Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018
Agronegócios

As eleições de 2018 e o agronegócio
Florianópolis, SC, 14 de Fevereiro de 2018 - Os agentes econômicos iniciaram este ano de 2018 oscilando entre posições de otimismo exacerbado e pessimismo moderado em razão das inúmeras variáveis imprevisíveis que se afiguram no horizonte. Nesse aspecto, as eleições nos planos federal e estadual concentram as maiores ansiedades e inquietudes de empresários, trabalhadores e investidores.


Pedrozo: "É inevitável reconhecer que, após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o País experimentou uma fase de recuperação da economia, com recuou do desemprego, lenta retomada dos investimentos, controle da inflação e tênue – porém inequívoco – ressurgimento da confiança no mercado".

Escoimada a roupagem ideologia dos debates, é racional reconhecer que o Brasil precisa avançar nas reformas estruturantes. A reforma trabalhista foi um avanço que melhorou as condições de empregabilidade no mercado, aliviando empresas e empregadores de encargos insuportáveis. A reforma da Previdência é imperiosa – e outras devem se seguir para preparar o Brasil aos desafios dos novos tempos. O tamanho do Estado precisa ser reduzido, os privilégios contidos, a corrupção combatida e a eficiência geral vigorosamente ampliada.

O Congresso Nacional deixou de aprovar, ano passado, a reforma da Previdência e, assim, contribuiu para a queda na nota (avaliação) atribuída ao Brasil pelas agências internacionais de risco. É decepcionante perceber que, em 2018, os congressistas dificilmente aprovarão reformas estruturantes em face da proximidade com as eleições.

A agricultura e o agronegócio acompanham o quadro político-eleitoral com especial atenção. Nessa fase particularmente sensível da historia nacional, a campanha eleitoral e o desenlace das eleições presidenciais terão efeito direto sobre a economia. Há um nítido temor no mercado de que aventuras eleitorais com plataformas populistas, recheadas de propostas irrealistas e impraticáveis, minem as débeis conquistas econômicas. Essa situação pode ter um deletério efeito – o de afastar ainda mais os investidores internacionais e desencorajar os empresários e empreendedores brasileiros.

A agricultura e o agronegócio, em que pese a formidável contribuição ao desenvolvimento nacional, dependem em certa parcela de políticas públicas, como o sistema de crédito rural e os financiamentos de projetos agrícolas e pecuários. Também dependem de estruturas estatais para licenciamentos de empreendimentos e a certificação sanitária, como o Serviço de Inspeção Federal que atua nas indústrias de processamento de carne.

Os desafios da atualidade requerem alto senso de responsabilidade dos candidatos à Presidência e compromisso com os superiores interesses do País. Por isso, propostas radicais, excessivamente à direita ou à esquerda, não devem ser estimuladas. O grande desafio dessas eleições será substituir o ataque, o ódio e a intolerância pelo debate intelectualmente honesto, pelo respeito às ideias do adversário e pela obediência à lei.

Por José Zeferino Pedrozo - Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de SC (Faesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC).
(Faesc) (Assessoria de Imprensa )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 21/02
Prazo para registro veterinário de granja de aves termina no dia 3 de março (15:59)
Gumboro: um desafio para a indústria avícola (09:52)
'Refis rural' ganha prazo e bancada quer derrubar vetos (08:25)
Mercosul e Canadá lançam, no dia 9, negociações para ter livre comércio (08:21)
Brasil deve receber status de livre de aftosa em maio (08:17)
Milho: mercado interno registra ligeiras movimentações (08:04)
Soja: preços sobem até 6,5% no Brasil com rally na CBOT e dólar (08:00)
Santa Catarina espera safra recorde de soja (07:59)
Terça-Feira, 20/02
Cobb-Vantress reforça posicionamento global em bem-estar animal e lança site (13:47)
Justiça retira quatro tributos do cálculo de contribuição (08:59)
Cientista japonês utiliza clara de ovos na produção de energia limpa (08:56)
Valor da produção agropecuária de 2018 é de R$ 516,6 bilhões (08:54)
Hospital de Barretos quer obter R$ 50 milhões em doação do agronegócio (08:51)
Governo negocia adiar prazo do 'Refis rural' (08:15)
Falha na DHL faz KFC fechar mais de 500 lojas no Reino Unido (08:11)
Alta no frete e preferência na comercialização da soja dão suporte aos preços do milho no mercado doméstico (08:06)
Milho assume posição de destaque no MT (08:02)
Seca na Argentina motiva alta de grãos e 'destrava' o mercado de soja no Brasil (08:01)
Soja: mercado sobe em algumas praças do interior do BR com alta do dólar (08:00)
Segunda-Feira, 19/02
Omelete será estratégia para conquistar novos clientes em Dubai (11:18)
Brasil avançará mais no mercado de commodities estimam EUA (08:53)
Preços agropecuários no atacado caem e IGP-M desacelera alta a 0,03% na 2ª prévia de fevereiro, diz FGV (08:12)
Mercado interno do milho fecha a semana com leves movimentações (08:10)
Soja: maio tem alta de mais de 2% na semana em Chicago e traz bons preços para portos do Brasil (08:00)
Sexta-Feira, 16/02
JBS investe R$ 40 milhões na criação de empresa de ingredientes para nutrição animal (13:21)
OVOS/CEPEA: preço do ovo vermelho tem forte alta em fevereiro (09:01)
Lucro líquido da Zoetis registra alta de 13% no quarto trimestre de 2017 (08:35)
Moy Park impulsiona Pilgrim's Pride (08:23)
Desembolsos de crédito rural têm forte alta (08:15)
Milho: mercado interno com ligeiras movimentações (08:06)
Soja: mercado interno registra cotações em queda (08:00)
Quinta-Feira, 15/02
Safra catarinense de milho terá redução de 20,4% (15:22)
Semana que vem: IOB promove Live no Facebook sobre os benefícios dos ovos (14:46)
Tapuio moderniza produção de ovos no interior do RN (09:37)
Preços de agropecuários caem no atacado e IGP-10 desacelera alta a 0,23% em fevereiro, diz FGV (08:34)
Milho: mercado interno apresenta leves movimentações (08:07)
Soja: preços sobem mais de 3% no interior do Brasil (08:00)