenta reabrir UE a carnes e pescados (08:28)
Milho: Bolsa de Chicago mantem tendência ao longo do dia e encerra quarta-feira em alta (08:23)
Carrefour vai monitorar fornecedores de carne por câmeras na França (08:20)
Fiscais Agropecuários gaúchos passarão por capacitação em inspeção (08:05)
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca (08:02)
Três laboratórios têm selo Inmetro cancelado após descobertas da Operação Trapaça (08:00)
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul (07:30)
Em mais um dia vazio de informações, soja fecha estável em Chicago nesta 4ª feira (07:18)
Quarta-Feira, 16/01
Brasil fomenta o maior projeto agropecuário da África (09:01)
ICC Brazil participa do IPPE 2019 (09:01)
Presença diária de fiscais em frigoríficos deverá ser mantida (08:56)
Quantos likes um ovo merece? (08:30)
Boi Gordo: atenção com as vacas e novilhas (08:04)
Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços (08:02)
Soja trabalha em campo positivo nesta 4ª feira em Chicago em ajuste técnico depois das baixas (08:00)
Valor da Produção fecha 2018 em R$ 569,8 bilhões (07:49)