Domingo, 26 de Maio de 2019
Produção

Bastos (SP): a fantástica fábrica de ovos

O Brasil produziu 39,2 bilhões de ovos comerciais em 2016 e um terço saiu de uma pequena cidade colonizada por japoneses no interior de São Paulo
Bastos, SP, 09 de Agosto de 2017 - Bandeira do Japão, campo de beisebol, academia de judô, portais orientais. Na região Oeste do estado de São Paulo, Bastos, uma cidade de apenas 20 mil habitantes, chama atenção pelos traços culturais do outro lado do mundo, herança dos japoneses que se instalaram na região no fim dos anos de 1920.

Os imigrantes e seus descendentes deram ao município de Bastos o título de ‘Capital Nacional do Ovo’. De acordo com o presidente do Sindicato Rural, o avicultor Katsuhide Maki, as granjas da cidade produzem 18,7 milhões de ovos por dia. São 216 unidades por segundo e mais de 10 bilhões por ano. O Brasil produz 39,2 bilhões.

De 200 mil para 500 mil aves e mais de 400 mil ovos por dia

Para dar conta do recado, 22 milhões de aves poedeiras estão alojadas na região. Outras 6 milhões são pintainhas ou frangas, que não estão em fase de produção. Das 65 granjas locais, 62 estão nas mãos de descendentes de japoneses.

A relação de Bastos com a postura comercial começou no fim de Segunda Guerra. Segundo o presidente do Sindicato Rural, até então, a principal atividade era a criação do bicho-da-seda.

“Com o fim da guerra, a demanda caiu e atividade ficou inviável. Alguns apostaram na fruticultura, no café e na cana, mas o solo da região é muito arenoso. Até surgir a ideia de aproveitar os galpões para alojar poedeiras. Isso ainda no fim dos anos de 1940. A produção começou rudimentar. As galinhas criadas soltas. Com o tempo, o processo foi evoluindo”, diz Katsuhide Maki.

Filho de Katsuhide, Christian Maki é da quarta geração da família que trabalha com postura de ovos comerciais. Proprietário da Granja Maki, ele conta que atividade é desafiadora: “Ao contrário do frango de corte, em que é preciso fazer a engorda por apenas 42 dias, na postura são dois anos. São 45 dias no galpão de pintainhas, 120 dias na recria e 1 ano na postura. Talvez 1 ano e meio, dependendo do manejo”.


O avicultor Katsuhide Maki com o filho Christian Maki. Família está na quarta geração de trabalho com postura de ovos comerciais.

A granja dele produz 72 mil ovos diariamente. Ao todo, são 18 funcionários que trabalham na coleta, lavagem, secagem, classificação e embalagem dos ovos. “Nós vendemos 80% no atacado e 20% no varejo. É uma atividade complexa. Não é para aventureiros. Ainda mais para nós, que trabalhamos com ovos vermelhos”, complementa.

Christian Maki é integrante da Comissão Julgadora do Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos, que é realizado no mês de julho, durante a Festa do Ovo, criada há 58 anos para celebrar a principal matéria-prima da cidade. “No começo, a avaliação era apenas visual. Hoje, temos equipamentos que avaliam frescor, consistência e cor da gema, além de medir a espessura e a resistência da casca, entre outros aspectos. Evoluímos bastante”, afirma.

Mercado

Proprietário da granja Mizohata, Wagner Mizohata acredita no potencial do mercado de postura comercial no país. Assim como outros granjeiros da região, ele também é descendente de japoneses e herdou o negócio do pai. “Nós começamos com 200 aves. Hoje temos 500 mil. Nossa produção diária é de 432 mil ovos”, revela.

Desde que assumiu a granja, estabeleceu uma meta ambiciosa: crescer 10% ao ano. “E nós temos conseguido. Mesmo no ano passado, quando o preço do insumo disparou, fizemos ajustes e atingimos o nosso objetivo”.

No Brasil, no atacado, o produto é vendido em caixas de 30 dúzias (360 ovos). Atualmente, a cotação está em R$ 124. “É a melhor atividade do agronegócio. Meu pai costuma dizer que as pessoas nunca vão deixar de consumir comida. E nós temos uma proteína de qualidade e acessível”.


Proprietário da granja Mizohata, Wagner Mizohata

Para Mizohata, o potencial de crescimento da atividade é enorme. Atualmente, a média nacional de consumo é de 190 ovos/habitante por ano. No México é o dobro. “Podemos crescer demais no mercado interno. Isso sem falar na exportação. Atualmente, o Brasil não está nem no ranking, temos uma participação muito pequena. E nós temos condições de exportar e ganhar mais mercado”, acredita.

Segundo o produtor, que atua no atacado, principalmente em São Paulo, Minas Gerais e Goiás, outra transformação virá da indústria. “É incrível o número de produtos derivados do ovo e que ainda não são produzidos no país. Na Tailândia, eles utilizam o ovo inteiro, da pela é extraído colágeno, da casca é feito suco de cálcio. Essa transformação, em dez anos, vai chegar ao Brasil. É o futuro. E para isso, nós e o setor temos investido em tecnologia e modernização”.
(Expedição Avicultura 2017) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 26/05
Sexta-Feira, 24/05
MSD Saúde Animal promove 2° Encontro Empresarial na Europa para experiências com Innovax ND-IBD (10:40)
Frango: exportação aquecida diminui oferta interna e eleva preços (10:16)
ABPA comemora renovação de cotas de importação do México para aves (10:11)
IPCA-15 foi de 0,35% em maio (10:09)
Confiança do Agronegócio encerra 1º trimestre otimista (09:23)
Safra de grãos do Paraná poderá chegar a 37 milhões de toneladas (09:06)
Balança comercial do agronegócio deste ano não repete o recorde de 2018 (08:59)
Ministério busca ampliar número de frigoríficos aptos a exportar à China (08:46)
EUA confirmam ajuda de até US$ 16 bi a produtores (08:42)
Mercado do Boi: compradores fazem oferta de compra abaixo da referência em boa parte das praças pecuárias (08:37)
Exportação de milho do Brasil, mais competitivo que o dos EUA, deve ganhar ritmo (08:28)
Suínos: preço do milho sobe, mas média ainda favorece relação de troca (08:17)
Boi: exportações de carne seguem em ritmo acelerado (08:16)
Pecuaristas ainda com poder de cadenciar vendas, mais China, seguram a @ do boi (08:14)
Milho se desvaloriza em Chicago (08:12)
Soja tem leve avanço em Chicago nesta 6ª feira (08:04)
Acordo entre UE e Mercosul leva pânico a produtores de carne franceses (08:00)
Projeto Campo Futuro levanta custos de produção agropecuária em Santa Catarina (07:40)
Governador do Paraná conhece abatedouro avícola daUnitá (07:39)
Brasil manda lista de 30 frigoríficos indicados a exportar para a China (07:36)
Quinta-Feira, 23/05
Conferência FACTA WPSA-Brasil marca os 30 anos da entidade e coloca a avicultura brasileira em evidência (09:21)
CEO da Aviagen explora “Responsabilidade de Alimentar o mundo”, tema da Conferência FACTA 2019 (09:00)
ICC Brazil reforça o seu compromisso com as universidades (08:48)
Nova fórmula reduz fretes para os grãos (08:47)
Queda não será generalizada (08:46)
Queda não será generalizada (08:46)
Americanos obtêm mais carne bovina com rebanho menor (08:40)
China quer habilitar apenas mais 20 frigoríficos brasileiros (08:34)
Mercado do boi: preços seguem andando de lado (08:05)
Soja opera estável nesta 5ª feira em Chicago (08:00)
Tereza Cristina: “Vamos democratizar mais o crédito agrícola” (07:33)
Abertura do CPAgro Copacol tem a participação de 1,7 mil pessoas (07:31)
Diretor-Geral da FAO: voto do Brasil vai para vice-ministro da agricultura chinês (07:31)
SRB debate futuro dos contratos agrários com Ministro do STJ (07:30)
Oeste catarinense busca internacionalização da região (07:28)
Milho se recupera durante a 4ª feira e registra 8º dia seguido de cotações em alta na Bolsa de Chicago (07:05)
Soja fecha em alta na CBOT nesta 4ª feira (07:00)
Quarta-Feira, 22/05
SP: preços agropecuários caem 0,43% na primeira semana de maio (11:14)
5ª FAVESU: maior evento de avicultura e suinocultura do ES será em junho (11:03)
Regulamento traz organização e transparência para o Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos (09:36)
Yes amplia equipe e anuncia novo gerente comercial para o Brasil (08:47)
Venda de participação em ativos no Oriente Médio no foco da BRF (08:27)
Mercado do boi: alterações pontuais nas cotações (08:15)
Peste suína africana na China deve dar suporte aos preços da carne nos Estados Unidos (08:10)
Milho fecha terça-feira em alta pela sétima sessão seguida (08:05)
Soja: mercado inverte movimento e fecha em queda na 3ª feira (08:00)
Matopiba deverá ser o principal fornecedor de milho brasileiro para o México (07:17)
Terça-Feira, 21/05
Marcas apostam em 'carne vegetal' no país (15:39)
Safeeds apresenta linha de conservantes na Fenagra 2019 (15:35)
Vetanco do Brasil promoverá o produto Uniwall MOS 25 no Simpósio Goiano de Avicultura (09:23)
PIB do agronegócio brasileiro mantém queda no primeiro bimestre do ano (09:15)
PIB do agronegócio caiu no 1º bimestre, diz Cepea (09:10)
SC: exportações do agronegócio crescem 7,7% em 2019 (08:00)
Boi recupera a estabilidade em SP e a mantém em outras praças (07:55)
Milho: produtores se retraem e preços voltam a subir no Brasil (07:51)
Soja segue em alta nesta 3ª feira em Chicago refletindo plantio lento nos EUA (07:50)
Soja: cotações têm forte alta no Brasil e nos EUA (07:49)
Comitiva visita Santa Catarina visando à Rota do Milho (07:29)
Controle de gastos para otimizar a produção e ajudar na negociação (07:28)