Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
Matérias-Primas

Soja: Rio Grande fecha com R$ 78 para maio nesta 4ª e negócios têm ritmo melhor no Brasil
Campinas, SP, 22 de Fevereiro de 2018 - Ontem, quarta-feira (21), os preços da soja registraram um novo dia de avanço na Bolsa de Chicago e, mais uma vez, os ganhos impactam diretamente sobre a formação das referências no Brasil e ajudam a dar mais ritmo para os negócios no mercado doméstico. Embora mais tímidas do que no dia anterior, boa parte das principais praças de comercialização do país fecharam com valores de 0,34% a 2,22% mais altos, acima dos R$ 60,00 por saca.

No porto de Rio Grande, a soja para maio/18 fechou a quarta com R$ 78,00 por saca e subindo 0,39%, enquanto o produto disponível foi a R$ 77,00, mesmo valor registrado no porto de Santos. No terminal de Paranaguá, R$ 76,50 para a soja disponível.

"O reflexo da alta internacional está correndo nos preços, mesmo com um avanço bem interessante da colheita no Brasil. É uma alta extemporânea, não é momento da soja subir de preço no Brasil, porque são meses em que os preços caem. E temos que lembrar que também o câmbio, mesmo com muita flutuação, tem trazido boas oportunidades", diz o consultor de mercado Flávio França Junior, da França Junior Consultoria.

Nesta quarta, a moeda americana fechou com alta de 0,19% e valendo R$ 3,2618. "O gradualismo (na alta dos juros nos Estados Unidos) segue na mesa por enquanto... É preciso maior sequência animadora de dados inflacionários", afirmou o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado à agência de notícias Reuters.

Dessa forma, o executivo alerta os produtores brasileiros para essa boa janela de comercialização, uma vez que trata-se de um 'pico de preços generalizado'. Além disso, como explica França, um ritmo melhor da colheita esperado para os próximos dias poderia trazer alguma limitação desse avanço. Segundo dados da consultoria, há cerca de 17% da safra 2017/18 já colhidos, contra 26% do ano passado e 20% da média dos últimos cinco anos.

Além disso, a demanda pela soja brasileira se mostra ainda muito consistente, crescendo e contribui para esse quadro.

Bolsa de Chicago

No mercado internacional, os futuros da oleaginosa terminaram o pregão desta quarta-feira com altas entre 7,25 e 8 pontos, com o março/18 valendo US$ 10,34 e o maio/18, referência para a safra brasileira, US$ 10,45 por bushel.

Depois de uma breve realização de lucros, os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago voltaram a subir, ainda respondendo aos undamentos climáticos, principalmente aqueles relacionados à Argentina. O cenário ainda é desfavorável e segue comprometendo de forma severa a produção não só da oleaginosa, mas também d emilho.

E assim, segue o foco dos traders sobre o quadro e sobre as previsões que continuam a indicar poucas e localizadas para as regiões produtoras do país nas próximas semanas.

O principal questionamento que o mercado se faz agora, porém, é de quanto menor será a colheita argentina, como explicam analistas e consultores de mercado. Além disso, as dúvidas se estendem ainda para quanto o produção de farelo - da qual a Argentina é principal produtora e exportadora mundial - também será comprometida.

Em meio à seca que segue afetando a zona agrícola núcleo da Argentina, a soja nessa região precisaria de chuvas próximas dos 200mm nos próximos 15 dias para frear as perdas produtivas.

Essa é a previsão da Bolsa de Comércio de Rosario, que já fala em um cenário de desastre produtivo. Na região, que compreende o sul de Santa Fe, o sudeste de Córdoba e o norte de Buenos Aires, há 5,5 milhões de hectares com soja, 30,5% do total a nível país.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 24/09
Natal sedia dois eventos internacionais de inovação (11:32)
Ceva Saúde Animal estará no 12º Simpósio Técnico ACAV (10:09)
Inaugurado novo Centro de Distribuição De Heus no Nordeste (09:58)
Crise afeta as vendas de equipamentos de frigoríficos (08:38)
Suíça rejeita iniciativas que endureciam exigência para alimentos (08:35)
Membros do comitê técnico do Congresso de Ovos reúnem-se para discutir temário (08:22)
Simpósio de avicultura terá palestra de abertura com jornalista João Borges (08:17)
A avicultura catarinense, por José Antônio Ribas Júnior (08:14)
DSM é nova patrocinadora da Semana do Ovo 2018 (08:09)
No LPN Congress 2018, o Dr. Steve Leeson analizará as mudanças nutricionais em um ambiente livre de AGP (08:04)
Milho: mercado sobe mais de 1% na semana na CBOT com dados da demanda e chuvas nos EUA (08:00)
Soja fecha com balanço semanal positivo apesar das realizações de lucros desta 6ª em Chicago (07:58)
McDonald’s é alertado a cuidar melhor de seus frangos (06:09)
Sexta-Feira, 21/09
Siemens cria centro de competências de carnes no Brasil (08:58)
Rabobank: volatilidade associada ao Brasil é desafio para o mercado global (08:46)
Açúcar leva Brasil a acionar China na OMC (08:46)
Quinta-Feira, 20/09
Gestão de estoques se torna prioridade de Pedro Parente na BRF (11:48)
Só falta o aval da Casa Civil para pesquisador assumir a presidência da Embrapa (11:43)
Multinacional De Heus finca base de logística de carne em Caruaru (11:08)
Alterion ganha prêmio Innovspace (10:58)
BRF enfrenta crescente competição por milho com indústria de etanol (08:48)
Quarta-Feira, 19/09
Indústria vê queda na produção de ração no Brasil no 1º semestre e perspectiva negativa (10:26)
Idoso de 111 anos ‘ensina’ como viver muito e com saúde (09:52)
Arroz e feijão estão entre os alimentos mais desperdiçados no Brasil (09:49)
BRF está pronta para voltar aos “velhos tempos” (09:22)
Embrapa seguirá sob comando de pesquisador (08:56)
Soja: recuo em Chicago pesa sobre preços nos portos do BR, mas dólar e prêmios limitam baixa (07:59)
Simpósio de avicultura discutirá qualidade na produção de matrizes (07:58)
Brasil reforça vigilância para barrar eventual ingresso da peste suína africana (07:56)
Plantio da soja no Paraná atinge 9% da área e colheita do milho bate em 99% (07:13)
Sem oferta, mercado do boi gordo registra alta em São Paulo (07:12)
China está redirecionando investimentos dos EUA para a Europa (07:11)
Milho: focado na colheita nos EUA, mercado recua pelo segundo dia consecutivo na Bolsa de Chicago (07:00)
Terça-Feira, 18/09
Semana do Ovo 2018 conta com patrocínio da Label Rouge (13:43)
Wisium reforça presença no Nordeste (13:36)
Com Brexit, Europa se prepara para nova logística de importação (09:11)
VIII CLANA anuncia tema "Nutrição Animal e Produção Sustentável de Alimentos" (09:06)
Florence faz Sanderson Farms perder 1,7 milhão de frangos (08:41)
Porto de Roterdã mantém o rigor na fiscalização de carnes do Brasil (08:37)
Governo reduz novamente orçamento para o seguro rural (08:25)
Tabela de frete provoca aumento nas importações brasileiras de cereais (08:23)
Surto de febre suína na China favorece criadores de frango (08:20)
Milho: em Chicago, mercado fecha pregão desta 2ª em campo negativo de olho na colheita nos EUA (08:18)
Soja tem novo dia de baixas em Chicago nesta 3ª ainda sentindo pressão da disputa EUA x China (08:07)