Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
Empresas

Proteção das aves como ferramenta para maximização da produtividade
Campinas, SP, 16 de Abril de 2018 - Imunização e higienização adequada do plantel são algumas das medidas necessárias para garantir a biosseguridade na granja
O setor avícola é um dos mais promissores do agronegócio. Segundo estimativas da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a produção nacional de carne de frango deve crescer de 2% a 4% em comparação ao volume de 13 milhões de toneladas produzidos em 2017.

Para atender a demanda do setor, os investimentos em biosseguridade tornam-se uma ferramenta estratégica para a maximização dos resultados. As vacinas, fundamentais para proteção das aves, são responsáveis por menos de 1% do custo produtivo da granja, um valor pequeno em relação ao seu grande impacto nos negócios. A imunização adequada, estimula a criação de defesas do sistema imunológico e propicia proteção para os animais em todo o seu ciclo de vida.

Porém, para garantir a biosseguridade no plantel são necessários cuidados com outros itens, como alimentação, higienização e ventilação, medidas que visam proteger o lote contra agentes infecciosos e predadores.
O ambiente produtivo avícola possui características como umidade, baixa incidência de luz solar, temperaturas amenas e presença de matéria orgânica. Esses fatores favorecem a permanência de agentes patogênicos no ambiente, por um longo período.

“Investir em um programa de controle sanitário é algo imprescindível para o sucesso da produção, pois ele estipulará as medidas necessárias para diminuir a pressão de infecção dentro do lote e evitar a disseminação de doenças na granja”, explica o Gerente de Marketing da Unidade de Aves da Ceva Saúde Animal, Tharley Carvalho.

A higienização correta do ambiente é um dos fatores de atenção dentro do programa.

O processo começa com a separação dos ovos de diferentes idades antes da incubação, o que permite que medidas adequadas de saneamento e controle de doenças sejam praticadas entre os lotes de pintos. Também são importantes a limpeza e a desinfecção completa da incubadora antes de cada utilização. O processo inclui a remoção de todas as cascas de ovo, poeira e material orgânico, além da lavagem de cada unidade com uma solução desinfetante.

“Dentro de todos os investimentos produtivos, os gastos com a imunização das aves e com a higienização do plantel precisam ser vistos pelos produtores com um investimento, pois a economia com esses itens pode trazer uma série de prejuízos relacionados aos custos com tratamento e até mesmo a perda completa do lote”, finaliza Carvalho.

Sobre a Ceva Saúde Animal

A Ceva Saúde Animal é atualmente a 6ª maior empresa de saúde animal do mundo, presente em mais de 110 países tem sua atuação focada na pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biológicos para animais de companhia, e produção (bovinos, suínos, equinos e aves). A unidade de Aves é líder brasileira em vacinas aviárias. Mais informações disponíveis no site: www.ceva.com.br
(Ceva) (Assessoria de Imprensa)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 24/09
Sexta-Feira, 21/09
Siemens cria centro de competências de carnes no Brasil (08:58)
Rabobank: volatilidade associada ao Brasil é desafio para o mercado global (08:46)
Açúcar leva Brasil a acionar China na OMC (08:46)
Quinta-Feira, 20/09
Gestão de estoques se torna prioridade de Pedro Parente na BRF (11:48)
Só falta o aval da Casa Civil para pesquisador assumir a presidência da Embrapa (11:43)
Multinacional De Heus finca base de logística de carne em Caruaru (11:08)
Alterion ganha prêmio Innovspace (10:58)
BRF enfrenta crescente competição por milho com indústria de etanol (08:48)
Quarta-Feira, 19/09
Indústria vê queda na produção de ração no Brasil no 1º semestre e perspectiva negativa (10:26)
Idoso de 111 anos ‘ensina’ como viver muito e com saúde (09:52)
Arroz e feijão estão entre os alimentos mais desperdiçados no Brasil (09:49)
BRF está pronta para voltar aos “velhos tempos” (09:22)
Embrapa seguirá sob comando de pesquisador (08:56)
Soja: recuo em Chicago pesa sobre preços nos portos do BR, mas dólar e prêmios limitam baixa (07:59)
Simpósio de avicultura discutirá qualidade na produção de matrizes (07:58)
Brasil reforça vigilância para barrar eventual ingresso da peste suína africana (07:56)
Plantio da soja no Paraná atinge 9% da área e colheita do milho bate em 99% (07:13)
Sem oferta, mercado do boi gordo registra alta em São Paulo (07:12)
China está redirecionando investimentos dos EUA para a Europa (07:11)
Milho: focado na colheita nos EUA, mercado recua pelo segundo dia consecutivo na Bolsa de Chicago (07:00)
Terça-Feira, 18/09
Semana do Ovo 2018 conta com patrocínio da Label Rouge (13:43)
Wisium reforça presença no Nordeste (13:36)
Com Brexit, Europa se prepara para nova logística de importação (09:11)
VIII CLANA anuncia tema "Nutrição Animal e Produção Sustentável de Alimentos" (09:06)
Florence faz Sanderson Farms perder 1,7 milhão de frangos (08:41)
Porto de Roterdã mantém o rigor na fiscalização de carnes do Brasil (08:37)
Governo reduz novamente orçamento para o seguro rural (08:25)
Tabela de frete provoca aumento nas importações brasileiras de cereais (08:23)
Surto de febre suína na China favorece criadores de frango (08:20)
Milho: em Chicago, mercado fecha pregão desta 2ª em campo negativo de olho na colheita nos EUA (08:18)
Soja tem novo dia de baixas em Chicago nesta 3ª ainda sentindo pressão da disputa EUA x China (08:07)