Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018
Fiscalização

Decreto que centraliza inspeção animal pode sair na semana que vem
BRASÍLIA, 25 de Outubro de 2017 -

O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Ministério da Agricultura (Dipoa), José Luís Vargas, disse hoje que o decreto que o governo prepara para centralizar o sistema de inspeção animal em Brasília poderá ser publicado na próxima semana

A publicação vem sendo prometida há quase três meses pelo ministro Blairo Maggi, como parte de um pacote de medidas para melhorar a fiscalização agropecuária no país depois da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal em março com foco em casos de corrupção entre fiscais agropecuários e funcionários de frigoríficos.

“O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, já informou ao ministro Blairo que o decreto sobre a verticalização da inspeção animal está para sair até a próxima semana”, disse Vargas em audiência pública na Comissão de Agricultura da Câmara para discutir o sistema de defesa agropecuária nacional.

Conforme já informou ao Valor o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério, Luís Eduardo Rangel, o decreto deverá instituir o chamado sistema de “comando e controle” para a área de inspeção animal e acabar com a excessiva hierarquia que existe hoje na tomada de decisões nessa seara.

Na prática, a medida centraliza na sede do ministério, em Brasília, todas as ordens de serviço de fiscalização federal para frigoríficos e outras fábricas de alimentos de origem animal — como laticínios, por exemplo. Com isso, o Dipoa passará a ter controle sobre os fiscais que atuam nos frigoríficos. Hoje, esse papel é das superintendências estaduais do ministério, principais alvos da Carne Fraca.

Entre as demais mudanças no sistema de fiscalização previstas pelo ministério e que também ainda não saíram do papel estão uma Medida Provisória ou projeto de lei para criação de uma nova SDA com autonomia financeira, orçamentária e administrativa. A medida vem sendo considerada uma tentativa de ”terceirização” pelo Sindicato Nacional dos Auditores Federais Agropecuários (Anffa Sindical).

A criação de um fundo abastecido com a cobrança de taxas por serviços de defesa, como emissão de certificados sanitários e fitossanitários, exames de laboratório e registro de plantas industriais, e que teria potencial para arrecadar cerca de R$ 1 bilhão por ano, também continua nos planos.

(Valor) (Cristiano Zaia)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 17/01
Yamasa estará presente na IPPE, em Atlanta, pela 13ª vez consecutiva (09:43)
Terça-Feira, 16/01
Médicos Veterinários e Zootecnistas paulistas poderão votar on-line pela primeira vez (21:09)
Conab negocia mais remoções de milho para o Nordeste (15:45)
Superavit de US$ 81,86 bilhões do agronegócio foi o 2º maior da história (15:43)
Coopavel: um show de atrações nos 30 anos de um dos maiores eventos do agronegócio mundial (15:41)
Brasil busca ampliar vendas de produtos agrícolas para a Ásia (14:31)
CASP participa de edição histórica do Show Rural Coopavel (08:43)
Segunda-Feira, 15/01
Proibir carne em certos dias da semana só pode ser ideia de fascista (20:59)
C.Vale cancela edição 2018 do Dia de Campo (19:07)
Inscrições no CAR foram prorrogadas até 31 de maio de 2018 (19:02)
Aberta consulta pública sobre procedimentos na produção de alimentação animal (19:00)
Sexta-Feira, 12/01
Evonik e Fufeng Group firmam parceria estratégica para a produção de ThreAMINO® (09:22)
Ganhar músculos: é melhor comer ovo inteiro ou só as claras? (08:00)
Quinta-Feira, 11/01
Em 2018 safra de grãos pode chegar aos 228 milhões/t (11:07)
Japão relata 1º caso suspeito de 2018 de gripe aviária (09:12)
Aviagen apresenta nova estrutura organizacional com foco no atendimento ao cliente em toda a América Latina (09:03)