Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
Empresas

BRF tem terceiro prejuízo trimestral seguido no segundo trimestre
São Paulo, SP, 11 de Agosto de 2017 - Pelo terceiro trimestre consecutivo, a BRF ficou no vermelho. Dona das marcas Sadia e Perdigão, a empresa reportou nesta quinta-feira um prejuízo líquido de R$ 167,3 milhões no segundo trimestre. No mesmo período de 2016, a companhia havia lucrado R$ 31 milhões. A receita líquida da BRF somou R$ 8 bilhões, redução de 5,7% na comparação anual.

A BRF foi fortemente impactada no período pela Operação Carne Fraca. Deflagrada em 17 de março pela Polícia Federal, a investigação provocou uma série de embargos às carnes brasileiras. A empresa calcula que a Carne Fraca trouxe perdas de R$ 117 milhões.

Diante disso, a companhia também amargou uma diminuição de quase 40% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês). Entre abril e junho, a BRF registrou um Ebitda de R$ 575 milhões, ante R$ 944 milhões no mesmo período de 2016. Com isso, a margem Ebitda da empresa caiu 3,9 pontos na mesma comparação, ficando em 7,2%. A queda do Ebitda, decorrente sobretudo da Carne Fraca, teve reflexos negativos nos índices de endividamento da BRF. No fim de junho, a relação entre a dívida líquida e o Ebitda em doze meses ficou em 4,90 vezes, ante 4,24 vezes em 31 de março.

Além da redução do Ebitda, a alavancagem também foi afetada pelo pagamento de R$ 556 milhões pelas aquisições internacionais da Invicta e da turca Banvit. A dívida líquida de R$ 310 milhões da Banvit também aumentou o endividamento da BRF.

No relatório que acompanha o balanço, a companhia reconheceu que o atual índice de alavancagem está “bem acima” do nível considerado ideal — de 2 vezes a 2,5 vezes.

Nesse contexto, o conselho de administração da BRF autorizou a empresa a vender até 13,4 milhões das ações que possui em tesouraria para fazer caixa. Aos valores atuais — as ações da BRF fecharam hoje a R$ 39,00 —, poderá obter até R$ 525 milhões com a venda desses papéis.

Paralelamente, o conselho da BRF também autorizou a empresa a firmar contratos de swap com um banco em valores equivalentes aos das ações em tesouraria. A partir desses swaps, a BRF receberá a variação do preço de suas ações e pagará ao banco um percentual do CDI mais um spread.

Na prática, a BRF quer evitar que a venda das próprias ações seja vista como um mau negócio, uma vez que a companhia adquiriu as próprias ações no mercado a preços mais elevados, o que chegou a gerar descontentamento em alguns conselheiros. Além disso, os swaps sinalizam que companhia aposta na alta das próprias ações, que caíram 44,5% desde o auge, em 2015.

No balanço do segundo trimestre, a BRF destacou a reversão da trajetória de perda de participação de mercado no Brasil. No período, houve ganho de 0,8 ponto percentual, com destaque para os embutidos, cuja fatia aumentou 3,5 pontos percentuais, o que pode ser visto como um avanço sobre a Seara, da JBS. No entanto, nem todas as categorias tiveram bom desempenho. Em pratos prontos, a BRF perdeu 2,7 pontos percentuais.
(Valor Econômico) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 11/12
Sexta-Feira, 08/12
Quinta-Feira, 07/12
Projeto Global Planning garante abastecimento da Cobb-Vantress em todo o mundo (12:06)
Mapa oficializa medidas para apoiar a saúde animal (12:04)
18º Churrascão da Avimig (10:10)
Evento de fim de ano da Aviagen no Paraná revela crescimento nas vendas do Ross 308 AP (AP95) (10:04)
México se abre a produtos brasileiros (09:48)
Quarta-Feira, 06/12
Parceria entre Cargill Nutrição Animal e Gujão Alimentos rende crescimento de 35% no plantel (14:08)
Avanço de status sanitário: Plano de ação tem prioridades definidas (10:58)
Antibiótico na natureza gera superbactéria, alerta ONU (10:57)
Mercosul e UE trocam novas ofertas e ficam perto de 'pré-acordo' (10:55)
Agronegócio tem sete produtos na lista dos dez destaques da pauta exportadora brasileira (08:54)
Terça-Feira, 05/12
Receita de exportações de frangos cresce 5,7% em novembro (13:46)
Seminários Aviagen enfatizam melhores práticas de manejo com o produto Ross 308 AP (AP95) (09:28)
UE amplia cota para compra de frango do Mercosul (08:54)
Consumo doméstico ajuda a impulsionar ações de frigoríficos (08:53)
Alimentos têm maior queda de preços da história (08:34)
Documento aponta demandas para concretização da Rota do Milho (08:32)
Representantes do Mercosul encaminham documento para viabilizar Rota do Milho (08:31)