Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019
Mercado Externo

CNA defende maior inserção do Agro no mercado internacional

João Martins discursou na abertura do ENAEX 2017, no Rio de Janeiro, sobre a competitividade das exportações brasileiras
Rio de Janeiro, RJ, 10 de Agosto de 2017 - Ao discursar na abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior (ENAEX 2017), o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, afirmou que “mais do que gerar superávits na balança comercial, queremos aumentar os fluxos de comércio do Brasil”.

Promovido pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), o ENAEX 2017 reuniu nesta quarta (9), no Rio, lideranças do setor produtivo, autoridades e especialistas em torno do tema “Reduzir Custos para Exportar, Reindustrializar e Crescer”. O presidente da República, Michel Temer, também esteve na abertura.

Em seu discurso, o presidente da CNA afirmou que “por meio da dedicação dos nossos produtores e de todo o investimento em tecnologia que realizamos”, a agropecuária brasileira hoje é globalizada. O país, no entanto, precisa de uma política comercial clara, contínua, e a ampliação da presença brasileira em mercados externos deve ser uma estratégia de longo prazo.

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), disse Martins, mostra que "sem as políticas atuais de apoio doméstico ao produtor, adotadas pelos países, o comercio internacional de produtos agrícolas seria maior".

“Subsídios à produção ainda são os que têm mais impacto no comércio agrícola e prejudicam os produtores brasileiros”, afirmou o presidente da CNA. E concluiu que para garantir e manter a competitividade da agropecuária brasileira, “precisamos garantir um limite máximo de subsídio por país, de acordo com sua produção”.

Martins falou também que é preciso investimentos em infraestrutura e, mais do que isso, “precisamos desburocratizar o processo de exportação”. Outro ponto levantado pelo presidente da CNA foi a necessidade de se evitar que novas regulamentações se tornem barreiras aos nossos produtos. “Agora é o momento de reduzir barreiras aos investimentos e ao comércio com nossos parceiros”.

O produtor, afirmou Martins, "está fazendo o dever de casa, adotando sustentabilidade, tecnologia e inovação, como base do desenvolvimento da sua produção". E é preciso enxergar o atual período como uma “oportunidade para inovar, para desenvolver novas ideias e gerar as transformações necessárias para a implementação da politicas de médio e longo prazo”.

“Precisamos promover mudanças que levem nosso país ao crescimento sustentável. Esta é uma tarefa não apenas dos representantes políticos, mas também da sociedade. O setor agropecuário tem o dever de participar desse momento de renovação e, com sua agenda, vai contribuir com o desenvolvimento do nosso país”, afirmou.

O presidente Michel Temer, que discursou na abertura do ENAEX 2017, afirmou que em relação à produção agrícola brasileira, não bastam safras recordes, é preciso escoá-la com eficiência, e o governo está disposto a investir cada vez mais em ferrovias, portos e rodovias, a partir dos programas de concessões ao setor privado.

O presidente da AEB, José Augusto de Castro, elogiou o desempenho da agropecuária brasileira, responsável principal pelos superávits da balança comercial, mas reclamou que o "custo Brasil continua a afetar todo as nossas exportações".

Já o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, reconheceu que é dever do governo estabelecer "as melhores condições para o fortalecimento das vendas externas do país", citando medidas oficiais de melhoria dos portos.
(CNA) (Assessoria de Imprensa )
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 15/11
Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)
Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)