Sexta-feira, 25 de Maio de 2018
Empresas

Definido o conselho que tomará as rédeas da BRF
São Paulo, SP, 20 de Abril de 2018 - A convergência entre os principais acionistas da BRF, anunciada na quarta-feira com a indicação de Pedro Parente à presidência do conselho de administração, ganhou contornos oficiais ontem. Última pendência para o acordo, a composição do conselho que será eleito em 26 de abril foi definida.

A lista dos nomes indica o protagonismo exercido pela Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras e maior acionista da BRF, com 11,4%. Além de ter o presidente-executivo da Petrobras à frente do colegiado, o atual presidente da BR Distribuidora, Augusto Cruz, será o vice-presidente do conselho da BRF. Ao que tudo indica, o nome será ratificado durante a assembleia.

Quando as fundações Petros e Previ iniciaram o movimento para encerrar a gestão Abilio Diniz, em fevereiro, Cruz já estava nos planos. No início de março, o nome dele foi indicado para a cabeça de chapa. Agora, na convergência com Abilio, teve a posição no colegiado modificada.

Na prática, a eleição do conselho de administração da BRF não se dará em uma chapa formal. Com o voto múltiplo solicitado na semana passada pela Aberdeen - dona de 5% da BRF -, cada conselheiro será eleito individualmente.

Com o acordo, haverá uma chapa informal, definida por Petros, Previ, Tarpon, Aberdeen, Península Participações (veículo de investimentos de Abilio Diniz) e os herdeiros da Sadia. Juntos, esses acionistas têm cerca de 45% de participação na BRF. Somados a gestoras nacionais como a Jardim Botânico, que apoiam as mudanças, chega-se a quase 50%. Na assembleia, o que vale é o capital presente. Na média, a presença é próxima de 80%.

O entusiasmo dos investidores após a indicação de Pedro Parente fortalece a chapa informal. Depois de subiram mais de 9% na quarta-feira, as ações da BRF se valorizaram 4,9% ontem e alcançaram R$ 24,17. Pelo segundo dia consecutivo, a BRF liderou o Ibovespa.

Sem a chapa formal, a solução foi o atual conselho de administração da BRF recomendar a eleição de dez conselheiros. Reunidos na manhã de ontem, os conselheiros aprovaram, além de Parente e Cruz, quatro remanescentes do atual colegiado.

A executiva Flávia Almeida, braço-direito de Abilio e sócia da Península, seguirá no conselho da BRF, assim como o advogado Francisco Petros e o vice-presidente do Banco do Brasil, Walter Malieni. Os dois últimos são nomes da confiança das fundações. No atual conselho da empresa, foram indicados por Petros e Previ, respectivamente.

No acordo, Luiz Fernando Furlan, ex-ministro da Indústria e herdeiro da Sadia, também foi prestigiado. Além de ter o nome indicado para permanecer no conselho, Furlan conseguiu emplacar o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues no colegiado da companhia. Os dois são amigos e compuseram o ministério durante o governo Lula.

Durante as tensas negociações, o nome de Furlan foi considerado por Abilio para a presidência, mas os fundos de pensão nunca concordaram com a proposta. Até a terça-feira, quando a acordo em torno de Parente ainda não estava sacramentado, Furlan buscava se firmar como "pacificador" da BRF. Conforme uma fonte próxima a Abilio, a postura diplomática do ex-ministro foi fundamental durante a fase crítica.

Por fim, também foram indicados para a eleição do conselho da BRF os executivos Roberto Mendes, diretor financeiro da Localiza, Dan Ioschpe, que integra o conselho da WEG, e o ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários e sócio-fundador da Jardim Botânico, José Luiz Osório.

Para Peter Taylor, sócio-gestor responsável pela Aberdeen no Brasil, o acordo é positivo. Segundo ele, Parente reúne todas as condições para contribuir com a volta da BRF aos trilhos - o que demanda não só a coesão do conselho de administração, mas também clareza na estratégia diante dos desafios impostos pelos embargos decorrentes da Operação Trapaça.

Na avaliação do gestor da Aberdeen, recuperar a BRF é um processo que levará anos. Embora a tarefa seja de longo prazo, Taylor afirmou que é preciso definir rapidamente o futuro da gestão executiva da BRF.

Caberá ao novo conselho de administração da companhia definir se José Aurélio Drummond seguirá como CEO, cargo que exerce desde o fim de 2017. Na área operacional, a BRF tem desafios espinhosos. Ontem, a empresa anunciou que vai rever o planejamento de produção, o que pode resultar na paralisação de mais unidades.

No entendimento da Aberdeen, a BRF também terá de avaliar as aquisições feitas no exterior durante a gestão de Pedro Faria (2015-2017). "A BRF precisa repensar sua estratégia internacional e verificar se os ativos adquiridos oferecerão mesmo os retornos esperados", afirmou Taylor.
(Valor) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 25/05
Quinta-Feira, 24/05
Wisium reforça atuação na região Sul e apresenta Gerente de Negócios (11:53)
ABPA alerta para liberação das cargas vivas (11:41)
Greve dos caminhoneiros impacta o agronegócio de SC (10:21)
Conferência FACTA 2018 reúne setor avícola e coloca a salmonela em discussão (09:59)
Entrevista com Dr. Sérgio Puppin, autor do livro "Ovo - O Mito do Colesterol" (09:36)
Alimentos com maior peso no consumo das famílias ajudam a derrubar inflação (09:29)
Brasil recebe certificação oficial de País Livre da Aftosa (09:20)
Boehringer Ingelheim Saúde Animal promove Road Show Aves 2018 para discutir temas ligados à sanidade avícola (09:08)
STF reafirma constitucionalidade do Funrural e nega modulação (08:57)
Greve dos caminhoneiros paralisa frigoríficos e laticínios (08:22)
Brasil já deixou de exportar US$ 60 milhões em carnes por causa de greve (08:20)
Deus salve o frango! (08:10)
Preço do milho segue firme no mercado interno (08:08)
Soja tem boas altas em Chicago nesta 5ª de olho no clima do Corn Belt (08:00)
Quarta-Feira, 23/05
Justiça determina liberação imediata de 6 rodovias federais (21:32)
Associação de caminhoneiros ameaça interromper trânsito de carga viva (18:39)
Greve de caminhoneiros paralisa mais da metade da produção de carne suína e de aves (18:36)
Comer um ovo por dia pode proteger o coração, sugere estudo (08:52)
Ovos cage free: granjas da Argentina e Chile recebem selo Certified Humane (08:44)
Marfrig avança no processo de venda da Keystone (08:41)
Sem transporte, 40 processadoras de carnes serão paralisadas no Brasil (08:34)
Greve dos caminhoneiros atinge estradas de 22 estados, diz PRF (08:28)
Paralisação de caminhoneiros afetou chegada de grãos a Paranaguá (08:10)
Milho: em Chicago, mercado sobe pelo 2º dia consecutivo com suporte do trigo e de olho na demanda (08:05)
Soja: altas em Chicago amenizam pressão do dólar e portos do BR se mantêm acima dos R$ 85/saca (08:00)
Terça-Feira, 22/05
Greve dos caminhoneiros causa paralisação total na Aurora Alimentos (18:35)
ABPA alerta sobre os riscos de continuidade das paralisações e bloqueios nas rodovias federais e estaduais do País (10:31)
Fim do embargo russo a carnes está próximo (08:52)
Preços agropecuários em São Paulo subiram 2,14% em abril (08:24)
Rússia reabrirá seu mercado às carnes do Brasil (08:19)
Milho: mercado brasileiro apresenta leves movimentações (08:05)
MILHO/CEPEA: incertezas quanto à produtividade e alta do dólar elevam preço interno (08:02)
SOJA/CEPEA: dólar se valoriza, mas prêmio e preço externo recuam no Brasil (08:01)
Chicago x Dólar: preços da soja no BR mantêm equilíbrio após dia intenso (08:00)
Segunda-Feira, 21/05
Cobb-Vantress participa de evento Avicola & Porcinos, na Argentina (14:40)
Preços agropecuários: IEA aponta nova alta em abril de 2018 (11:07)
FRANGO/CEPEA: menor disponibilidade de carne e demanda mais firme elevam cotações (09:14)
OVOS/CEPEA: oferta diminui e preços voltam a subir (09:13)
Custos de produção de suínos e de frangos de corte acumulam mais um mês de aumento em 2018 (08:59)
Aviagen anuncia Novo Gerente Global de Serviços de Nutrição (08:43)
Consultoria reduz em mais de 15% previsão da 2ª safra de milho do Brasil por seca (08:10)
Soja: mercado sobe mais de 1% em Chicago nesta 2ª com suspensão da disputa entra China e EUA (08:00)