Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
Matérias-Primas

Alta no frete e preferência na comercialização da soja dão suporte aos preços do milho no mercado doméstico
Campinas, SP, 20 de Fevereiro de 2018 - A segunda-feira (19) foi de ligeiras movimentações aos preços do milho praticados no mercado interno. Conforme levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, em São Gabriel do Oeste (MS), a saca subiu 4,55% e terminou o dia a R$ 23,00.

Na região de Palma Sola (SC), o ganho foi de 3,51%, com a saca do cereal a R$ 29,50. Já em Campinas (SP), a valorização foi de 2,98%, com a saca a R$ 34,60. No Oeste da Bahia, o ganho foi de 1,89%, com a saca a R$ 27,00. Nas demais praças o dia foi de estabilidade.

De acordo com o operador de mercado da Ouro Investimentos, Maurillo Marcondes Larios, o mercado do cereal apresenta um momento atípico nesse momento. "Estamos acompanhando uma alta inesperada no mercado futuro e também no mercado físico", afirma.

O especialista explica que o cenário é decorrente do encarecimento do frete, com a colheita da soja e a postura do produtor em dar preferência à comercialização da oleaginosa nesse momento. "Essa menor oferta de milho e a colheita da primeira safra ainda lenta em algumas regiões contribuem para a formação do cenário", completa.

"Devido ao avanço da colheita da soja, a prioridade continua sendo a comercialização da oleaginosa", destacou o Cepea em seu boletim semanal.

No maior estado produtor do grão na primeira safra, o Rio Grande do Sul, em torno de 32% da área semeada foi colhida até o momento, percentual dentro da média para o período, conforme levantamento da Emater/RS. E, apesar da rendimento dentro do esperado no Norte do estado, as lavouras do cereal foram penalizadas pelas intempéries climáticas e os prejuízos são estimados próximos de 28% na região Sul.

De modo geral, o percentual colhido no Centro-Sul do Brasil está próximo de 15%, segundo estimativa da AgRural. No mesmo período do ano anterior, o índice era de 14% a média dos últimos cinco anos é de 16%.

Ainda assim, o operador alerta que a chegada da safra de verão e os estoques podem pressionar negativamente os preços do cereal e os produtores precisam estar atentos. Os estoques iniciais são projetados pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) em mais de 18 milhões de toneladas.

Segunda safra

Outro fator que também está no radar dos participantes do mercado é o andamento do plantio da segunda safra de milho no país. Ainda conforme dados da AgRural, em torno de 26% da área no Centro-Sul já foi semeada com o grão. Em igual período do ano anterior, 36% da área já havia sido cultivada e a média dos últimos cinco anos é de 31%.

Em Mato Grosso, até o momento, o plantio está completo em 46,32% da área estimada para essa safra, de mais de 4,4 milhões de hectares. Em comparação com o ciclo passado, a diferença é de 12,07%, já que em 17 de fevereiro de 2017, cerca de 58,38% da área já havia sido plantada. As informações fazem parte do levantamento do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária).

Em muitas regiões, o atraso no plantio da soja e agora na colheita com o excesso de chuvas, houve o comprometimento da janela ideal de cultivo do milho. Cenário que gera especulações no mercado.

Por enquanto, em muitas regiões produtoras, a leitura é de redução na área cultivada com o cereal e também nos investimentos em tecnologia. "Teremos uma safrinha mais exposta ao risco climático. E os próximos 15 dias serão decisivos para acompanhar o andamento da safra e podemos ter um direcionamento melhor em relação aos preços", reforça Larios.

Exportação

As exportações aquecidas também continuam aquecidas e ajudam a dar sustentação aos preços do cereal. Somente em janeiro, o país embarcou mais de 3,02 milhões de toneladas, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Ainda segundo projeção dos analistas, o Brasil tomará a liderança dos EUA na exportação de milho em cinco anos.

Bolsa de Chicago

Nesta segunda-feira (19), a Bolsa de Chicago (CBOT) não operou devido ao feriado do Dia do Presidente, comemorado nos EUA. As negociações serão retomadas nesta terça-feira (20).
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 24/09
Natal sedia dois eventos internacionais de inovação (11:32)
Ceva Saúde Animal estará no 12º Simpósio Técnico ACAV (10:09)
Inaugurado novo Centro de Distribuição De Heus no Nordeste (09:58)
Crise afeta as vendas de equipamentos de frigoríficos (08:38)
Suíça rejeita iniciativas que endureciam exigência para alimentos (08:35)
Membros do comitê técnico do Congresso de Ovos reúnem-se para discutir temário (08:22)
Simpósio de avicultura terá palestra de abertura com jornalista João Borges (08:17)
A avicultura catarinense, por José Antônio Ribas Júnior (08:14)
DSM é nova patrocinadora da Semana do Ovo 2018 (08:09)
No LPN Congress 2018, o Dr. Steve Leeson analizará as mudanças nutricionais em um ambiente livre de AGP (08:04)
Milho: mercado sobe mais de 1% na semana na CBOT com dados da demanda e chuvas nos EUA (08:00)
Soja fecha com balanço semanal positivo apesar das realizações de lucros desta 6ª em Chicago (07:58)
McDonald’s é alertado a cuidar melhor de seus frangos (06:09)
Sexta-Feira, 21/09
Siemens cria centro de competências de carnes no Brasil (08:58)
Rabobank: volatilidade associada ao Brasil é desafio para o mercado global (08:46)
Açúcar leva Brasil a acionar China na OMC (08:46)
Quinta-Feira, 20/09
Gestão de estoques se torna prioridade de Pedro Parente na BRF (11:48)
Só falta o aval da Casa Civil para pesquisador assumir a presidência da Embrapa (11:43)
Multinacional De Heus finca base de logística de carne em Caruaru (11:08)
Alterion ganha prêmio Innovspace (10:58)
BRF enfrenta crescente competição por milho com indústria de etanol (08:48)
Quarta-Feira, 19/09
Indústria vê queda na produção de ração no Brasil no 1º semestre e perspectiva negativa (10:26)
Idoso de 111 anos ‘ensina’ como viver muito e com saúde (09:52)
Arroz e feijão estão entre os alimentos mais desperdiçados no Brasil (09:49)
BRF está pronta para voltar aos “velhos tempos” (09:22)
Embrapa seguirá sob comando de pesquisador (08:56)
Soja: recuo em Chicago pesa sobre preços nos portos do BR, mas dólar e prêmios limitam baixa (07:59)
Simpósio de avicultura discutirá qualidade na produção de matrizes (07:58)
Brasil reforça vigilância para barrar eventual ingresso da peste suína africana (07:56)
Plantio da soja no Paraná atinge 9% da área e colheita do milho bate em 99% (07:13)
Sem oferta, mercado do boi gordo registra alta em São Paulo (07:12)
China está redirecionando investimentos dos EUA para a Europa (07:11)
Milho: focado na colheita nos EUA, mercado recua pelo segundo dia consecutivo na Bolsa de Chicago (07:00)
Terça-Feira, 18/09
Semana do Ovo 2018 conta com patrocínio da Label Rouge (13:43)
Wisium reforça presença no Nordeste (13:36)
Com Brexit, Europa se prepara para nova logística de importação (09:11)
VIII CLANA anuncia tema "Nutrição Animal e Produção Sustentável de Alimentos" (09:06)
Florence faz Sanderson Farms perder 1,7 milhão de frangos (08:41)
Porto de Roterdã mantém o rigor na fiscalização de carnes do Brasil (08:37)
Governo reduz novamente orçamento para o seguro rural (08:25)
Tabela de frete provoca aumento nas importações brasileiras de cereais (08:23)
Surto de febre suína na China favorece criadores de frango (08:20)
Milho: em Chicago, mercado fecha pregão desta 2ª em campo negativo de olho na colheita nos EUA (08:18)
Soja tem novo dia de baixas em Chicago nesta 3ª ainda sentindo pressão da disputa EUA x China (08:07)