Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2018
Matérias-Primas

Soja em Chicago reage com relatório do USDA, mas não tem força para sustentar as altas

Preços da soja encerram com ganhos inferiores a 3 pontos nos primeiros vencimentos.
Campinas, SP, 11 de Abril de 2018 - O pregão desta terça-feira (10) teve um encerramento positivo aos preços da soja negociados na Bolsa de Chicago (CBOT), porém longe das máximas verificadas ao longo da sessão. As principais posições da oleaginosa encerraram o dia com altas entre 2 e 4 pontos com maio/18 cotado a US$ 10,49 por bushel,alta de 2,75 pts, julho/18 finalizado a US$ 10,60 por bushel e elevação de 2,75 pts e o vencimento setembro/19 subindo 4 pts cotado a US$ 10,52 por bushel.

Antes mesmo da divulgação do relatório mensal de oferta e demanda do USDA ( Departamento de Agricultura do EUA) os preços registravam alta com a informação de que a Argentina teria comprado 120 mil toneladas de soja americana e outros destinos consumido mais 250 mil toneladas, um alento para as vendas do grão nos EUA que seguem atrasadas.

Com os números do relatório apontando para uma redução nos estoques americanos, movimento contrário ao esperado pelo mercado, os futuros da soja chegaram a subir a uma máxima desde 9 de março, mas não deram conta de se sustentar à medida que os investidores analisavam com mais calma os números divulgados. No final da sessão, as cotações encerraram positivas, porém, distantes das máximas do dia. Para Ginaldo de Souza, da Labhoro Corretora, com os números colocados à mesa e sem força para mudar os rumos dos preços da oleaginosa no mercado, o foco agora se volta para o plantio da safra americana. "Os preços (da soja) estão à merce do clima nos EUA", completa o analista.

Outro fator que também tem chances de mexer com os preços da soja é a disputa comercial entre China e EUA. No entanto, Ginaldo de Souza acredita que a forma diplomática como a China vem conduzindo as negociações, mostra que o peso dessa discussão deve ser menor à medida que o mercado confirme a dependência dos chineses em relação ao produto americano.

"Nesse momento o mercado está altista para os preços", pondera o analista. A volta da demanda pela soja americana que parece estar se consolidando e as dúvidas sobre o real tamanho da nova oferta americana na próxima safra, vão deixar o mercado sensível e com muita volatilidade nas próximas semanas.
( Notícias Agrícolas) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 17/12
Vendas externas do Agro ultrapassam US$ 100 bilhões no acumulado de 12 meses (12:55)
Otimismo no agronegócio impulsiona Agrishow 2019 (11:23)
Peru enfrenta concorrência na mesa de Natal (11:19)
Boi Gordo: indicadores do mercado físico romperam a barreira do R$ 150,00/@ (10:42)
MILHO/CEPEA: restrição vendedora sustenta preço (10:36)
SOJA/CEPEA: queda dos prêmios e baixa demanda pressionam valores (10:35)
APA divulga Programa Tentativo do XVII Congresso de Ovos (10:25)
MSD Saúde Animal anuncia novo presidente (10:11)
Milho pode até ser do México, mas foi domesticado na Amazônia, diz estudo (09:16)
Abertura de mercados e desburocratização foram destaque em balanço de Maggi (09:14)
Pesquisa alerta para a presença de bactérias na carne suína (08:36)
Carcaça bovina alcança o maior preço da história; Exportação de frango e suínos deve crescer até 3% em 2019 (08:15)
Milho: semana termina com Bolsa de Chicago apresentando leves altas (08:05)
Soja: prêmios no Brasil cedem mais de 20% nesta 6ª feira e travam ainda mais negócios no BR (08:00)
Sustentabilidade é uma necessidade de mercado, segundo a Abiove (07:49)
Sexta-Feira, 14/12
Encontro de Qualidade Industrial recebe patrocínio e palestra da Cobb-Vantress (16:04)
Sindirações projeta crescimento de até 3% para 2019 (14:37)
FRANGO/CEPEA: abate avança no terceiro trimestre (10:15)
OVOS/CEPEA: maior produção impacta negativamente o setor em 2018 (09:59)
Inscrições abertas para os Trabalhos Científicos na 5ª FAVESU (09:57)
Venda de frango a árabes cai, mas pode voltar a crescer (08:11)
Volume de aves e suínos será menor neste ano, aponta a ABPA (08:07)
Produção de ração no Brasil cresce 0,6% e tem novo recorde em 2018 (08:06)
2ª Conbrasul Ovos 2019: Gramado será a capital internacional da avicultura de postura de 16 a 19 de junho (08:04)
Programa técnico do Congresso de Ovos já tem principais temas definidos (08:03)
Quinta-Feira, 13/12
_produção de ovos de galinha é a maior da série histórica (11:04)
Abate de frangos em agosto foi o segundo maior do ano (11:03)
Já começa a faltar crédito rural a juros controlados (09:17)
IBGE confirma avanço em abates de bovinos e suínos, e queda no frango (09:08)
Plasson investe R$ 28 milhões em expansão da unidade fabril, em Criciúma (08:20)
ABRA protocola ofício com solicitação que impacta indústrias produtoras de farinhas de pena, peixe e sangue (08:14)
Indústria de ovos dos EUA: desafios e oportunidades (08:11)
Fundamentos teóricos e aplicação no processamento de ovos e derivados (08:08)
Quarta-Feira, 12/12
Pioneirismo e inovação marcam 10 anos da Yes (10:12)
Exportações de carne bovina deverão bater novos recordes no ano que vem (08:41)
Embrapa fecha acordo com Sindan para pré-análise de novos produtos veterinários (08:40)
Granja do Cedro é destaque de pecuária no prêmio “As melhores da Dinheiro Rural” (08:40)
Safra pode repetir recorde com 238,4 milhões de toneladas (07:57)
Encontro de Avicultores premia os melhores da Integração Aurora/Cocari (07:56)
Assembleia Legislativa de Goiás homenageia dirigentes da Pif Paf Alimentos (07:54)
BRDE assina contratos de R$ 100 milhões com cooperativas paranaenses durante encontro da Ocepar (07:53)
A crescente preocupação com ectoparasitas e os prejuízos econômicos causados por estes (07:50)
Milho: Bolsa de Chicago segue tendência do dia e fecha terça-feira com pouca movimentação (07:50)
Além do enriquecimento de ovos, selênio apresenta benefícios produtivos (07:48)
Aviagen Estreia “I Escola de Incubação” da América Latina (07:25)
Terça-Feira, 11/12
Cresce dependência do agronegócio brasileiro das importações chinesas (08:06)
Milho: cotação da Bolsa de Chicago encerra segunda-feira próxima da estabilidade (08:03)
Soja: Brasil fecha o dia com estabilidade com recuo de Chicago e dos prêmios (08:00)
Mercado do boi gordo apresenta cenários distintos (07:58)
Inaugurado laboratório de referência em Campinas (07:55)